terça-feira, 31 de julho de 2012

Visita ao Distrito de Ipatinga


Este final de semana, Célia e eu estivemos visitando o Distrito de Ipatinga - mais especificamente as igrejas de Itabira e Central de Ipatinga. Nesta visita, além do prazer de rever e abraçar irmãos, pudemos constatar o avanço da obra wesleyana em ambas as cidades. Louvo a Deus pelas IMW deste Distrito!

IMW de Itabira

Em Itabira, estivemos na sexta-feira. O Pastor Isaque dos Santos - titular da igreja - e sua esposa irmã Lucimar, nos recepcionaram em um culto programado especialmente para nossa visita; visto não ser um dia normal de reunião. Em meio a um clima de grande alegria e profunda adoração, Deus me deu uma palavra que provocou um choque de unção em todo o povo ali reunido. A igreja vive um momento de muita motivação; crescendo em quantidade e qualidade, tanto diante de Deus como diante dos homens!

Após o culto, fomos conduzidos pelo Diácono Glauber à casa pastoral; onde o Pastor Isaque e Lucimar já nos esperavam para um delicioso jantar, a base de peixe e de frango. A querida irmã Juliana estava ajudando Lucimar na preparação do mesmo. Após nos deliciarmos e conversarmos bastante, nos recolhemos para dormir. No dia seguinte, após tomar um delicioso café da manhã e conversarmos mais um pouco; rumamos para Ipatinga, a pouco mais de cem quilômetros de distância.

IMW Central de Ipatinga

Em Ipatinga, estivemos sábado e domingo. Ao chegarmos, fomos para o templo; no qual, muitos irmãos estavam trabalhando os detalhes finais; que iam desde parte elétrica e montagem de som - incluindo acabamento de pintura e montagens diversas - até a limpeza do templo e anexos. Após um almoço delicioso, a base de lombo assado, na casa da Dra Cármen; tivemos uma reunião com o Pastor Eduardo Santos, para conversarmos sobre diversos assuntos. Alguns trabalharam até alguns minutos antes da inauguração, para que todos os detalhes estivessem definitivamente concluídos. Deus é Fiel!

O culto inaugural, no sábado a noite, transcorreu em ambiente de grande alegria; com caravanas de igrejas do Distrito de Valadares e do Distrito de Ipatinga. Também anotei a presença dos seguintes Pastores: Adeilson, Dantas, Diassis, Isaque e Miguel - em um admirável clima de unidade e de comunhão. O Ministério de Louvor da igreja local, sob a direção de Daniela Calegari, muito contribuiu para elevar o clima de adoração e de gratidão. Tivemos também coreografia e louvor por grupos que não consegui anotar. Os irmãos - Dra Cármen e Dr Jair - passaram a prestar algumas homenagens especiais relacionadas com esta conquista. Enfim, o culto foi uma grande bênção de Deus!

No domingo, o ambiente do culto já dava uma idéia do que Deus irá fazer nesta igreja. A liderança local bem articulada, demonstrava o seu preparo - desde a recepção até a ordem e atendimento ao povo - em um ambiente marcado por visível dedicação. Tanto o Presbitério como a Junta Diaconal estavam perfeitamente entrosados no atendimento a membros, congregados e convidados. Após pregar a Palavra de Deus, Célia e eu cantamos "não morrerei" - do cantor e compositor Marquinhos Gomes.

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Chamados a orar


Na quinta-feira passada - enquanto eu estava prostrado no lugar de oração - procurei agradecer a Deus por ter estado em Sua presença logo de manhã. e, enquanto expressava minha gratidão, confessei perante o Senhor que não me levantei para orar porque tivesse sentido desejo; ou, por força do hábito. Não mesmo! O que fez com que eu me levantasse da cama foi o toque do Espírito, me despertando do sono e me fazendo sentir a necessidade de orar. É fato: Sua mão me tomou e me conduziu ao lugar de oração!

Então, enquanto orava, agradeci ao Senhor por conhecer verdades profundas que não procurei. É isso mesmo! todas as vezes em que busquei a face do Senhor, minhas aproximações foram sempre provocadas por um profundo sentimento de necessidade e urgência em estar em Sua doce presença. Sempre foi assim em minha vida; e ainda continua sendo. Posso aqui afirmar que tudo aquilo que tenho recebido de Deus, eu recebi enquanto procurava buscar Sua face e me fortalecer nEle. E isto é a mais pura verdade!

E ainda na manhã desse mesmo dia, eu me dirigi a Sede Geral e Regional da Primeira Região Eclesiástica, em Petrópolis; para estar com o Bispo Elisiário Alves do Santos, atendendo a seu convite, para orarmos juntamente com mais alguns irmãos na "sala de oração" ali existente. O lugar foi organizado e decorado com zelo e carinho. Então, enquanto aguardávamos o momento de inaugurar com oração este aposento preparado para este objetivo, fiquei a pensar na importância deste ato profético.

Após palavras de abertura do Bispo Elisiário; ministrei a palavra baseada em Filipenses 4.1-9, destacando o verso 6 deste texto. Em seguida, alguns irmãos falaram sobre este momento histórico. E, finalmente, após cantarmos um cântico bem apropriado; nos prostramos nos lugares determinados; e, sob a unção de Deus, mantivemos um abençoado período de oração. Foi mesmo um momento maravilhoso!

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 28 de julho de 2012

Família - herança de Deus


"Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus fez com nossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra." 
(Atos 3.25)

Ainda estou pensando no dia especial que passamos a dois dias atrás, com parte da querida família que Deus nos deu (faltaram Daniela Calegari, Alessandro Rosendo, Dudu, Bia e Ezequiel Calegari - além dos outros queridos familiares que temos). Foi mesmo um dia muito especial que Deus nos proporcionou; com a presença do nosso sobrinho Moacir e sua esposa Júlia - juntamente com os seus filhos: Bruna, Breno e Beatriz. Um dia que - mesmo se não tivessem sido tiradas tantas fotos - não seria esquecido!

Em diversos momentos deste nosso convívio, conversamos sobre a história de vida dos meus sogros; lembrando também de alguns episódios inesquecíveis envolvendo pessoas queridas da família. No entanto, o assunto principal da conversa estive sempre relacionado ao cuidado do Senhor Jesus por nós - ao longo do tempo - e ao propósito de Deus para com a nossa família. Louvei muito a Deus por tudo!

Na verdade, a família é um legado que recebemos - herança de Deus e dos homens - cuja origem sempre revela uma história de amor, sacrifício e perseverança daqueles que a constituíram. Infelizmente, os desvios de finalidade e de conduta de muitos herdeiros deste importante legado é muito mais comum do que imaginamos. E quando isso acontece, uma bela história de vida - em dado momento - se transforma em pesadelo que fere e magoa até mesmo nas lembranças. Isso é muito triste!

Mas, graças ao cuidado de Deus por todos nós - habitantes deste sofrido planeta - as páginas da história de famílias que abençoaram o mundo continuam a ser escritas, revestidas de beleza e romantismo, inspirando e motivando aqueles que as lêem ao longo do tempo; e que buscam em suas referências, um modelo para darem continuidade a uma bela história de amor; baseada no enredo protagonizado por uma família que, em algum lugar no passado, conseguiu deixar uma herança de inestimável valor!

"Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome, Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior; Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus."
(Efésios 3.14-19)

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Altar em chamas

"O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas."
 (Levítico 6.12)

Na manhã deste novo dia que Deus me concede, sinto-me fortalecido após ter passado algum tempo na presença do Senhor. E, a cada dia que passa, cresce dentro em mim a convicção de que não é possível vivermos uma vida cristã autêntica - marcada por temor e simplicidade - sem que ocupemos com freqüência o lugar de oração. E não é preciso irmos longe, para descobrirmos isso. Basta olhar em volta!

É que no lugar de oração, somos freqüentemente remodelados. Estou certo de que não existe lugar melhor para que Deus possa trabalhar o nosso caráter e a nossa espiritualidade do que o altar em que nos prostramos com freqüência diante Ele. E ali que a "fumaça da lenha verde" se dissipa; que a cinza é removida; e, que a chama continua acesa. Realmente... Não há lugar melhor para Deus tratar conosco!

É como se nossa sobrevivência como filhos de Deus dependesse deste continuado proceder. E não vejo como mantermos acesa por muito tempo a chama do ardor cristão, sem que a oração seja o pavio que mantenha o nosso altar em chamas e o nosso ministério em brasa. Portanto, se, no lugar de oração, nossa oração for pavio e a nossa vida for lenha, o fogo do divino Espírito se manterá aceso em nós. Aleluia!

"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca."
(Mateus 26.41)

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Esposa do Pastor


"Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada." 
(Provérbios 31.30)

Nesta manhã, após orar, estou pensando em tudo aquilo que Deus fez durante o "ESPA do Coração Abrasado". Mulheres de pastores e obreiros, de todas as idades, com variados níveis de experiência com Deus; passaram por um processo espiritual que ia - desde admirável experiência de renovação - até diversos casos de libertação. Mediante o agir sobrenatural de Deus, vi mais uma vez a necessidade de buscarmos a Deus em um ambiente favorável; mesmo já tendo uma boa experiência com o Senhor.

Se fizermos uma retrospectiva em nosso próprio ministério, vamos constatar que os nossos melhores dias na obra de Deus, foram aqueles dias em que estivemos de fato em Sua bendita Presença - dedicando tempo a oração e a Palavra - mantendo a nossa vida espiritual em dia com Deus. Falando por mim mesmo, posso afirmar que a presença de minha querida esposa, companheira dedicada e sempre atuante, contribuiu em muito para o sucesso espiritual e ministerial de que ambos temos desfrutado.

Enfim... Por tudo aquilo que vimos no Acampamento "Salém", chego à conclusão de que será de vital importância para o sucesso do ministério de um pastor, uma profunda experiência espiritual de sua própria esposa. A Bíblia diz que "A mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos" (Provérbios 14.1). E, não tenho a menor dúvida de que esta advertência deve ser levada em alta conta por pastores que desejam construir uma família abençoada e um ministério próspero.

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 24 de julho de 2012

Homofobia ou... Humanofobia


Examinando a sugestiva foto postada pela Igreja Batista Nacional de Campo Verde, fiquei a pensar na relevância da mesma. O Brasil todo sabe que vem sendo discutido um projeto de lei denominado "PL 122"; cuja finalidade é a votação de um projeto de lei que penaliza aquele que agredir - verbal ou fisicamente - a homossexuais. E em meio a uma crescente e preconceituosa mobilização; entidades representativas deste segmento apresentam os mais diversos argumentos - alguns deles até justos - na tentativa de sensibilizar os parlamentares a votarem favoravelmente este polêmico projeto.

No entanto, a Constituição Federal proclama que "todos são iguais perante a lei"; sendo por ela amparados aqueles que são agredidos - tanto em seus direitos individuais como em sua integridade física. E, de modo isento, o nosso Código Penal determina a aplicação de penas definidas a todo aquele que espancar, ofender, difamar e causar sofrimento ao cidadão - seja ele de que segmento for. Portanto, em caso de transgressão contra os direitos do cidadão, caberá aos advogados a tarefa de representar contra o agressor; e nem mesmo um agente da lei, exorbitando em sua autoridade, está livre de pena.

E, deste modo, fico sem entender o "por que" de se criar uma lei específica para cada segmento. Isso mesmo! Porque, se hoje criarmos uma lei para privilegiar um grupo ou segmento; amanhã precisaremos criar uma outra, para atender a um outro segmento que se sinta prejudicado em seus direitos... E assim por diante. A pressa em se criar leis - por emoção e sentimento populista ou demagógico - poderá produzir futuros limbos jurídicos, comprometendo a aplicabilidade de tais leis... Como se a nossa 'Carta Magna' não tivesse sido clara ao definir as garantias individuais para todo cidadão brasileiro.

Cordialmente;
Bispo Calegari