quinta-feira, 29 de março de 2012

Cuidado com os desejos

 

Tenho percebido que é próprio da natureza humana, desejar e viver em busca de elogios e glórias pessoais. E não é preciso ir longe para constatar este desejo intrínseco a todo ser humano - você e eu inclusive. Não estou querendo dizer com isso, que elogios não sejam importantes; ou, que sejam inconvenientes em si mesmos. Até porque existem ocasiões na vida de alguém, em que um elogio pode devolver a uma pessoa desanimada e ferida, o entusiasmo e a auto-estima perdida.

Portanto, quando me refiro a estes e outros desejos da natureza humana, minha intenção é alertar que os mesmos - quando deformados - podem alimentar a cobiça, a soberba e a mania de grandeza. De modo geral, existe nos desejos humanos a tendência de se corromperem. Um exemplo comum daquilo que afirmo é o desejo sexual - algo legítimo e pertinente à natureza humana; mas que é facilmente corrompido, levando muita gente às raias da obscenidade e da perversão.

O Senhor Jesus nos ensinou que "O que sai do homem isso contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, Os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem" (Marcos 7.20-22).

Tenho percebido que, devido a propensão da natureza humana para a degeneração, os desejos podem ser corrompidos pelos mais diversos fatores (sedução, mentira, influência negativa, caráter fraco, etc). E, nesse estado, eles são facilmente levados para o pântano obscuro e fétido da imoralidade e da profanação. E eu estou convencido de que esta é uma das principais razões de haver tanta inveja, soberba, maldade, violência e loucura - em qualquer lugar onde hajam pessoas vivendo em sociedade. E tenho a convicção de que esta deve ter sido também uma das principais causas da queda de Lúcifer!

Como comenta o Pastor Wellington Jennings, da IMW de Nova Floresta, na postagem que fiz sobre este mesmo assunto, no facebook; ao afirmar que o próprio Jesus elogiou e incentivou pessoas. Segundo ele,  muitas palavras do Mestre são palavras de elogio - seguidas de promessa de recompensa. No entanto - ele reconhece - devemos manter o equilíbrio ao lidar com os elogios; caso contrário, podemos ser traídos pela emoção, sendo levados ao "inchaço" e auto-engrandecimento devido a "massagem do ego".

Todavia, existe um bom antídoto para estes perigosos sentimentos: Basta mantermos o nosso coração aberto à censura e à crítica. Afinal de contas, quando nos abrimos a ouvir e considerar as vozes críticas e divergentes - ainda que as vezes injustas - isso sempre ajuda a colocar o nosso "ego" em seu devido lugar: Pendurado na cruz que lhe foi destinada - em algum ponto entre o altar do sacrifício e o altar do incenso, no lugar santo do tabernáculo.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário