segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Direção de Deus

 
 
 
Ao me prostrar no lugar de oração em uma destas manhãs, o Espírito me levou a interceder pelos pastores. Enquanto eu intercedia, fui levado a a considerar as responsabilidades e os conflitos que pesam no coração de um obreiro verdadeiramente chamado por Deus. Na verdade, com a alma temerosa, senti o quanto as vidas sob nossa influência ficam a mercê daquilo que dizemos e daquilo que fazemos. E não há como evitar esta relação; visto que somos chamados por Deus para exercer a função de sal e luz. Nem mais, nem menos!
 
Então, me dei conta de que o grande desafio de um verdadeiro pastor; é saber quando deve falar e quando deve silenciar; quando deve ir ou quando deve ficar... Algo aparentemente simples; todavia, bastante comprometedor. Digo isso, porque é algo bastante comum um homem de Deus errar e induzir ao erro: Seja, quando vai a algum lugar onde não deveria ir; seja quando não vai a um lugar no qual Deus o quer usar. E ele erra muito mais, ao falar em ocasiões quando deveria silenciar; e, ao silenciar, quando deveria falar.
 
Enquanto eu orava sobre esta questão; pude perceber que as probalilidades de erro evoluem, na justa medida em que um homem de Deus deixa em segundo plano a direção de Deus em sua vida; passando a se guiar por intuição ou dedução. Então, ao me erguer do lugar de oração, sai convencido de que o conhecimento e a experiência podem até nos ajudar na avaliação de um ou outro caso rotineiro; todavia, sem a direção do Espírito de Deus, erraremos sempre na maioria dos julgamentos que fizermos e das decisões que tomarmos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário