segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Igreja no banco dos réus


Tenho me preocupado com a freqüência com que, nos últimos anos, a Igreja do Senhor tem sido levada ao "banco dos réus". E o motivo da minha apreensão nada tem a ver com perseguições que ímpios de carteirinha vem movendo contra ela ao longo dos séculos. Não é difícil encontrar nos registros da História, juízo severo e impiedoso levado à cabo em diversas épocas; por magistrados e governantes - filósofos, religiosos, ateus - contra os diversos segmentos da Igreja de Cristo. Até entendo o rigor de tais perseguições contra a igreja; pois, todos sabemos que sua missão conflita com os interesses das trevas predominantes neste mundo condenado.
 
Na verdade, minhas preocupações - independente dos motivos de tais ações - é com o tipo de pessoas autoras das mesmas. Vejo crescer o número de crentes - pastores inclusive - que levam a Igreja ao banco dos réus! O que significa isso, meu Deus? Percebo que, em sua grande maioria, as ações movidas buscam reparo moral ou reparo pecuniário. Sem aqui considerar o mérito, o triste fato é que aumenta a incidência de pessoas que - outrora abençoadas na Igreja de Deus - em dado momento decidem levá-la a outros tribunais que não sejam o de Cristo.
 
Penso conhecer o Deus de justiça o suficiente; para saber que estes atos profanos trarão conseqüências ruins no futuro, ainda que proporcionem alguma compensação material imediata (até mesmo Judas - o traidor - teve por um breve tempo as suas trinta moedas). Na verdade, por aquilo que já tenho visto, preocupa-me o resultado final sobre a vida de "filhos de Deus" que ousam expor a Igreja de Cristo perante o julgamento dos homens.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário