segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Um assunto puxa outro


Nesta manhã, o meu espírito se voltou para o sentido e relevância da missão que me foi dada por Deus: Pastorear o Rebanho do Senhor. Comecei a pensar no pastoreio e em sua complexidade; confesso que me assustei. E isso porque, segundo o meu entendimento, não existe missão mais compensadora e - ao mesmo tempo - mais comprometedora. E digo isso, baseado nas inegáveis razões que seguem.
 
Sim! A missão de pastorear o rebanho do Senhor é por demais compensadora! Não existe uma ocupação sobre a face da terra que traga em seu bojo mais promessas da parte de Deus, do que cuidar de vidas que Deus nos confiou. Abençoamos e somos abençoados quando afagamos uma criança; quando compartilhamos valores espirituais com um adulto; ou reverenciamos um idoso... Enfim, é compensador cuidar de vidas.
 
Mas, como eu afirmei, a missão de pastorear o rebanho do Senhor é também bastante comprometedora! Não existe uma ocupação sobre a face da terra que traga em seu bojo maiores advertências de Deus, do que cuidar de vidas. Amaldiçoamos e somos amaldiçoados quando maltratamos uma criança; quando perseguimos e injuriamos um adulto; ou, quando desprezamos um idoso... Enfim, é amaldiçoante escandalizar vidas.

No dia em que postei esta palavra pastoral em minha página no "facebook"; uma irmã comentou, observando que a foto postada trazia uma frase do Chico Xavier. Percebi respeito e amor em seu questionamento, ao fazer a seguinte indagação: "Foi proposital ou equívoco?". Então, respondi-lhe que não fora proposital nem equívoco. Na verdade, declarações verdadeiras sobre muitas coisas, podem ser pronunciadas até por ímpios. Até mesmo os emissários de Satã podem fazer declarações verdadeiras, conforme vemos nas Escrituras:

O demônio fez uma declaração verdadeira sobre Jesus: "Dizendo: Ah! Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste a destruir-nos? Bem sei quem és: O Santo de Deus" (Lucas 4.34). Outro caso semelhante é o da mulher que tinha um espírito de adivinhação: "Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo" (Atos 16.17).

Naquela altura, procurei demonstrar a esta querida irmã que uma declaração verdadeira não perde o seu valor, pelo simples fato de ter sido feita por lábios impuros ou profanos. Ao longo de minha vida, tenho ouvido declarações verdadeiras saírem dos lábios de certos ímpios; e, para o meu lamento, declarações mentirosas saírem dos lábios de certos crentes. Aprendi que a idoneidade de alguém não credibiliza as mentiras que profere; assim como a verdade dita por um ímpio não se torna menos verdadeira devido a isso.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário