terça-feira, 6 de março de 2012

Eu estava orando

 

Esta manhã eu estava orando a Deus. Senti que era um momento diferente do habitual. Deus estava muito próximo. Foi difícil lidar com isso! Sua presença inspira e motiva - ao mesmo tempo em que adverte e disciplina. Como é bom aproveitar um momento assim... E, fui levado a refletir!

"Senhor, sendo eu quem sou: Um pecador redimido; e sendo Tu quem és: Um Deus redentor - sinto-me tão grato; pois, sei muito bem de onde me tiraste, onde me trouxeste e para onde me levas. Te adoro Senhor! Não sei e nem quero caminhar sozinho - nem mesmo dar o passo seguinte. Preciso tanto de Ti!

Lamento tanto não entender plenamente tudo aquilo que tenho visto e ouvido de Ti; embora saiba que minha ignorância não Te impede de me amar como me amas;
Lamento tanto não ser capaz de produzir os frutos que Te tornariam ainda mais feliz comigo; embora saiba que minha imperfeição não diminui o Teu cuidado em minha vida;
Lamento tanto não manter minha vida em perfeita sintonia Contigo; embora saiba que o meu injustificável descuido não impede o Teu falar ao meu quebrantado coração;
Lamento tanto ser como sou - um vaso incapaz de ser conforme o Teu desejo - lamento tanto!

Por outro lado, Senhor meu Deus, mesmo lamentando minha imperfeição; estou ciente de que a estrutura frágil do meu ser não me impede de Te buscar e Te dizer aquilo que preciso expor - abrindo o meu coração perante a Tua face - derramando diante de Ti a minha oração molhada; vivendo no limite do sobrenatural, na certeza de que Tu me ouves e estás comigo em todo o tempo. Obrigado Senhor!"

A oração continuou - intercalando louvor, adoração, intercessão - marcada por temor e quebrantamento. Senti grande prazer enquanto orava. Não o prazer ligado ao emocional; mas... Um prazer que não pode ser explicado: O prazer produzido pela Presença do Deus que nos ama em Cristo!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário