quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

O melhor de Deus


Senhor, senti necessidade de correr ao encontro do lugar de oração. Enquanto eu oro, sinto que o fim se abrevia; mas... Não me refiro ao meu fim; ou ao fim de quem quer que seja; e sim, o fim de todo este sistema corrompido, desgastado e condenado. Preocupa-me saber que já não temos muito tempo para definir de que lado estamos e a quem de fato servimos. E neste mundo marcado por insegurança e contradições, não vejo outra saída além daquela que nos leva à tua Presença; em plena rendição, Senhor.
 
Pai, é triste ver o teu povo claudicando entre os dois caminhos; movidos por promessas de vida fácil e próspera, em um mundo que não pode garantir aquilo que os mercadores deste tempo prometem, sem se darem conta do risco que correm, enquanto esperam por melhores dias. E alguns obreiros do Senhor - outrora santos - vivem e ensinam como se não houvesse acerto de contas; ou juízo vindouro; ou arrebatamento; ou, aquela justiça que sentenciou Ananias e Safira em plena dispensação da graça.
 
Vejo o curso desta vida, como ondas do mar, levando e trazendo restos de naufrágio... E homens e mulheres sendo atraídos e embalados por tais águas - colhendo detritos à beira da praia - deslumbrados, como se não tivessem já encontrado o verdadeiro tesouro. Eles nem se dão conta de que já receberam o melhor de Deus: Um ser vivo e chamado Jesus; e ficam catando na "praias" e "lixões" do mundo, aquilo que dizem ser "o melhor de Deus"; mas que, na verdade, é apenas o melhor desta vida pobre e sem futuro.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário