domingo, 26 de fevereiro de 2012

Visita ao Distrito de Muriaé

O culto de encerramento do RESPIRE na Grande Vitória se deu com o almoço de terça-feira. Dali, Célia e eu viajamos para uma visita especial ao Distrito de Muriaé.

Edição do RESPIRE 2012 em Muriaé

Chegando em Muriaé, o Pastor Renato Jabor, nosso SD no Distrito de Cataguases, já estava a nossa espera juntamente com sua esposa Ducileia - no trevo onde a estrada de Itaperuna para Muriaé se encontra com a BR 116, que corta a cidade de Muriaé ao meio. Chegamos com algum atraso para o encerramento do RESPIRE 2012 promovido pelo Distrito de Muriaé. Lá estavam os pastores do Distrito de Muriaé (Renato, Adriano, Roberto Diogo, João Carlos) e alguns Aspirantes, sob a direção do SD Pastor Robson de Melo. Também notei a presença do Pastor Marcelo, da IMW de Piraúba (Distrito de Cataguases) que veio com vários membros de sua igreja.

Ao chegarmos nas instalações da Faculdade FAMINAS, na margem da BR 116, encontramos o povo já reunido em culto da Deus - em ambiente de avivamento espiritual. Com mais de trezentas inscrições para permanência integral, fora os frequentadores ocasionais, esta edição do RESPIRE (a semelhança do que aconteceu no "Salém") foi marcada pelo agir sobrenatural de Deus. Jesus batizou vários irmãos com o Espírito Santo e houve grande alegria no meio do povo de Deus ali reunido.

Culto de ação de graças no Bairro Gaspar

Do RESPIRE, seguimos para nos hospedarmos na casa do Pastor Renato Jabor. Após uma noite bem dormida, tomamos um delicioso café da manhã preparado pela irmã Ducileia, na casa dos nossos hospedeiros e ficamos conversando sobre visão e projetos da obra que o Senhor Jesus nos confiou. A hora do almoço, o Pastor Robson e sua esposa Luz Aurora vieram nos buscar para almoçarmos juntos no Restaurante do Netinho - especialista em pratos à base de peixe. 

Após um breve descanso a tarde, fomos para o Culto em Ação de Graças pela união das duas congregações wesleyanas do Bairro Gaspar, com vista a formação da IMW daquele Bairro de Muriaé. Foi um culto de grande edificação para todos os irmãos presentes. Além dos membros de ambas as congregações, haviam também irmãos da IMW de Safira - "mãe" da congregação do baixo Gaspar, pastoreada pelo Pastor Adriano Silva; e da IMW de Barra - "mãe" da congregação do alto Gaspar, pastoreada pelo Pastor Renato Jabor. Ambos os pastores dirigiram o culto. O SD do Distrito de Muriaé, Pastor Robson de Melo, se fez presente, juntamente com sua esposa irmã Luz Aurora. Foi realmente uma grande festa espiritual!

Após o culto e os cumprimentos, seguimos para jantar no Restaurante do Netinho. A semelhança do almoço - Célia e eu nos deliciamos novamente com a famosa tilápia grelhada e frita ali servida - agora patrocinado pelos dois pastores e suas esposas (Pastor Renato Jabor e Ducileia; e Pastor Adriano Silva e Missionária Tania). E assim, saímos para dormir; pois, teríamos que viajar no dia seguinte bem cedo.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 25 de fevereiro de 2012

A maior herança

"Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão" (Salmos 127:3)
 
Tenho ouvido de pais que deixaram grande herança aos seus filhos. Mas, meus pais não me deixaram herança. Melhor dizendo: Tanto meu pai como minha mãe deixaram herança, sob a forma de quatro casas; mas, foram repartidas entre os meus irmãos mais novos. Portanto, é neste sentido que digo que não recebi herança da parte dos meus pais. No entanto, eu seria injusto se não declarasse que recebi dos meus pais alguns valores inegociáveis. E esta foi realmente a melhor herança que recebi de ambos!

Da minha mãe, que foi minha filha na fé, recebi o testemunho de uma vida que amava a Deus e a Ele se entregava - sem esmorecer nem desistir. O seu esforço em ir à casa do Senhor, mesmo em seus últimos dias de grave enfermidade, era admirável. Do meu pai, também meu filho na fé, recebi a inserção de valores morais de uma tremenda importância para minha vida. O seu exemplo de honestidade sempre me fizeram admirá-lo; e me marcaram profundamente. São valores que jamais poderei negar!

No entanto, a maior herança, eu a recebi do Deus que me ama tanto a ponto de ter me resgatado - por meio de Cristo Jesus meu Senhor - de minha vã maneira de viver. E a herança a qual me refiro, foi ter me concedido a graça de agregar ao meu projeto de família os meus quatro filhos: Sebastião Calegari Filho, Elizeu Calegari, Ezequiel Calegari e Daniela Calegari Rosendo de Oliveira. E afirmo que esta é, sem dúvida, a minha maior herança; pois, foi Deus que me deu!

E que eu aqui consiga me fazer entender, que:

Quando digo que os meus filhos são herança do Senhor - não estou querendo dizer com isso que são perfeitos; pois, sei muito bem que eu também não sou. Mas, que... Cada um deles foi Deus que me deu; e isto traz grande prazer ao meu coração!

Quando digo que os meus filhos são herança do Senhor - não estou querendo dizer com isso que eles são os melhores filhos do mundo; pois, também não sou o melhor pai do mundo. Mas, que... Cada um deles foi Deus que me deu; e isto me basta!

Quando digo que os meus filhos são herança do Senhor - não estou querendo dizer com isso que eles não me frustrem as vezes; pois, sei que também os tenho frustrado muitas vezes. Mas, que... Cada um deles foi Deus que me deu; e ponto final!

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Julgamento temerário

Um dos assuntos que sempre me tem preocupado, em minha condição de pregador do evangelho, é o de abordar questões ligadas a conduta humana; especialmente aquelas ligadas a posição de certos grupos cristãos nos dias atuais. Entendo que, como líder espiritual que sou, preciso me posicionar com relação ao que vem acontecendo na igreja do Senhor em nossos dias. Todavia, reconheço, sempre existe a possibilidade de enveredarmos pelo terreno minado do juízo temerário. E isso é algo perigoso!

Tenho percebido que é muito comum o modo como alguns cristãos se apressam em julgar outras pessoas e até mesmo igrejas e líderes evangélicos. Alguns fazem isso de modo claramente impiedoso. Existem cristãos que chegam até a utilizar termos chulos e palavreado de baixo calão, ao se referirem a pessoas sob a mira do seu julgamento - chegando a vociferar acusações e insinuações injuriosas até mesmo contra pessoas de moral e conduta reconhecidamente ilibada. Isso é algo assustador!

Quando volto os meus olhos para o sermão da montanha e leio aquilo que Jesus nos diz acerca o juízo temerário, sinto em meu coração um grande peso de temor. Eu sempre soube que, aos olhos de Deus, não existe um justo sequer sobre a terra; e que não existe uma só pessoa salva por Jesus, que não o tenha sido tão somente pela graça de Deus. Portanto, estou convencido de que julgar precipitadamente alguém é algo muito mais sério e comprometedor do que possamos imaginar. Misericórdia!

Só para ajudar os seguidores e leitores do meu blog a entender o meu sentimento concernente a este assunto, gostaria que lessem e refletissem o texto sobre o qual fiz referência:

"1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão" 
(Mateus 7.1-5).

Ao expor esta minha preocupação, não estou procurando impedir, ou mesmo inibir, o senso crítico de quem quer que seja - contanto que o mesmo seja construído sobre a justiça de Deus e baseado na doutrina do Senhor; e não sobre opinião preconceituosa ou meramente humana e carnal. Se este texto foi lido com atenção e meditação, todos hão de convir comigo de que existem razões para a advertência que faço.

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Visita ao RESPIRE 2012 na Grande Vitória

Tenho tido a oportunidade de participar, desde sábado a noite, da edição do RESPIRE 2012 promovido pelos três Distritos wesleyanos da Grande Vitória: Guarapari, Vila Velha e Vitória. Tem sido um tempo de reflexão mesclado com adoração, comunhão e descanso. Muitos membros das diversas igrejas wesleyanas daqui tem acompanhado os pastores e familiares dos três distritos - liderados pelos três Superintendentes Distritais: Geraldo Lúcio, Jorge Perim e Marcus Ely!

Célia e eu, juntamente com o nosso filho Pastor Calegari, nossa nora Simone e nossas netas Isabela e Rafaela, estamos aproveitando este tempo para estar juntos. As ministrações, sem exceção, tem trazido bênçãos a todos os retirantes. Alguns Ministérios de Louvor de igrejas dos três Distritos, estão demonstrando o nível de espiritualidade e dedicação ao Senhor que marcam o seu trabalho para Deus.

Outro setor de grande competência é o de alimentação, segurança e limpeza. Ambiente sempre limpo; segurança 24 horas; bem como, comida farta e variada, com muita fruta, tem contribuído para a alegria de todos nós. Sou grato a Deus pela equipe de cozinha da IMW de S. André, sob o pastorado do Pastor Jorge Perim; a qual, liderada pelo Aspirante Josué, demonstra o "por que" de ter sido convocada para cuidar das refeições.

Outra coisa que me traz uma satisfação muito especial: O atual estado geral do Acampamento Salém! Vale a pena ver e sentir a diferença existente entre aquele "Salém" que encontramos a três anos atrás e o "Salém" dos dias de hoje... Foram investidos mais de quinhentos mil reais nas obras; e os resultados são surpreendentes! Aos que o viram no estado em que se encontrava, só mesmo vendo como ele se encontra hoje para se ter idéia da sua transformação.

Louvo a Deus pela vida do casal Mota e Rita, por sua dedicação a esta missão que muitos consideravam impossível!

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Extrema corrupção nos últimos tempos

1 SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. 2 Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, 3 Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, 4 Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, 5 Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. 6 Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; 7 Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. 8 E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. 9 Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles" (II Timóteo 3.1-9).

A alguns dias atrás, recebi um comentário feito em uma das reflexões que costumo postar em minha página no facebook. Nele, a irmã Kelly Cristina Barbosa expôs sua preocupação com as contradições existentes entre o que alguns líderes pregam e a vida que vivem.

Tenho percebido que este tipo de conduta não é algo novo no cenário evangélico. Os  próprios apóstolos denunciaram este desvio de conduta em seus dias. O que realmente preocupa é o modo como isso vem sendo tratado por muitos segmentos evangélicos em nossos dias. Muitos olham a tentativa de se conciliar "dois pesos duas medidas" no procedimento dos cristãos como algo normal.

Portanto, estou de pleno acordo com Kelly Cristina Barbosa , quando ela taxa estas contradições de famigeradas. No entanto, ante o caminho escolhido por muitos cristãos, em linha com as práticas deste mundo, reconheço que não é um problema de fácil discussão; e, muito menos de fácil solução. Até porque, já na igreja primitiva, este tipo de desvio era denunciado pelos apóstolos.

Entretanto, aquilo que deveras me incomoda é ver este tipo de contradição se tornar cada dia mais comum na vida de muitos líderes; os quais - mesmo pregando em sua tribuna sobre "santidade como estilo de vida" - não conseguem trazer a essência de sua pregação para a sua própria vida e a de sua família; vivendo eles mesmos, juntamente com esposas e filhos, uma outra realidade...

E assim, vemos líderes em perigoso contrassenso, exibindo aos que os rodeiam um gritante conflito entre o seu "modus vivendi" e o seu "modus operandi"... E, com isso, contribuindo de modo triste para o enfraquecimento do rebanho do Senhor sob seus cuidados pastorais... Como se um dia não houvessem de prestar contas ao Supremo Pastor por este lamentável desvio!

E deste modo, à semelhança de muitos mestres e governantes dos nossos dias, não conseguem entender que, no tocante as coisas de Deus, a prédica e a prática precisam estar em sintonia - para que o bom nome do Evangelho seja preservado. Que o Senhor tenha misericórdia de todos nós!!

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Todo o cuidado é pouco!

É algo muito comum - vermos nas redes sociais, cristãos tecendo comentários sobre os mais diversos assuntos; alguns, inclusive, emitindo conceitos teológicos e doutrinários  de conteúdo no mínimo indeterminado. Outros, fazendo severas críticas a igrejas de reconhecida contribuição à causa do Evangelho e a doutrinas cristãs consagradas ao longo da história da Igreja - sem que saibamos de onde são e a que grupo pertencem; ou se são ovelhas de verdade, pastoreadas por um pastor de caráter bíblico.

Tenho percebido que - em muitos destes casos que tem me preocupado - é crescente a interação de outros cristãos; os quais começam a comentar com eles sobre os assuntos e notas que postam, inclusive abonando a sua opinião, sem ao menos saberem de onde são e que tipo de pessoas são, correndo o risco real de serem ludibriados em sua ingenuidade mesclada com boa fé.

Falando por mim mesmo, penso que - ao estabelecermos contato com alguém na grande rede - deveríamos submeter o nosso juízo a alguns critérios, tais como: "Esta pessoa "existe" de fato; ela é quem diz que é? Ou, esta pessoa vive ocupada com coisas saudáveis; trabalha, estuda, tem uma vida equilibrada? Ou, Esta pessoa é conhecida como uma pessoa de bem; ela merece confiança? Ou, Esta pessoa faz parte de uma igreja evangélica respeitável; é submissa a sua liderança e desempenha ministério de edificação em sua igreja?". Na verdade, sabemos de "crentes" que não são vistos como cristãos verdadeiros - nem mesmo pela própria família - no lugar em que moram.  O povo mineiro, notabilizado por seus famosos ditados, costuma dizer que "só conhece alguém de verdade, aquele que comeu um saco de sal com ele".

Todos nós sabemos de casos - alguns de repercussão nacional e até mundial - de casais que contrataram serviços de babá para seus filhos pequenos; para depois descobrirem, através de câmeras instaladas na casa, que os seus filhos eram maltratados e até brutalizados. E, na grande maioria dos casos, eles não submeteram o seu juízo a critérios como os que alinhavei acima. Realmente, nenhum relacionamento a distância deve evoluir, se não temos meios de conhecer a pessoa com quem mantemos este tipo de contato. É que corremos o risco de sermos enganados!

Existem inúmeros casos de jovens, adolescentes e até mesmo crianças que - mantendo um inocente contato com alguém pela internet - acabam sendo enredados por um jogo de palavras e de sedução; vindo mais tarde a descobrir que foram terrivelmente enganados. Em alguns casos passam a conviver com dolorosas sequelas; e isto, quando conseguem escapar com vida. É como diz um outro ditado muito conhecido: "Precaução e caldo de galinha não faz mal a ninguém".

Fato é que as redes sociais funcionam como veículos transportadores e mediadores dos mais diversos tipos de pessoas. Portanto, é importante sabermos que - assim como o diabo é muito mais perigoso como "anjo de luz" do que como "lobo mau" - assim também, devemos estar precavidos contra aquela "conversa macia" e "palavreado encantador". Não queremos aqui lançar dúvidas sobre aquelas pessoas que podem até ser boa gente. No entanto - até sabermos "quem é quem" - todo o cuidado é pouco!

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

RESPIRE 2012

Tenho acompanhado, com alegria e expectativa, a intensa movimentação que se verifica em muitas igrejas e na maioria dos distritos da II Região, visando a realização do Retiro nos dias de carnaval. É uma prática tradicional nas mais diversas denominações e igrejas - a realização de retiros - para se contrapor a dias de tanta promiscuidade e licenciosidade.

Ainda me lembro que criei, a quase quarenta anos atrás, a sigla "RESPIRE" - quando pastor em Governador Valadares, na década de 1970 - para personalizar e identificar os retiros que promovíamos nesta ocasião. A sigla "RESPIRE" significa: "Retiro ESPIritual de REnovação" (as letras separadas e reagrupadas como se vê em negrito).

O objetivo do RESPIRE sempre foi conjunto: Reunir os irmãos (especialmente os jovens) em um lugar retirado, para atividades espirituais mescladas com descanso e lazer. Ao longos dos anos, tenho percebido que o RESPIRE é uma boa oportunidade para incrementar comunhão e buscar avivamento espiritual. Muitos são, inclusive, batizados com o Espírito Santo.

E assim, conclamo os pastores e os líderes de departamentos a que se empenhem no sentido de oferecer qualidade e excelência aos retirantes; preferencialmente em lugares aprazíveis e confortáveis. Também é importante oferecer uma boa alimentação; e fornecimento ininterrupto de água, suficiente para a higiene, limpeza e refrigério; e um bom planejamento.

Entretanto, não deve haver descuido no monitoramento dos retirantes; com segurança adequada em todos os momentos. Devem ser também evitados: Conflitos entre retirantes; proximidade entre os alojamentos - feminino e masculino; bem como o afastamento de casais de jovens além dos limites observados nas regras do RESPIRE, para que não haja dissabores.

E que a Palavra de Deus e a oração estejam sempre presentes, permeando todas as atividades promovidas pela liderança do RESPIRE. Inclusive, com pessoas encarregadas de cuidar que as orações sejam feitas e que a Palavra de Deus seja lida e estudada - tanto em devocional coletiva como em particular. Quanto ao mais, desejo um RESPIRE cheio de unção e alegria a todos!

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Refletindo sobre Porta & Caminho

Hoje pela manhã, enquanto eu orava a Deus, veio ao meu espírito este texto: "E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem" (Mateus 7:14). Busquei entender o que o Senhor procurava me falar através dele. Cheguei a este discernimento:

Sendo a porta estreita, muitas coisas que fizeram parte da nossa velha vida terão que ser descartadas - quer queiramos, quer não! Não há como conciliar os interesses sagrados do Deus eterno como os nossos interesses mesquinhos e levianos. Portanto, precisamos "aliviar o navio" (jargão marinheiro).

Sendo apertado o caminho, não há como transitar por ele levando bagagem em excesso. Como andar com liberdade por um caminho estreito, levando futilidades conosco? Precisamos separar aquilo que é indispensável daquilo que é descartável - e jogar o lixo fora! Pois, "lugar de lixo é no lixo" (jargão popular).

Ainda me lembro, quando era um crente novo iniciando na fé - no tempo em que os pregadores doutrinavam utilizando figuras simples da vida, assim como fez Jesus - de ter ouvido um homem de Deus dizer que "o caminho da vida é tão estreito; mas, tão estreito, que... Se alguém levar no bolso uma garrafa de aguardente ou um maço de cigarro, não consegue andar por ele". E este mesmo pregador também ensinou que "a porta da vida é tão baixinha; mas, tão baixinha, que... Só se consegue entrar por ela aquele que estiver de joelhos". Bons tempos aqueles...

Mas, os mestres se tornaram poderosos... E resolveram competir em grandeza e opulência com os poderosos deste mundo! Hoje ensinam que - para entrar pela porta do céu - você precisa fazê-lo como "vencedor" - em pompa e grande estilo! Ensinam também que - para transitar o caminho do céu - por que entrar despojado; se você pode percorrê-lo com um carro importado? Um BMW talvez... Isto, se tiver uma grande fé! Percebo que os tempos mudaram...

E me pergunto: A quem interessa mais estas mudanças de conceito? Quem se beneficia mais com esta fútil esperança... Serão os carismáticos promotores de "tudo isso e o céu também"? E... Até quando isso irá perdurar? No entanto, de uma coisa estou absolutamente convencido: Tais infundadas espectativas não conseguirão transpor os umbrais da morte!

"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas" (Apocalipse 3.22).

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Contradições preocupantes

Postei no facebook uma palavra profética sobre as contradições em meios às quais vivemos. Ao examinar melhor o conteúdo da postagem, achei por bem estende-la ao blog - coisa que faço agora - porque...

Tenho pensado muito nas contradições deste mundo em que estamos vivendo. Algumas canções gospel cantadas em ambientes profanos... Uma belíssima história bíblica na TV, patrocinada por uma grande cervejaria... Líderes ditos evangélicos defendendo publicamente o aborto e a ingestão de bebida alcoólica... Moços e moças evangélicos praticando o sexo fora do casamento... Canções de louvor falando sobre tudo e... Sobre nada! Para onde caminha este povo?

O Major Paulo Franke, do Exército de Salvação, residente em Hämeenlinna - na Finlândia - fez um comentário sobre o assunto, nestes termos: "Depois que li teus pensamentos, postei uma profecia de William Booth, fundador do ES, aproximada do que escreves". Eis o teor de sua postagem no facebook:

Profecia de William Booth, fundador do Exército de Salvação/Salvation Army:
"I consider that the chief dangers which confront the coming century will be religion without the Holy Ghost, Christianity without Christ, forgiveness without repentance, salvation without regeneration, politics without God, and heaven without hell”. by William Booth.

E sua tradução para o português:
"Considero que o pior perigo a ser confrontado no próximo século será religião sem o Espírito Santo, cristianismo sem Cristo, perdão sem arrependimento, salvação sem regeneração, política sem Deus, e céu sem inferno". by William Booth.

Realmente! Ao pararmos para refletir sobre tudo o que vemos acontecer entre cristãos evangélicos, chegamos à triste constatação de que vivemos um tipo de cristianismo eivado de conceitos orientais e sem fundamento nas Escrituras. São muitos os que buscam se libertar de seus medos, repetindo mantras de autoajuda e frases de conotação positivista - como se tais artifícios pudessem mudar o seu interior, preenchendo o vazio que trazem dentro de si. É a "temporada do vale-tudo" em prol do bem-estar!

E devido a este "caminho largo" promissor, muitos líderes estão adotando e incentivando tais práticas de conveniência; e assim agem, porque tais procedimentos tornam o seu "trabalho" mais fácil e sem esforço. Pois, enquanto suas ovelhas seguem repetindo os seus mantras e "canções de louvor profético", eles podem investir em diversão e descanso, para si e sua família, sem sentimento de culpa. Triste isso!

Mas... Existe uma reforma em curso! Pois, em meio a tudo isso, existe um povo que não se vende; que não se corrompe; que não desiste de professar a fé bíblica! É uma extirpe de cristãos que, com toda a certeza, estaria na arena do coliseu romano - caso tivesse vivido naqueles dias de perseguição e martírio. Estou certo de que vivemos um tempo de decisão! É hora de definirmos de que lado estamos - em meio a tudo isso. E que o Senhor nos ajude a fazer a escolha acertada - pelo Seu Espírito!

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Irmã Odete foi ao encontro do Pai

Faleceu a querida irmã Odete Delmiro dos Santos - esposa do querido irmão Daniel Jorge; e mãe dos pastores: Fabiano (IMW de Cataguases) e Isaque (IMW de Itabira); e de José Arildo e Roberta. Tendo sido o seu corpo velado e sepultado em Astolfo Dutra.

A família Santos tem sido uma família de brilhante testemunho cristão na cidade de Astolfo Dutra; fato que contribuiu em muito para a edificação e o crescimento da Igreja metodista Wesleyana nesta cidade mineira da zona da mata. Segundo o Pastor Isaque - um dos seus filhos - ela foi uma mulher que ensinou os filhos a andarem no caminho do Senhor e sempre honrou a Deus com sua vida.

À família enlutada, os nossos pêsames. Estaremos orando por estes queridos irmãos - agora privados de uma vida tão especial - procurando confortá-los com este texto bíblico: "Preciosa é à vista do SENHOR a morte dos seus santos" (Salmos 116.15). E, com este texto, a certeza de que o Espírito Santo de Deus há de consolá-los em momento de tamanha perda e de tão grande dor.

Bispo Calegari & Maria Célia

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Se Deus te deseja, não fuja dele

"1 E VEIO a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: 2 Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença. 3 Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do SENHOR para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do SENHOR. 4 Mas o SENHOR mandou ao mar um grande vento, e fez-se no mar uma forte tempestade, e o navio estava a ponto de quebrar-se"
(Jonas 1.1-4).

Hoje pela manhã, enquanto orava e colocava perante o meu Deus os assuntos de sempre, comecei a interceder por aqueles que - tendo sido chamados pelo Senhor - procuram se esquivar de tão grande honra concedida por Deus; utilizando os argumentos que conseguem reunir em volta de si, como se os mesmos fossem suficientes para justificar sua evasiva. Não sei qual foi a razão deste rasgo de intercessão; mas, confesso, fiquei preocupado...

Não sei o "por que" desta advertência. Mas, a mesma soou clara como uma montanha coberta de neve banhada pela luz do sol. Se Deus te deseja, não fuja dele! Fui levado a me lembrar de algumas fugas conhecidas. Mas, detive-me naquela que considero a fuga clássica: A fuga do Profeta Jonas. Enfim, como podemos ver Jonas no episódio de Nínive: Profeta turrão... Ou, Profeta fujão? Não sei... Mas que aquele homem de Deus fez as duas coisas, isso sei que fez!

Enquanto orava, pensava no modo como Deus procurou colocar a locomotiva do profeta nos trilhos do Seu propósito. É verdade! Em sua fuga alucinante, o profeta não percebeu que descarrilhou. Ele começou a descer... Foi descendo, descendo, descendo - como geralmente acontece com todo aquele que procura fugir de Deus. Realmente, não existe rota de fuga para alguém a quem Deus deseja. Portanto, se Deus te deseja, não fuja dEle!

No propósito de recolocar o profeta no rumo certo, Deus usou um meio exclusivo e singular. Na verdade, Deus moveu, literalmente falando, as forças da natureza, para impedir a loucura do profeta. Sim! porque fugir de Deus é um ato de insanidade, antes de se tornar um ato de rebeldia. E, naquele momento infeliz de sua vida fugitiva, um pequeno barco em um mar bravio não seria esconderijo seguro. E as grandes ondas se ergueram, sob o comando de Deus!

Se considerarmos o poder e o agir do nosso Deus, vamos chegar a conclusão de que o grande peixe é apenas um detalhe. Na verdade, quando Deus é obedecido, tudo converge para o bem. E assim, o grande mar, as grandes ondas e o grande peixe estavam postados no lugar em que deveriam estar - para acolher em meio a tormenta um profeta sem rumo... Um profeta fujão, sem a aprovação do Deus que o desejava. E Jonas logo descobriu que não é nada bom fugir de Deus.

Graças a Deus, o bom senso retornou ao velho profeta de Deus! E quando o bom senso retorna, a primeira coisa que um homem de Deus faz é reconhecer o seu pecado; em seguida, ele se curva perante a majestade de Deus. Então, começam a brotar de seus lábios as palavras de humilhação e de entrega que o recolocam de bem com Deus. E a vida continua!

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Refletindo sobre virtudes

A alguns dias atrás senti-me movido a postar, no facebook, uma reflexão sobre virtudes que temos; ou, que julgamos ter. No lugar da oração pude entender que, geralmente, damos muito mais valor às virtudes em si mesmas, do que aos frutos que podemos produzir através delas. A maioria de minhas postagens são fruto de oração. Não que eu faça postagens sem orar! O que quero dizer é que, na maioria das vezes, me levanto do lugar da oração para postar no facebook.

Tenho aprendido muito no lugar da oração! Posso afirmar, por experiência própria, que, ali, as coisas ficam mais claras. Nesse dia, tive a felicidade de entender um pouco mais a verdadeira razão da presença de dons e virtudes em minha vida. É verdade! Elas não estão em mim, como arranjo de flores em um vaso: Belas no primeiro instante; mas, murchando e secando com o passar das horas e dos dias. Aprendi, ali prostrado, que dons e virtudes são tipos de "ferramenta de trabalho". Através delas, eu posso edificar e enriquecer aqueles que estão a minha volta - contribuindo para tornar suas vida melhor - ou...

Então... Corro o perigo de me tornar narcisista. Pois, a medida que me deslumbro com minhas próprias virtudes, elas vão se transformando em espelho do meu narcisismo. Na verdade, sempre que me ponho a louvar minhas próprias virtudes, corro o risco de perder as poucas que ainda me restam. É isso mesmo! Se elas de fato existem, certamente que as pessoas a minha volta se darão conta de sua existência; e, quem sabe, poderão ser por elas inspiradas a glorificar a Deus. E, assim, a edificação por elas gerada - abençoando vidas - fará de mim o "bom cheiro de Cristo", nos que se salvam e nos que se perdem!

A Palavra de Deus afirma que "toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação" (Tiago 1:17). Portanto, Se possuo dons e virtudes, a coisa mais sensata que tenho a fazer é reconhece-los como vindos de Deus. E assim - convencido desta verdade - não chamarei a glória para mim mesmo; e, despojado, me deixarei usar para a edificação das vidas pelas quais Jesus morreu!

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Não consigo entender

Ainda a pouco me levantei do lugar da oração. Atualmente, estou orando em um novo lugar - mais aconchegante. Desta vez, não cantei enquanto orava. Não porque não quisesse; ou porque não pudesse cantar... Na verdade, nem me dei conta disso enquanto estava orando. Comecei louvando e, antes de mergulhar na atmosfera da intercessão, comecei a expor a Deus minhas dificuldades em lidar com preciosidades. E citei três coisas que não consigo entender.

"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor" (I João 4:8).

Não consigo entender o amor o amor de Deus - tão vasto que o mundo inteiro não conseguiria conte-lo... Não há como entender sua imensidade. Mais profundo do que as regiões abissais dos oceanos. Mais alto que os céus. Estou convencido de que não há como medi-lo ou sonda-lo. Como entender amor assim - capaz de se revelar ao pior dos seres humanos; ao mais vil pecador!

"Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens" (João 1:4).

Não consigo entender a vida, este dom de Deus - tão cheio de misterio... Tão cheio de cor! Não há como entender sua nuança. Não consigo entender o planar de uma águia; ou a vida em um inseto... Quanto mais a vida humana! E ao contemplar o voo acrobático das andorinhas, ao fim de uma tarde de verão, percebo o quanto a vida é cheia de beleza! Tudo isso é demais para o meu entendimento!

"Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo" (Efésios 4:7).

Não consigo entender a graça de Deus - tão maravilhosa em sua manifestação... Tão envolvente! Ela consegue abarcar com um mesmo abraço - pobre e rico; criança e idoso; nórdicos e africanos; bandido e mocinho; vítima e criminoso... Homem e mulher! Na cruz, ela se manifestou aos dois ladrões condenados. O que ficou de fora - ficou, não por ser culpado, mas... Por te-la recusado!

Após confessar aquilo que não consigo entender, comecei a interceder - como sempre faço em meus momentos de oração. Orei por meus tesouros mais próximos: A família que Deus me deu! Orei por meus companheiros de liderança: Os doze do Conselho Geral e os vinte do Conselho Ministerial Regional. Orei por meus amigos e irmãos: Da II e das demais Regiões; do facebook; e também pelos seguidores e pelos leitores do meu blog (cheguei a me lembrar de alguns pedidos feitos).

E orei... Orei até sentir que o meu tempo de oração havia terminado (como se fosse possível concluir um período de oração). Enfim, saí do lugar da oração sem ter melhorado o meu conhecimento sobre a vida, o amor e a graça. Mas... Levantei-me muito mais preparado para lidar com toda essa riqueza.

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Minha graça te basta

"7 E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. 8 Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. 9 E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. 10 Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte"
(2 Coríntios 12.7-10).

Hoje pela manhã encontrei uma foto, postada pelo Pastor Jose Ribeiro, com o texto de 2 Coríntios 2.10 impresso. Enquanto meditava nele - buscando nas Escrituras Sagradas o seu contexto postado acima - comecei a refletir sobre aquilo que Deus sempre faz em prol dos Seus filhos; dando-lhes, mediante a Sua graça, o poder que se aperfeiçoa na fraqueza.

Enquanto procurava examinar com atenção o texto, o Espírito Santo me fez lembrar que em diversas ocasiões - ao longo de minha vida - tenho ouvido, em momentos de grande prova, a voz de Deus sussurrando em meu íntimo; e dizendo: "A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza" (Rom 12.9).

Tenho absoluta certeza que a nossa declaração de dependência de Deus, mesclada com o nosso reconhecimento - de que somos fracos e incapazes por nós mesmos de vencer sozinhos - é que move o Seu braço forte em nosso socorro. Por tudo aquilo que já tenho experimentado, posso afirmar, em alto e bom som, que o conforto trazido por esta voz nos capacita a escalar a mais alta montanha! Portanto "de boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo".

E assim, imbuído destas duas certezas - de que sou incapaz por mim mesmo e de que o meu Deus me fortalece com o Seu poder - seguirei em frente, não me intimidando ou desanimando nas "fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte" (2 Coríntios 12.10).

Realmente, este texto me traz um grande conforto, quando me sinto frágil e vulnerável, pelo fato de me trazer da parte de Deus a palavra profética que diz: "a minha graça te basta"! Em momentos assim, não tenho motivos para temer; pois, sei que Deus me concede a Sua força... E então, sigo caminhando!

Cordialmente;
Bispo Calegari