domingo, 20 de janeiro de 2013

Enorme coração


Estou me sentindo como se fosse um enorme coração - pulsando de gratidão a Deus - com batidas cadenciadas de louvor e adoração ao Senhor, por tudo aquilo que experimentei ao longo do ano que se findou. Posso testemunhar que 2012 foi um ano abençoado, tanto no lar como na igreja. Enquanto lido com este sentimento, fico a pensar naquelas famílias que não conseguem entender o valor da comunhão conjugal mesclada com a comunhão fraternal no contexto do lar. É pena, quando pessoas de uma mesma família - especialmente marido e esposa - não conseguem chegar ao nível ideal de Deus para um lar.
 
E quando me refiro ao nível ideal de Deus; não estou me referindo a algo sobrenatural; mas, estou me referindo ao amor transformado em amizade e companheirismo. Aquele tipo de relacionamento, em que duas pessoas seguem juntas pela vida afora; compartilhando alegrias e tristezas, segredos e emoções; procurando viver cada dia no Senhor. No entanto, percebo que alguns sentimentos antagônicos são entraves a este tipo de relacionamento; tais como: Indiferença, egoismo, arrogância, intolerância, melancolia... E outros afins. E digo mais: Estes sentimentos estão definidos em qualquer dicionário.
 
No entanto, o nível ideal de Deus propõe que vivamos intensamente o fruto do Espírito, composto de: "Amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" (Gál 5.22). Cada um destes componentes é também definido no vernáculo. A Bíblia nos ensina que "o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade" (Efé 5.9). Portanto, para que um lar viva um relacionamento maduro, duradouro e feliz; estes princípios devem ser aplicados no dia-a-dia da família. E se assim for, haverá alegria e paz; tanto para aqueles que estão do lado de dentro como para os de fora!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário