domingo, 22 de abril de 2012

Via crucis

 

Penso que todos os crentes, em todas as gerações, passaram por momentos em que - depois de avaliarem suas reais condições - chegaram a conclusão de que não há como seguir adiante sem a ajuda e proteção de Deus. Uma multidão incontável de homens e mulheres, ao longo da História da Igreja, tiveram também sua "via crucis" - percorrendo passo-a-passo o último trajeto para o fim. E a História testemunha sobre milhares de vidas que, em meio a mais intensa provação, permaneceram fiéis até a morte!

Ao examinar a saga da Igreja Primitiva, em seu momento de transição para o novo tempo que se seguiria às missões pioneiras, percebo dor e sofrimento na vida de seus mais importantes líderes. Acredito piamente que os dias e horas que antecederam o assustador encontro com as feras no Coliseu romano, levaram inúmeros cristãos a se prostrarem perante o Pai - buscando forças para também percorrer a sua "via crucis" - para poderem caminhar com firmeza no curto trajeto até a arena daquele lugar de dor.

Tanto da Idade Média como dos dias atuais, tem chegado até nós relatos de dor e sofrimento entre inúmeros cristãos - causados pela cruel perseguição que de quando em vez nos aflige. E a própria Palavra de Deus nos adverte: "E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições" (II Timóteo 3:12). Estas perseguições são mais ou menos intensas, dependendo do lugar onde vivemos. Todavia, para alguém que escolheu servir a Jesus, não há como evitar este caminho!

Ontem pela manhã, depois de orar e buscar a face do meu eterno Senhor, fiquei a pensar nos desafios que tenho pela frente. Percebo que eles se tornam mais altos e difíceis a cada dia. É como se eu estivesse escalando uma alta montanha. Não sei como continuar e nem se conseguirei terminar. Mas... Estou plenamente seguro de que Deus está comigo e que seguirá comigo até o fim. A agradável sensação de Sua doce Presença me dá prazer. E posso afirmar que isso me traz um grande conforto!

Portanto, não me assusto com os desafios; mas... Me assusto comigo mesmo - por saber o quão fragil e pequeno sou - devido a minha natureza humana. Por outro lado, sei que não preciso me preocupar se não conseguir chegar ao topo da montanha; pois, sei que - seja qual for o ponto a que eu tenha chegado - o meu eterno Deus me tomará pela mão e aliviará minhas cargas e dores. É isso mesmo! Sei que Ele está comigo em todo o tempo e que me levará consigo para sempre! Aleluia!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Caro Bisco Graça e Paz,
    Graças a Deus não sofremos perseguições como no passado, porém diante de tanta liberdade não é raro erarmos o rumo.
    E penso ser este o nosso maior desafio, continuar no caminho certo.
    Forte abraço e que o Mestre e Senhor Jesus Cristo continue guiando os homens chamados por Ele para orientar Sua Igreja.
    Quando tiver um tempinho dá uma passada no
    http://moisesfreitas07.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir