quarta-feira, 6 de junho de 2012

Os falsos mestres


"1 E TAMBÉM houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. 3 E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. 4 Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo".
 (II Pedro 2.1-4)

Sei que existem cristãos que recriminam críticas e censuras feitas a líderes de renome, com o argumento de que são servos de Deus. Respeito o direito - tanto dos favoráveis como dos contrários - e procuro entender suas razões. Mas, segundo o meu entendimento, quando alguém prega o evangelho, exibindo sinais de ostentação e riqueza - especialmente se vive do evangelho - acaba por colocar-se a si mesmo no centro de tais polêmicas; sejam elas justas ou injustas. Bom seria se estes servos de Deus se conduzissem com discrição e modéstia - sem chamar tanto a atenção - até porque, este é o ensino bíblico aos líderes:

"1 ESTA é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. 2 Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 3 Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; 4 Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia 5 (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)".
(I Timóteo 3.1-5)

Tenho pensado naquilo que vem acontecendo em nossos dias. Nós, os líderes, precisamos estar atentos aos riscos que corremos e em nossa caminhada na senda da cruz. É preocupante perceber que os cristãos de hoje - de todos os tipos e tendências - mesmo tendo diante de si admiráveis exemplos de vida com Deus; também convivem com procedimentos reprováveis daqueles que deveriam ser "o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza." (I Timóteo 4.12). Isto é indiscutível!!

É preocupante! Vivemos um tempo de materialismo crescente. E, a meu ver, não há como mudar o curso deste rio. Vemos ostentação desmedida sendo insanamente apresentada como sinal da aprovação de Deus; e, cresce o número de líderes cristãos que bandeiam para as águas do rio da prosperidade. Não que eu condene a prosperidade em si mesma. Apenas me incomoda a excessiva busca do dinheiro dos fiéis...

"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores."
 (I Timóteo 6.10).

Eu me preocupo com a inversão dos verdadeiros valores da fé bíblica e cristã - consagrados na saga da Igreja Primitiva - hoje tripudiados por muitos, devido a escândalos envolvendo líderes cristãos. E a maioria destes escândalos tem sido por motivo fútil - envolvendo pura ostentação e ganância - maculando a honra e diminuindo o brilho do trabalho de alguns obreiros; os quais já foram mais nobres e eficientes na proclamação da Palavra de Deus - antes de enveredarem pelos novos caminhos que resolveram trilhar.

Não sei quando isso vai parar; Mas... Presumo saber até onde vai levar. Em tempos assim, vale a pena ler:

"17 Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva. 18 Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro, 19 Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo. 20 Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. 21 Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado".
(II Pedro 2.17-21)

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Senhor Bispo Calegari, a paz do Senhor Jesus.

    Bom, mais uma vez, prazerosamente, tive a chance de ler vossa publicação; saliento ser dígna de louvor pois apesar de saber e conhecer o homem de Deus que é o senhor, o que li foi pura inspiração de Deus em sua vida. Sr. Bispo, concordo muito com o senhor em tudo que escreveu, ainda deixo meu comentário a respeito da atitude de Jesus quando viu os homens negociando dentro do templo, Ele se indignou e expulsou a todos. Nâo vai tardar isso acontecer novamente, pois estão fazendo do meio evangélico uma forma de ganhar muito dinheiro pois quando se prega prosperidade é difícil deles deixarem de pedir dinheiro para o recebimento da vitória. Mas, senhor Bispo, deixo este assunto para homens cultos e que detem grande conhecimento da palavra, o que quero agora é buscar a Deus ainda mais, tentando a todo custo me libertar dos erros, falhas e pecados que ainda tenho. Mesmo sendo difícil admití-los ainda mais diante de vossa senhoria, mas, peço ao senhor que continue orando por minha vida, para que eu possa continuar servindo e buscando este Deus maravilhoso. Fique com Deus senhor Bispo.
    Perdoe-me algum comentário em que não tenha conseguido contemplar o que minha mente me trouxe a escrever.
    Respeitosamente,
    Presb. Vladmir Gusman

    ResponderExcluir