quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Julgamento temerário

Um dos assuntos que sempre me tem preocupado, em minha condição de pregador do evangelho, é o de abordar questões ligadas a conduta humana; especialmente aquelas ligadas a posição de certos grupos cristãos nos dias atuais. Entendo que, como líder espiritual que sou, preciso me posicionar com relação ao que vem acontecendo na igreja do Senhor em nossos dias. Todavia, reconheço, sempre existe a possibilidade de enveredarmos pelo terreno minado do juízo temerário. E isso é algo perigoso!

Tenho percebido que é muito comum o modo como alguns cristãos se apressam em julgar outras pessoas e até mesmo igrejas e líderes evangélicos. Alguns fazem isso de modo claramente impiedoso. Existem cristãos que chegam até a utilizar termos chulos e palavreado de baixo calão, ao se referirem a pessoas sob a mira do seu julgamento - chegando a vociferar acusações e insinuações injuriosas até mesmo contra pessoas de moral e conduta reconhecidamente ilibada. Isso é algo assustador!

Quando volto os meus olhos para o sermão da montanha e leio aquilo que Jesus nos diz acerca o juízo temerário, sinto em meu coração um grande peso de temor. Eu sempre soube que, aos olhos de Deus, não existe um justo sequer sobre a terra; e que não existe uma só pessoa salva por Jesus, que não o tenha sido tão somente pela graça de Deus. Portanto, estou convencido de que julgar precipitadamente alguém é algo muito mais sério e comprometedor do que possamos imaginar. Misericórdia!

Só para ajudar os seguidores e leitores do meu blog a entender o meu sentimento concernente a este assunto, gostaria que lessem e refletissem o texto sobre o qual fiz referência:

"1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão" 
(Mateus 7.1-5).

Ao expor esta minha preocupação, não estou procurando impedir, ou mesmo inibir, o senso crítico de quem quer que seja - contanto que o mesmo seja construído sobre a justiça de Deus e baseado na doutrina do Senhor; e não sobre opinião preconceituosa ou meramente humana e carnal. Se este texto foi lido com atenção e meditação, todos hão de convir comigo de que existem razões para a advertência que faço.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Parabéns Sr Bispo, por essas palavras sábias de orientação há nós leitores do seu BLOG.Pr. Rômulo Vieira e família Wesleyana em Ribeiro de Abreu BH.

    ResponderExcluir