domingo, 27 de janeiro de 2013

Nossa maior luta


Pai; hoje senti necessidade de mudar o ponto do meu lugar de oração, para que eu pudesse estar em Tua presença. E assim, pude - em um outro ponto mais favorável - desfrutar do conforto que o lugar de oração me oferece. E aproveito a oração desta manhã, amado Pai, para trazer diante de Ti a minha luta comigo mesmo. É verdade, meu Senhor: Erramos ao pensar que a nossa maior luta é contra alguém que nos aflige ou contra o demônio que tenta nos devorar; pois, enquanto isso, não percebemos que a nossa maior luta é contra o nosso próprio "eu", sempre tentando se impor sobre a Tua vontade.
 
Portanto, querido Pai, não posso permitir que minha emoção e minha razão se imponham sobre minha espiritualidade. Sei muito bem que o invólucro que me contém - que Tua palavra chama de "carne" - é temporário e não vai me prender para sempre. E como eu Te louvo por isso! Sei também que os dois pesos que carrego, atados aos meus pés - que eu chamo de "comodismo" e "incredulidade" - mesmo dificultando a minha caminhada, não me impedirão de prosseguir no Caminho da Vida; pois tenho Tua presença comigo em todo o percurso, mesmo quando esta presença parece ausente.
 
E assim, querido Pai, vou continuar minha caminhada em direção à Vida; mesmo ouvindo por vezes o barulho feito por "comodismo & incredulidade", tentando chamar a minha atenção. Todavia, não me deixarei influenciar! Vou tentar agir e andar, como compôs e cantou o teu filho Kleber Lucas: "Eu vou seguir com fé! Com meu Deus eu vou para a rocha mais alta que eu. Eu sei pra onde vou; como aguia, vou nas alturas, sou filho de Deus"! E vou seguir o conselho de tua filha Bruna Carla: "Quando eu chorar, vou me lembrar que até aqui tua mão me sustentou". Sei que estou seguro em teus braços, bendito Pai!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário