quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Casamento abençoado


A semanas atrás, após ter passando algum tempo em oração, procurei refletir sobre o que sinto ser base ideal em um projeto de casamento. Porque, de fato, preocupa-me o modo e a razão pela qual muitos jovens cristãos estão a se casar hoje em dia. É crescente o despreparo - tanto espiritual como psicológico - em que muitos jovens se encontram ao dar este tão importante passo. Portanto, quero dizer duas coisas:
 
1. A um jovem cristão: Eu preciso dizer que um filho de Deus - ao se casar - não deve procurar uma amante ou parceira de sexo para satisfazer necessidades que só devem ser satisfeitas com o casamento. Tampouco, deve se casar na esperança de conseguir uma cozinheira ou uma faxineira que resolva problemas comuns aos homens. Também não deve procurar encontrar em uma esposa, uma cúmplice para a prática de hábitos extravagantes ou para o exercício de práticas biblicamente ilícitas. Não é por aí que se vai!
 
2. A uma jovem cristã: Eu preciso dizer que uma filha de Deus - ao se casar - não deve fantasiar um casamento; a ponto de vê-lo como um modo de se libertar de obrigações inerentes a ambos os cônjuges. Portanto, não deve buscar encontrar o seu "príncipe" nas colunas sociais; ou nas páginas desportivas; ou mesmo na internet (facebook e outros sites de relacionamento). Isso quase sempre termina mal!
 
Na verdade, moço e moça devem seguir caminhos percorridos a séculos: Buscar a Deus sobre todas as coisas. Aí então, bem firmados em Deus, devem procurar o futuro cônjuge em lugares onde Deus esteja; e, sob a ótica da boa, agradável e perfeita vontade de Deus. E ter em mente que casamento é união de duas vidas - conjugadas e aliançadas - ambas caminhando e envelhecendo juntas ao longo do caminho!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário