terça-feira, 18 de setembro de 2012

Óleo invisível


A cerca de duas semanas atrás, ouvi de um dos pastores do Distrito de Caxambu que a mensagem que preguei na noite anterior, em Itamonte, foi a melhor que ele já me ouviu pregar. No entanto, ele jamais imaginaria o que eu senti no dia seguinte; enquanto pregava na congregação wesleyana de Sengo, em Pouso Alto. Foi como se eu pregasse para mim mesmo; como se meu espirito me ensinasse!

A Palavra de Deus expõe o sentimento do salmista Davi - ao pregar para si mesmo - exortando sua própria alma abatida a esperar em Deus: "Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus" (Salmo 42.11). Esta experiência do salmista me ajuda a entender aquilo que senti enquanto pregava.

Todavia, eu não saberia explicar com clareza o que senti. Foi como se um óleo invisível me atingisse - envolvendo-me e invadindo-me - fazendo com que eu me sentisse o mais abençoado dos homens! Percebi que aquela experiência foi muito mais para ser sentida do que para ser dita. É verdade! Ainda que eu quisesse contar com riqueza de detalhes; estou certo de que não saberia como relatar tudo o que senti!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Algumas vezes gozei de um sentimento semelhante enquanto ministrava o louvor em minha igreja IMW R20, quando ministramos o que fala conosco primeiramente, é maravilhoso e Deus derrama sua graça infinita...
    A paz Bispo!

    ResponderExcluir