domingo, 4 de março de 2012

A humanidade e sua insensatez

Vivemos em um mundo saturado de maldade. E não é preciso ir muito longe para encontrar as evidências do mal que nos rodeia. E mesmo que este mal não nos atinja diretamente, sua presença tão próxima as vezes nos intimida. A Palavra de Deus nos adverte quanto a proximidade do mal que tenta nos acometer, nos seguintes termos: "Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta" (Hebreus 12.1). Precisamos pensar nisso!

O Apóstolo Paulo proclama que "do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça" (Romanos 1.18). E algo que muitos não conseguem perceber - é que a ira de Deus nem sempre é vista em sua fase inicial. Se examinarmos a história universal, vamos perceber que - na progressão da maldade e da iniquidade - antes de Deus agir com castigo, Ele se afasta e define a época e a medida do juízo a ser aplicado.

Talvez, devido a isso, corremos o risco de nos enganarmos; por não vermos atos continuados de rebelião e de selvageria sendo prontamente punidos por Deus. Geralmente, ao coração desatento, parece que o Senhor não se importa com a maldade humana. Mas, posso afirmar que não é bem assim! Tenho percebido que quando mais demorada é a execução do juízo divino, mais devastador ele poderá vir a ser! Portanto, todo o cuidado é pouco; pois, vinda é a hora do Seu juízo!!!

Verdade é que, na medida em que o homem se afasta de Deus, Deus também se afasta dele. E quando Deus se afasta do homem - este fica entregue aos seus próprios sentimentos. E, com os sentimentos humanos deturpados pela Queda, de suas entranhas emergem degenerações presentes na natureza caída do homem natural. E a Palavra de Deus aponta algumas destas aberrações:

Maldade crescente

A Bíblia declara que os homens, mesmo conhecendo a Deus, não o glorificam nem lhe dão graças. Eles se deslumbram com seus discursos insensatos e enlouquecem - substituindo o Deus eterno por imagem de homem corruptível, e de animais - mergulhando na idolatria e na feitiçaria. Segundo a Palavra, "Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si" (Romanos 1.24). E é gritante este estado de corrupção!

A Bíblia denuncia que os homens substituíram a verdade de Deus por conceitos mentirosos - criando os seus próprios deuses e negando o seu Criador - tornando-se as maiores vítimas do seu insano desvio. "Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza" (Romanos 1.26). Na medida em que o grau de afastamento vai se ampliando, cresce também o grau de depravação. Precisamos estar atentos isso!

A Bíblia  adverte que, devido a este afastamento, muitos anularam sua vocação heterossexual; inflamando-se em sensualidade uns para com os outros, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a inevitável recompensa. "E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm" (Romanos 1.28). É tão triste vermos as pessoas transformarem em seus ídolos aqueles a quem Deus rejeitou!

Concluindo

O Senhor Jesus, em seu sermão escatológico, nos adverte quanto a progressão da maldade nos últimos dias, utilizando os seguintes termos: "E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará" (Mateus 24:12). E assim, temos o testemunho da Palavra de Deus revelando com clareza esta tendência do ser humano - de fazer escolhas ruins e de nutrir sentimento perverso.

Para um melhor entendimento quando ao modo como Deus age, ante o distanciamento, desprezo e rebeldia do ser humano - deixo o texto seguinte, para uma cuidadosa leitura e reflexão:

A idolatria e depravação dos gentios

"18 Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. 19 Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. 20 Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; 21 Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. 23 E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. 24 Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; 25 Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. 26 Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. 27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. 28 E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; 29 Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; 30 Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; 31 Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; 32 Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem"
(Romanos 1.18-32).

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário