terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Vozes destoantes


Estive durante algum tempo no lugar de oração; e já não é de hoje que, enquanto eu oro, percebo fortes oposições ao meu período de oração a sós com Deus. Em momentos assim, certas vozes procuram chamar a minha atenção para as adversidades e provações que tenho sofrido nesta vida. Mas, glória a Deus, não me deixo influenciar nem intimidar. Eu conheço o Deus a Quem sirvo; e, conheço muito bem o mentor destas vozes destoantes.
 
Em minha vida devocional, sei o quanto minhas orações são questionadas e combatidas pelos interlocutores de Satã. Não nego que, as vezes, me sinto frágil ante tais tentativas. Mas, por outro lado, sempre vejo o cuidado de Deus para comigo e para com os que estão ligados a mim; e isto é suficiente para me fortalecer. Portanto, minha luta maior é não perder o foco da oração (louvor, adoração, ações de graças, intercessão; comunhão com o Pai).
 
Estou plenamente ciente de que a Palavra de Deus me exorta a ser firme, declarando que "nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente" (II Coríntios 4.17). E seguindo a mesma disposição, Paulo procurava incentivar os discípulos: "confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus" (Atos 14.22). Aleluia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário