quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A natureza geme

"18  Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada. 19  Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. 20  Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, 21  Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. 22  Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. 23  E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo" (Romanos 8.18-23).

No dia primeiro deste, postei uma mensagem intitulada "O mundo não acabou". Senti, que nesta reflexão, o Senhor me levou a vislumbrar uma cadeia sucessiva de acontecimentos até certo ponto previstos - tanto pela ciência como pelo observador comum. Na verdade, a humanidade inteira, com raras exceções, olha com um misto de esperança e apreensão os dias vindouros. E os cristãos mais atentos às Escrituras devem supor que este sistema está prestes a ruir.

Pois bem; na postagem acima referida, deixei transparecer alguns "mas..." - relacionados ao desgaste progressivo dos diversos elementos que se constituem em dádiva de Deus a um mundo carente; para que ele desfrutasse de todas estas riquezas sob a forma de clima, estações do ano, mananciais abundantes, grandes florestas e oceanos aparentemente inesgotáveis. Riquezas estas que os homens, salvo poucas exceções, nunca reconheceram como Seu beneplácito.

E, neste momento, o novo ano já nos recebe com algumas catástrofes em vários lugares do planeta. Todavia, nós aqui no Brasil, não precisamos ir muito longe para assistir a alguns horrores. Se os iraquianos e os afegãos têm os seus homens-bomba... se algumas nações árabes têm os seus ditadores de plantão, forjando meios de fazer sofrer ainda mais os seus súditos... Se a Coreia do Norte tem o seu louco regime plenipotenciário...

Nós temos também os nossos motivos de preocupação, mesmo em contexto diferente (secas, enchentes, deslizamentos, corrupção crescente, leis injustas). Portanto, posso afirmar, sem a menor sombra de dúvida, que nós podemos podemos ouvir os gemidos da natureza!

E a natureza inteira geme 

"Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora"
(Romanos 8.22).

E seus gemidos aumentam de ritmo e de volume a cada dia. O ribombar dos terremotos e vulcões podem ser ouvidos a longa distância, sem que os homens possam fazer alguma coisa para conter a sua fúria. Eles se fazem ouvir nos quatro cantos da terra, derrubando ou incinerando tudo a sua volta - mesmo em lugares em que não era comum o seu aparecimento.

E seus gemidos podem também ser ouvidos no rugir das ondas do mar e no zumbido assustador dos tornados e furacões. E não há como estabelecer limites para estas forças da natureza, de modo a que não invadam cidades costeiras com suas temidas tsunami; ou mesmo impedir os seus tornados de levar literalmente para o espaço casas, objetos, animais e pessoas.

E seus gemidos chegam bem perto de nós, através das cheias dos nossos rios e igarapés; e dos deslizamentos das nossas encostas; fazendo com que um simples ribeiro serpenteando o vale, se torne repentinamente em um caldal de água e lama, que a leva tudo pela frente - sem que possamos fazer muito mais do que lutar com bravura para salvar a família e a própria vida.

E a própria natureza também ouve os nossos gemidos

"E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo" 
(Romanos 8.23).

Os gemidos humanos são oriundos de três principais fontes: Existem os gemidos daquela parte da humanidade que vive sem esperança. Existem também os gemidos de uma outra parte da humanidade baseada em falsas esperanças. E, existem os gemidos daqueles cuja força está no Deus verdadeiro e cuja esperança está em Cristo. As Escrituras os denominam de "nossos gemidos".

Os gemidos da humanidade sem esperança são emitidos por aqueles que não crêem em vida após a morte. Portanto, sem esperança alguma de vida eterna, são obrigados o buscar conforto em seu carma. Justificam sua recompensa e castigo - como algo ligado ao seu destino. Para estes, a morte é o único conforto possível para uma vida sem futuro.

Já os gemidos da humanidade ligada a esperanças infundadas, são os gemidos daqueles que baseiam-se em falsos pressupostos. Dentre eles, estão os que crêem na reencarnação, certos de que retornarão em outro corpo - ignorando que depois da morte vem o juízo (Hebreus 9:27). Existem os que querem se salvar por seus próprios meios; e os adeptos de falsas religiões (induísmo, budismo, animismo, islamismo, espiritismo, mormonismo, etc.), em um mundo saturado de falsos deuses.

Mas existem também os gemidos daqueles que acreditam no Deus verdadeiro.O Deus da Bíblia! O Deus dos patriarcas, dos apóstolos e dos profetas! O Pai, que nos amou de tal maneira; que enviou o Seu filho unigênito para que por Ele sejamos salvos da perdição eterna (João 3.16); e, nos enviou o Seu Espírito Santo, que testifica de Jesus (João 15.26). Êle nos guiará na verdade e nos ensinará o que há de vir (João 16.13), para que não sejamos enganados!

O que é diferente em nosso gemido 

Existe, de fato, uma diferença nos gemidos daqueles que - inconformados com este mundo - vivem a espera de dias melhores! A diferença está no motivo: "E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu" (II Coríntios 5:2). Gememos, esperando a redenção do nosso corpo - baseados na certeza de que Deus nos ouve... "E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?" (Lucas 18:7).

E, enquanto os gemidos se multiplicam 

Ficamos a espera do glorioso dia da vinda do Senhor Jesus, atentos a exortação da Palavra de Deus que diz: "ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12.1-2).

E, nesta espera, os nascidos de novo em Cristo Jesus, não terão o menor problema quanto a passagem do tempo; uma vez que o tempo é nosso aliado nessa bendita esperança; "PORQUE sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus" (II Coríntios 5:1). Maranata! Ora vem Senhor Jesus!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário