sábado, 3 de março de 2012

Autoajuda

Tenho percebido que, no mercado literário, cresce a procura por livros de autoajuda. Seus preços variam, de acordo com fama dos seus escritores e o market que os promove. É fácil perceber que a busca por este tipo de literatura é crescente e tem enriquecido a muitos. Na verdade, a procura por tais livros sempre existiu - tanto em sua vertente filosófica como esotérica. E esse comportamento sempre alavancou esta fatia do mercado literário. O que me preocupa é sua crescente influência entre evangélicos!

Não nego que alguns desses livros possam dar alguma contribuição para melhorar a vida daqueles que são desajustados; ou que não conhecem a Deus. No entanto, desde a muito, sei que a Bíblia é o único livro capaz de repor o equilíbrio no homem em seu todo. Ela pode até não ter todas as respostas que o homem procura para as grandes questões desta vida. No entanto, seus ensinamentos são suficientes para reordenar e reorganizar a mente humana - libertando-a de seus conflitos. E disso tenho absoluta certeza!

O que de fato lamento é perceber que muitos pastores e obreiros estão reorientando os seus discípulos a se voltarem para os livros de autoajuda - pondo a Palavra de Deus em segundo plano. Isso é preocupante! E muitos daqueles que assim agem, chegam a utilizar avançados métodos de mercado para promover tais livros - com forte ênfase - como se os mesmos pudessem resolver de fato os grandes e graves problemas da natureza humana; especialmente naquilo que tange à alma e seus conflitos.

E, quanto a este assunto, tenho chegado a conclusão de que não há como prever até onde isso vai levar - especialmente aqueles que vivem em busca de solução fácil para problemas complexos. Qualquer cristão atento percebe que solução meramente religiosa e humana para problemas espirituais não resolve; pois, tais problemas são causados por um modo incorreto de viver. Porem, no quesito "libertação verdadeira", a Bíblia continua insuperável! Pois, ela é o único livro que traz a verdadeira ajuda do Alto!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário