terça-feira, 27 de setembro de 2011

Templo Memorial

E assim, após o cumprimento de dolorosa missão (ofício fúnebre do saudoso Pastor Gervaldo); saímos de Governador Valadares - O Bispo Elisiário e sua esposa Lúcia juntamente comigo e Célia - em direção a Zona da Mata mineira.

O Templo Memorial, ali localizado, passara por uma ampla reforma; cuja reinauguração ocorreria dentro de algumas horas. Este "Templo Memorial" foi o primeiro templo wesleyano a ser construído no Estado de Minas Gerais, no ano de 1967; sendo - segundo dados históricos - o segundo templo wesleyano a ser construído no Brasil (o primeiro está localizado em Ponta do Ambrósio, no Distrito de Cabo Frio, da I Região). Seu tombamento se deu por ocasião do XV Concílio Regional da II Região Eclesiástica - já sob minha presidência - em janeiro de 2009; tendo sido a primeira iniciativa deste gênero na Igreja Metodista Wesleyana.

Seguindo um novo itinerário, chegamos bastante atrasados em Valão. Antes de chegarmos ao destino, passamos pela cidade de Visconde do Rio Branco; Chegando em Visconde do Rio Branco, o Pastor Iankee estava nos esperando - juntamente com a irmã Izabel, sua esposa - para nos conduzir até a zona rural conhecida como Valão do Guiricema; local do evento ao qual fôramos convidados. Mesmo havendo liberado os pastores e irmãos para almoçarem sem a nossa presença, nos sentíamos incomodados com o atraso, embora o percurso de Visconde ate o a localidade do Valão não fosse longo (apenas quinze km).

Já passava das treze horas e trinta minutos, quando lá chegamos. Já estavam a nossa espera os Pastores: Renato Jabor - SD de Cataguases; Robson Melo - SD de Muriaé; ambos acompanhados de suas respectivas esposas - Ducileia e Luz Aurora. Haviam outros Pastores dos Distritos de Visconde do Rio Branco, Cataguases e Muriaé. A alegria era visível em todos os obreiros e irmãos ali presentes.

Apesar do nosso atraso; a mesa repleta de iguarias continuava montada, à nossa espera. O almoço foi na casa do sítio do Presbítero Levi - em Valão do Guiricema. Só lamentamos o pouquíssimo tempo que tivemos para almoçar; devido ao compromisso que nos esperava dentro de minutos. E assim começamos a saborear o pernil e o frango caipira, assadinhos à moda da roça, acompanhados de uma salada especial; e de diversos tipos de doces caseiros - todos caseiros. Realmente, lamentamos não ter podido desfrutar com mais calma do banquete.

Rumamos então para o templo histórico, passando em frente ao templo de cultos desta igreja, em um percurso de cerca de seiscentos metros. Mesmo com a nossa pressa, o ato solene já iria iniciar com atraso; pois o culto tinha hora marcada. Mesmo estando localizada na zona rural, a IMW daquele lugar é bastante conhecida e muito bem frequentada. A igreja conta com uma membresia dinâmica e comprometida com o Senhor.

A área em volta do "Templo Memorial" já estava tomada por uma multidão. Os membros históricos lá estavam, em um ambiente de comunhão e alegria, juntamente com os demais membros e uma numerosa e comprometida juventude. Havia entre os membros, alguns antigos membros - residentes a muito tempo em São Paulo - cuja história também se relaciona diretamente com este lugar especial. Era um ambiente de festa fora do comum, que bem demonstrava a força desta igreja da zona rural.

O culto solene foi dirigido pelo Pastor Cláudio Flores - pastor titular desta igreja; o qual abriu a reunião no pátio frontal; convidando a nós, os Bispos, para o descerramento da placa histórica alusiva ao ato. Após momento de oração, descerramos a placa comemorativa do ato solene e adentramos o santuário - seguidos de todos quantos conseguiram entrar, antes que o recinto se enchesse por completo.

O Pastor Cláudio Flores concedeu a palavra ao Presbítero Levi, vice-presidente desta igreja; o qual fez menção a vários episódios da história desta igreja. Nesse momento, cheio de emoção, passou a apresentar os ilustres membros fundadores, cuja participação contribuiu de modo decisivo para esta bela história. E grande parte dos familiares destes membros fundadores, continuaram a saga dos seus pais. Foi um momento emocionante!

Houve em seguida, um período de louvor e adoração; após o qual me foi concedida a palavra, na condição de Superintendente da II Região Eclesiástica. Após ter dirigido algumas palavras de incentivo a todos os wesleyanos ali reunidos; apresentei o Bispo Elisiário Alves dos Santos - Presidente do Conselho Geral da IMW e Superintendente da I Região Eclesiástica; o qual, sob a unção do Espírito, trouxe poderosa mensagem da parte do Senhor, que edificou a todos nós.

E assim, após cumprida mais esta missão; todos nos dirigimos para o salão social do templo de cultos da IMW - distante poucas centenas de metros. As queridas irmãs da igreja já haviam preparado um delicioso café. Ficamos um pouco por ali, conversando e nos alegrando com tudo. Em seguida nos retiramos; pois, teríamos uma longa viagem pela frente.

"Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham. Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes. Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres. Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul. Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos" ( Salmo 126).
.

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Temporada de caça

Do jeito que as coisas estão - e por tudo aquilo que tenho observado - as vezes me sinto como se estivéssemos em uma "temporada de caça".

Como a maioria já sabe; o Brasil é um País dotado de enorme variedade de recursos naturais. Sua biodiversidade consta como uma das mais complexas do planeta. Flora e fauna brasileira, são objeto de estudo e de discussão acirrada no mundo inteiro - especialmente quando o tema em foco é "Preservação Ambiental". Entretanto, é preocupante o nível da agressão contra a natureza a que chegamos! Em alguns casos, não há como reverter o processo de degradação contra o meio ambiente. E Se a devastação continuar neste ritmo; restará muito pouco, ou quase nada, a ser preservado. Animais e plantas, outrora abundantes, hoje rareiam nas grandes florestas do mundo inteiro - inclusive nas nossas. E a cada dia cresce a relação de plantas e animais em vias de extinção (se é que já não foram extintos enquanto escrevo).

Entretanto, a temporada de caça a que me refiro nada tem a ver com o meio ambiente. Nem está relacionada com caça e pesca ilegal (embora isso contribua para o nosso empobrecimento, enquanto raça humana). E nada tem a ver com o crime de "caça ao homem" que se vê em nossos dias - tais como: Sequestro-relâmpago; sequestro de pessoas abastadas - ou de um parente seu; atividade de pistolagem - em que cada vítima tem o seu preço previamente combinado. E nem mesmo aquele tipo cruel de caça: na qual pessoas perdem a vida, tão somente porque não conseguirem sair do carro com a rapidez exigida; ou porque não souberam responder a uma ordem do meliante. Ou, simplesmente, porque o assaltante sentiu desejo de matar sua vítima.

Na verdade; a temporada de caça à qual me refiro ocorre em um outro nível. Nada tem a ver com um caçador - com o seu cão a lado e sua espingarda a tiracolo - a procura de um pequeno animal indefeso. Ela tem relação direta com o mundo em sua dimensão espiritual. Sua mira está fixada no ser humano: Alguém, ao mesmo tempo, amado por Deus e odiado por Satanás. Lamentavelmente, esta criatura de Deus - coroada de nobreza - é a caça preferida deste terrível caçador; que está sempre a espera do melhor momento, para desferir os seus dardos mortais.

Este caçador é um ser vivo - ainda que invisível aos olhos humanos. E por ser assim, pode mover-se com facilidade entre suas potenciais vítimas. Alguns daqueles que são por ele mirados - nem mesmo acreditam nele. Todavia, ele é tão real como nós - e potencialmente perigoso. Em sua procura por presas; tem um prazer especial por famílias estáveis e pessoas honradas. Posto que as mesmas, se constituem em troféu de inestimável valor para sua terrível coleção.

Como ele procura destruir a família

Este caçador tem sempre pessoas com grande poder de sedução a sua inteira disposição. Ele sabe do estrago que pode fazer - em uma bela família - um rosto bonito e um corpo sarado. Dentre os seus mais eficientes aliados, existem alguns sites dedicados a pornografia. Através deles, o caçador subverte a emoção, enfraquece a razão e anula a espiritualidade de suas vítimas. A pornografia é uma ferramenta devastadora. E inúmeras famílias já foram destruídas por ela.

Costuma, também, utilizar o desajuste familiar provocado por intolerância, falta de diálogo, vícios e agressividade de um dos cônjuges. Ele potencializa estas atitudes; as quais contribuem para o esfriamento do relacionamento conjugal - até ao ponto da separação. E sempre fica em suas vítimas do desenlace familiar - depois do estrago feito - aquela sensação de desânimo; ao se darem conta do perda sofrida, por terem contribuído para a destruição do seu próprio lar.

Como ele procura destruir a honra e o bom nome

Ele também sai à caça de pessoas, dentre aqueles que possuem habilidade especial para fazer amigos e influenciar pessoas; especialmente quando estes são dotados de caráter e moral ilibada. O caçador procura obstinadamente algum meio de corromper alguém com tais virtudes. E quando consegue alvejar alguém assim - faz com que essa pessoa se torne apenas uma caricatura daquilo que já foi - pouco antes de sucumbir alvejada pelos dardos do seu predador.

E de quando em vez, vemos veiculados na grande Mídia - escândalo protagonizados por muitas figuras ilustres. Tudo isso porque, dentre os que foram caçados e atingidos por seus dardos, encontram-se: Políticos; magistrados; médicos; advogados; atletas; e até mesmo homens do clero religioso - inclusive alguns eminentes bispos e pastores evangélicos. Geralmente, o assédio se inicia com amizades suspeitas; as quais são portadoras daquela "proposta indecorosa", formulada em um ambiente reservado. E a medida que este processo de sedução cresce, os envolvidos vão parar em algum canto escuro desta vida. Então, consumada a caçada, tais pessoas são lançadas na " vala da desonra" - levadas como dejeto - rumo a um destino incerto.

O caçador e a caça

Este caçador usa roupa de camuflagem quase perfeita; e, por não ser visto, muitos nem acreditam em sua existência. Todavia, mesmo com identidade ignorada, trata-se de um ser vivo. Todos precisam se resguardar! Especialmente aqueles que pensam conhece-lo muito bem - a ponto de se julgarem especialistas em demonologia. No entanto, o que os tais "especialistas" parecem ignorar é que são potenciais canditatos a tornar-se suas próximas vítimas.

E que isto sirva de alerta aos "exorcistas" de plantão! Disse Jesus: "Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade" (Mateus 7:22-23). E nesta relação de caçador e caça; muitos parecem desconhecer que a nossa vitória sobre Satanás e sobre os demônios, não reside no fato de o conhecermos bem. E sim, no quanto conhecemos, amamos e obedecemos ao Deus que - em Cristo - pode nos proteger dele.

Saber o seu nome não é tão importante como alguns pensam

Satanás... Apolion... Leviatã... Ou qualquer outro nome que queiram lhe dar (este detalhe não é importante). Ele atua nos bastidores. Seus ardis são muito bem engendrados. A camuflagem de suas armadilhas é quase imperceptível. E ele nunca conseguiu tanto sucesso, ao longo da vida do homem na terra, como tem conseguido em nossos dias. Penso que nem mesmo em Sodoma e Gomorra ele conseguiu envolver tanta gente - em tantos lugares e em tão curto espaço de tempo.

A deturpação de textos bíblicos acaba favorecendo o caçador

É bem provável que parte do sucesso do caçador seja causado por um entendimento equivocado de alguns textos da Bíblia. Dentre eles, existem textos que falam sobre "posse"; "liberdade"; "direitos"; e outros afins. Tenho notado que interpretações espúrias apregoadas por líderes evangélicos de renome, acaba inflamando crentes desavisados. E assim, acabam deturpando os verdadeiros conceitos sobre o sentido de liberdade, direito e posse - separando-os do contexto bíblico em que estes conceitos foram formulados. Mas a Palavra de Deus nos adverte: "Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então a liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor" (Gálatas 5:13). Portanto, devemos viver "Como livres, e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus" (I Pedro 2:16).

Somente em Jesus podemos escapar de seus dardos

E como antes afirmei: esta ainda não é a pior parte! Mesmo sendo grande o estrago que ele consegue infligir à sua caça - submergindo-a na imoralidade e na devassidão - até tirar os traços de Deus em sua vida infeliz; este ainda não é o seu pior pesadelo. É mais ou menos como em uma pescaria; na qual, após o flagelo da isca e do anzol, o peixe ainda tem como destino final a panela quente. E, no caso do ser humano, de existência eterna, o sofrimento desta "panela quente" será sentido no além - em toda a extensão da dor por ela provocada. É isso mesmo! A Palavra diz que "Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo" (I João 3:8).

Mas a Palavra de Deus indica o modo como podemos escapar deste caçador: Portanto, como diz a Escritura, "Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós" (Tiago 4:7). Ela diz também que devemos ficar firmes, "Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno" (Efésios 6:16, A Palavra de Deus nos declara que podemos ser libertos em Jesus; "O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor" (Colossenses 1:13). Portanto, a única proteção eficaz que temos contra este caçador, é a obra que Jesus fez em nosso favor lá no Calvário - onde o Seu sangue foi derramado para nos salvar.

"Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo." (I João 3 : 8)

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 24 de setembro de 2011

Sinto prazer neste dia

A alguns dias atrás, senti desejo de postar - em minha página no facebook - uma nota declarativa do meu maior prazer ao longo do dia. Não foi nada meditado profundamente; ou, refletido ao longo de dias - que me fizesse construir um pensamento previamente elaborado. Posso garantir que não foi nada disso!

Não sei se me faço entender... Foi o simples desejo de confidenciar, a céu aberto, aquilo que faz o meu coração se enternecer; ou se estremecer... Não sei. Pareceu a mim que era mais uma questão de definir posição - tanto em relação a Deus como em relação a mim mesmo. Mas, não estou inteiramente seguro quanto a este suposto motivo.

Pode ter sido também um toque sutil do Espírito de Deus. Porventura, um toque - cuja finalidade pode ter sido tão somente provocar em meu espírito uma reação gerada nas entranhas do meu ser inteiro. Ou, até mesmo, com o objetivo de me levar a ajudar alguém com esta sincera declaração do meu espírito adorador. Pode ter sido isso!

Todavia; o que importa mesmo é que aquilo que declarei nasceu em meu íntimo e vazou no exterior de minha pequena vida. É a mais pura verdade isso que digo! Fiquei com a impressão, lá em meu interior, que esta declaração tem tudo a ver com aquilo que sou na essência. Pelo menos, é assim que penso ser: Um homem que ama a verdade e a justiça de Deus. E que não sabe viver sem Sua presença por perto.

Ah... Esta foi a declaração que fiz:

"Sinto prazer neste dia que se finda. E não é aquele prazer resultante das coisas boas que me aconteceram. E sim; o prazer de saber que o Senhor esteve comigo ao longo deste breve dia. Não sou alguém que tenha muitas pretenções para um só dia. Pelo contrário! O meu anelo foi fazer uma coisa em especial ao longo deste dia que se vai: Procurar agradar a Deus! Isso porque sei que, a Deus agradando, não prejudicarei o meu próximo; fui instrumento de bênção para os que se salvam e os que se perdem; e, finalmente, me tornei em motivo de alegria e satisfação para todos aqueles que me amam e me admiram. Maranata!"

Este sou eu! Sebastião Calegari - Um ser comum, cuja aspiração é ser um homem de Deus.

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Dolorosa despedida

O Bispo Elisiário Alves dos Santos e sua esposa Lucia, nos conduziram (a mim e Celia) em seu carro - rumo a Governador Valadares - para o velório do Pastor Gervaldo Gomes Rebouças. Na medida em que a viagem transcorria; íamos conversando sobre os mais diversos assuntos. Mas, entrecortando os assuntos sobre os quais conversávamos, vinha sempre a minha mente a vida de Gervaldo - quando em seus dias de jovem da igreja que me projetou no ministério.

E enquanto conversávamos, lá ia eu - em minha memória - rumo ao passado... Quando ainda pastoreava a querida "igreja da Rua Cinquenta" (hoje IMW Central de Governador Valadares). Gervaldo era um dentre centenas de wesleyanos daquele período da história da Igreja Metodista Wesleyana em Valadares - hoje distribuídos na diversas igrejas wesleyanas da cidade. Governador Valadares... Cidade carinhosamente chamada de "Princesa do Vale", pelo fato de se situar em ponto estratégico do Vale do Rio Doce. Sim! Eu acredito que a maioria dos membros históricos desta igreja concordam comigo - em que Gervaldo foi um dos mais importantes frutos daquele tempo. O seu chamado para o ministério fora ouvido naquela época; o agir de Deus era visível em sua vida! E toda a juventude wesleyana daquele tempo - mais de duzentos e cinquenta jovens - sabia que ele era um homem de Deus. Naquela altura, a "igreja de Valadares" era uma espécie de berçário de muitos ministérios que ali estavam sendo gerados e alimentados.

Sábado, dia 17 de setembro de 2011. Nesta data estávamos presentes a este doloroso velório. O culto se iniciou por volta das 23h15 - sob a direção do Pastor Valdívio, SD do Distrito de Valadares. Cantamos alguns hinos apropriados para este tipo de celebração. Em seguida, ministrei uma palavra sobre a essência da vida. E passei a oportunidade ao Bispo Elisiário Alves dos Santos; que pregou a mensagem oficial. O templo da IMW do Bairro de Lurdes estava super-lotado! Igreja que o Pastor Gervaldo fundara e pastoreara até a sua partida. Templo construído por ele - no terreno que ele mesmo comprara.

Mas, agora, estávamos ali - familiares, amigos e irmãos; irmanados na mesma dor produzida por tão dolorosa separação. E, como último traço visível da presença deste homem de Deus, lá estava o seu corpo sem vida. Corpo que fora apenas sua habitação temporária - agora descartado - pois o Pastor Gervaldo fora, finalmente, ao encontro do Pai!

Infelizmente, não tivemos condição de permanecer para o sepultamento. Pois, teríamos que estar presentes no culto de reinauguração do "Templo Memorial" da IMW do Valão do Guiricema, as 14 horas de domingo (falaremos sobre isso em próxima postagem). Todavia, saímos convictos de que o Gervaldo, naquele grande dia, ouvirá de Jesus: "Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor" (Mateus 25 : 21).

Com gratidão;
Bispo Calegari

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Bendita Rotina

Algo que tenho observado em minha vida; é que, neste mundo, somos marcados pelas mais diversas atividades de rotina. Elas se constituem em ações repetitivas que acabam por condicionar a nossa própria maneira de ser e de agir. E este procedimento rotineiro se manifesta já na infância, condicionando o nosso dia-a-dia escolar. E na vida adulta, vemos o nosso trabalho ser processado por atividades repetitivas das quais não conseguimos nos desvencilhar. Na verdade, a rotina é tão presente em nosso dia-a-dia; que, até mesmo no seio familiar, algumas tarefas acabam por condicionar todo o agregado.

Mas, existe um grande risco quando agimos condicionados por ações pré-determinadas. É que as mesmas nos tornam vulneráveis ao "diferente" e ao inusitado. Inclusive - justamente devido a este "ponto fraco" ante o inesperado - algumas pessoas acabam por sofrer sérias desordens em sua vida, quando envoltas em novas formas de procedimento. É uma espécie de mutação que ocorre especialmente quando contraímos uma nova amizade. Portanto - dependendo das novas propostas vindas dos novos amigos; e, dos novos hábitos derivados deste novo relacionamento - podemos perder de vista alguns referenciais importantes para a nossa segurança. E, deste modo, sem referências, acabamos por perder o rumo da vida.

Em assim sendo, devemos ser muito cuidadosos com a quebra de rotina. Portanto, em caso de dúvida ou insegurança ante o "novo", o melhor mesmo é seguir os procedimentos rotineiros tradicionais. Isso porque, se eles nunca nos infligiram dano ao longo do tempo; certamente que não nos farão mais mal do que aqueles males comuns aos quais estamos habituados.

Bendita rotina da oração

Mas eu preciso falar agora de uma outra "rotina": Sim! Porque na vida de um verdadeiro cristão, existe uma rotina que deve se sobrepor a todas as outras. Eu me refiro a rotina da oração! Esta precisa ser mantida a qualquer custo - mesmo quando nos sentimos "cansados demais para orar"; ou então, cansados de orar sem vermos os resultados esperados. E afirmo isso, baseado em minha própria experiência. Não tenho a menor dúvida de que a oração sempre traz resultados positivos - mesmo quando tais resultados não podem ser vistos na superfície.

Posso afirmar também; que a "rotina da oração" é bem diferente das outras "rotinas" desta vida. É que, do mesmo modo em que podemos orar sem nada ver ou sentir; também, podemos orar e sentir algo novo a envolver plenamente a nossa vida. É que, pela oração, nos tornamos sensíveis ao agir de Deus. Ela tanto pode trazer sobre nós o "peso" daquelas pessoas e situações pelas quais oramos; como também pode trazer até nós as "asas do vento" - para voarmos em linha com o sobrenatural de Deus. Sei também que ela é suficiente para nós livrar de algumas terríveis rotinas - tais como: Da rotina da opressão; da rotina da desgaste moral; da rotina do beco sem saída. Enfim... Da rotina de uma vida sem rumo. Portanto; bem haja - rotina da oração!

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Final da visita ao Distrito de Muriaé

Na continuação da visita ao Distrito de Muriaé, participamos de um grande Encontro Distrital de Igrejas - com a participação de todas as igrejas e congregações - realizado no templo da igreja do Dornelas; que foi inaugurado na noite anterior.

Encontro Distrital de Igrejas

Chegamos um pouquinho adiantados para o evento. Mas, o salão já estava quase cheio; com representantes das igrejas que iam chegando a cada instante. Enquanto aguardávamos o início do trabalho; ficamos conversando com alguns pastores que já estavam presentes. Em seguida, nos encaminhamos para o púlpito.

A abertura do culto foi feita pelo Pastor João Carlos. O qual, em seguida, passou a palavra ao SD do Distrito - Pastor Robson - que deu continuidade ao trabalho. A ministração do louvor foi feita pelo "Ministério de Louvor" da IMW Central de Muriaé. Após momento de tanta unção; a irmã Raquel, da igreja IMW do Dornelas teve a oportunidade para cantar o hino "Sabor de Mel".

Os Pastores e Aspirantes do Distrito estiveram todos presentes; em sua maioria, acompanhados de suas respectivas esposas. O evento recebeu também a visita dos seguinte obreiros: O Pastor Ernane e sua esposa Martineli - da IMW de Leopoldina (Distrito de Cataguases); o Pastor Marcelo e sua esposa Adelania - juntamente com irmãos da IMW São Geraldo, da qual é pastor (Distrito de Visconde do Rio Branco); e o Pastor Paulo e sua esposa Rosa, (da 6ª Região).

Culto na igreja de Eugenópolis

No dia seguinte, fomos participar do culto matutino na igreja de Eugenópolis. O Pastor Robson e sua esposa Luz Aurora, nos conduziram em seu Carro. Célia e eu, tivemos a oportunidade de estar mais uma vez com o Pastor Roberto Diogo e sua esposa Ivete. Eles estão em seu primeiro mandato a frente desta igreja. O culto foi maravilhoso! O Ministério de Louvor foi ungido por Deus, mesmo estando desfalcado de alguns de seus componentes. E o Senhor me deu graça, quando me foi concedida a oportunidade para pregar a palavra de Deus.

Tivemos também a grata satisfação de rever os obreiros desta igreja. Estavam conosco no púlpito, além de mim e do Pastor Robson, os seguintes obreiros: O Pastor Roberto Diogo, titular da igreja; e os Presbíteros dirigentes de Congregação: Ivan Paradelas, da congregação Sapucaia; e José Luiz, da congregação centro em Eugenópolis. E também os Presbíteros: Manoel Mota, Manoel Piernatei e Antoniel; que servem ao Senhor no templo sede.

Após o culto; passamos algum tempo cumprimentando e conversando com os irmãos que lotaram o templo da igreja. Fiquei impressionado com a dinâmica mocidade local. Após os cumprimentos; fomos para a residência pastoral que fica bem em frente ao templo - do outro lado da rua - em cima do salão social da igreja. E a irmã Ivete já estava a nossa espera, com um prato de dar "água na boca": O famoso "Baião-de-Dois" - prato nordestino, que ela aprendeu muito bem a fazer. Foi realmente uma manhã maravilhosa! Foi com pesar que nos despedimos; pois, nossa viagem continuaria em seguia - rumo a nossa casa.

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

De quem é a culpa?

As vezes fico pensando na dificuldade que nós temos, em entender a dor alheia. Ao longo dos meus 43 anos de ministério, tenho visto pessoas vivendo situações aflitivas - semelhantes a algumas que também já tenho suportado ao longo da vida. Na grande maioria das vezes - com maior ou menor intensidade - os problemas parecem ter o mesmo perfil (salvo aqueles casos especiais de pessoas sofrendo com problemas graves). Nestes casos comuns de sofrimento, que afetam a maioria das pessoas, tenho constatado que a diferença - caso a caso - não está no tipo do problema de cada um. E sim, no modo diferenciado com que cada um reage ao seu problema.

Algo que tenho procurado fazer, ao lidar com problemas pessoais, é evitar responsabilizar familiares - ou quem quer que seja - pelas aflições causadas pelos meus problemas. É lógico que não sou ingênuo; a ponto de pensar que certas pessoas não tenham tido algum tipo de participação em algumas das lutas que enfrentei. Não mesmo! Assim como muitos - já fui alvo de mentira e intriga. Também suportei algumas vezes, acusação e desprezo. Todavia, jamais procurei transformar isso em uma espécie de "arma" contra o meu próximo.

Tenho consciência de que muitos dos problemas que nos afligem, foram produzidos "em parceria". Mas nunca usei isso como desculpa para justificar ressentimento e murmuração. Não acho sensato ficar atribuindo a terceiros a responsabilidade pelo meu infortúnio, mesmo que possam ter alguma culpa em minha dor. É que, segundo o meu ponto-de-vista, tanto o prazer como a dor são experiências democráticas. Isto quer dizer que afetam crianças e adultos; pobres e ricos; crentes e incrédulos. E na maioria dos casos, não temos a menor condição de identificar o elemento causador daquilo que inflige infelicidade e sofrimento a alguém. E isso porque os males desta vida surgem de uma conjugação de fatores diversos.

Tenho também aprendido que a mentira é uma das mais eficientes armas do inimigo; tanto para semear discórdias como para destruir reputações - criando ou agravando situações de dor e angústia. O problema é que o "manto da mentira" se revela tão atraente e envolvente; que muitas pessoas - tanto boas como ruins - vivem envolvidas nele. Portanto, não adianta ficarmos tentando achar "culpados ou inocentes" entre as vítimas envoltas neste terrível manto. Até porque, tudo o que acontece sob esta "mortalha" está eivado de engano. Não existe nada aproveitável ali - a menos que passe por um processo de libertação e santificação.

O que nos vale é que temos um grande aliado na solução dos nossos problemas. E este aliado é o próprio Jesus; que subiu o caminho do monte - sangrando e gemendo sob o peso de horrenda cruz - para nos dar vida eterna. E assim, segundo a Palavra de Deus, "o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido" (Lucas 19 : 10). Tenho plena convicção de que o Senhor, para cumprir sua missão de salvar, entrou debaixo deste abjeto manto - como um bombeiro adentra um um prédio em chamas - com a única finalidade de nos livrar de terrível fim.

E graças à obra expiatória de Cristo; o Pai pode rasgar este véu hediondo; e "nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor" (Colossenses 1:13). E assim, podemos afirmar que Jesus se sujeitou ao Calvário, para salvar pecadores como eu e você. E se almejamos trazer vidas a Jesus; é sob este manto enganoso que vamos encontrá-las - aprisionadas e vitimadas por Satanás - sucumbindo muitas vezes sem saber porque.

Portanto - se pretendemos ajudar; precisamos levar em conta que o ser humano é assim mesmo: Infeliz e fracassado! Por isso é que Jesus veio sofrer e morrer em nosso lugar. Ele mesmo experimentou esta convivência não confiável; pois se angustiou entre a negação de Pedro e a traição de Judas. Todavia - mantendo intacta a sua compaixão pelo perdido - nunca deixou de crer no sucesso da missão; cuja objetivo principal é a salvação do perdido pecador.

E o Senhor Jesus Cristo nos chama à responsabilidade, ao declarar: "Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus" (Mateus 5.13-16)

Então... É isso mesmo! Nós somos o "sal da terra e luz do mundo". E, como "sal e luz", não devemos desanimar com o fracasso moral dos homens - ou mesmo com os nossos próprios fracassos. Ao invés disso; vamos procurar ver todas as pessoas à nossa volta potenciais redimidos pelo amor de Jesus. Aí então, tudo será bem diferente. Disso tenho absoluta certeza!

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 18 de setembro de 2011

Visita ao Distrito de Muriaé

Sempre que visito o Distrito de Muriaé, percebo um ótimo nível de comprometimento com a obra de Deus - por parte dos obreiros ali nomeados. E desta vez não foi diferente. Nesta visita, Célia e eu, aproveitamos para fazer uma ampla visita aos trabalhos - tanto igrejas como congregações - estabelecidos na cidade.

Inauguração do salão da igreja do Dornelas

Na sexta-feira a noite, participamos do Culto de Inauguração do templo da igreja do Dornelas; um dos maiores - se não for o maior - templos da II Região. Estavam presentes os seguintes Pastores: Robson de Melo (SD de Muriaé e pastor na Central de Muriaé); Renato Jabor (SD de Cataguases e pastor na IMW Barra); e João Carlos (pastor na IMW Dornelas); e Roberto Diogo (pastor na IMW Eugenópolis). Também estiveram presentes os Aspirantes: Patrick de Paula (IMW Central); e Pedro Paulo (IMW Dornelas). Tivemos também a visita de alguns Pastores convidados: Paulo e sua esposa Rosa (pastor na 6ª Região); Antônio Augusto (Vereador e pastor da Quadrangular); e Neemias (pastor da Assembleia de Deus). Foi concedida a todos os pastores, a palavra para uma saudação.

O culto nem havia começado - e já sentia-se 0 mover do Espírito de Deus. Após a abertura do mesmo, começaram as participações Especiais. Dentre elas, apontamos o louvor ministrado pelo Ministério Essência Única (o vocalista Ricardo, líder do ministério, deu um maravilhoso testemunho - sobre um assalto que sofreu a alguns dias - em que foi alvejado por três tiros; tendo escapado com vida por milagre de Deus). O Ministério de Coreografia da IMW Eugenópolis teve também sua participação. Após as apresentações e saudação dos pastores; foi me dada a oportunidade para pregar. Deus liberou Sua bênção sobre todos os irmãos e convidados presentes a este maravilhoso culto. Ao final do mesmo; o Pastor João Carlos e sua esposa Andreia, nos conduziram ao Restaurante do Netinho - famoso por seus pratos a base de peixe - onde saboreamos traíra frita sem espinha e file de tilápia grelhada. Foi uma boa maneira de terminarmos a noite.

Reunião Distrital de Obreiros

Na manhã do dia seguinte, um farto e delicioso "Café da Manhã" - no salão social da IMW Central de Muriaé - esperava os obreiros que iam chegando para a Reunião Distrital de Obreiros. Após o café, tivemos a ministração do louvor - sob a direção do Pastor Márcio, Diácono Rodrigo e Carlos Caju. Preguei a Palavra de Deus em seguida, em maravilhoso momento inspirativo. Dei também algumas orientações sobre a área administrativa da IMW.

Foi anotada a presença dos seguintes Pastores e Esposas Presentes: Robson de Melo e Luz Aurora (IMW Central de Muriaé); Renato Jabor e Duciléia Figueiredo (IMW Barra); Roberto Diogo (IMW Eugenopolis ); Adriano e Tânia Maria (IMW Safira); e João Carlos e Andreia Barbosa (IMW Dornelas). Os Aspirantes e Esposas também compareceram: Márcio José (dirigente da Congregação São Gotardo - da Central); Antônio José e Vera Lúcia (dirigente da Congregação São Cristóvão - da Central); e Pedro Paulo e Ivonete (IMW Dornelas). Estiveram também presentes, a Missionária Alvina Paixão e a Aspirante Lívia Lacerda (IMW Barra); e alguns Obreiros locais: Presbíteros - Wladimir (Barra) e Irani (Central). E os Seminaristas: Marco Aurélio (Dornelas) e Fabricio (Central).

Após a reunião; a IMW Central de Muriaé ofereceu a todos os presentes, um delicioso almoço (arroz à grega; salada variada e - como prato principal - peito de frango assado no forno). Não houve quem não gostasse. Fiquei com a nítida impressão, de que quase todos repetiram. Parabéns a esta igreja pela dedicada Equipe da Cozinha - constituída dos irmãos: Presbítero Mário; Diaconisa Cidinha; Diácono Duarte; Graziele e Andreia. No próximo "giro" finalizaremos o relato desta visita.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 17 de setembro de 2011

Tombou um guerreiro no campo de batalha

"Preciosa é à vista do SENHOR a morte dos seus santos." (Salmos 116 : 15)

O Pastor Gervaldo partiu... Para a mais extraordinária viagem que um ser humano pode fazer. Viagem sem volta - cheia de mistérios - ao encontro do Pai. Eu o tenho conhecido a muitos anos. Na verdade, fui o seu primeiro pastor - nos memoráveis tempos da "Wesleyana da Rua Cinquenta".

A família Rebouças tornou-se minha conhecida devido conversão de Gervaldo - em meados da década de 70. Fora enviado a um tratamento de tóxico-dependência em Brasília. Retornou livre e convertido ao Senhor Jesus. Chegando em Valadares, sua cidade; saiu a procura de uma igreja, na qual pudesse se tornar membro e servir a Deus. Felizmente, para nossa alegria, êle nos achou.

Para assistir ao seu primeiro culto em nossa igreja, trouxe sua mãe, Tereza; e sua irmã, Geane. Ambas se tornaram fervorosas crentes. Trouxe também seu irmão Nivaldo - hoje pastor em Itaboraí e SD do Distrito de Niterói - que também se converteu ao Senhor. Com um pouco mais de demora, trouxe o Gessivaldo - hoje pastor wesleyano em Cosmópolis -SP. Este, ao entrar no humilde salão de cultos da Rua Cinquenta, teve uma visão, em que viu Jesus no púlpito - de braços abertos - olhando em sua direção. Converteu-se naquela mesma noite. O seu pai demorou-se um pouco mais. O irmão Gerôncio foi liberto do vício do cigarro - em uma visita que fiz em sua casa - mediante uma história interessante; que, em outra ocasião poderei aqui contar - tornando-se um dos grande crentes que já conheci. E assim, posso afirmar que toda a família, com exceção do seu irmão Euvaldo - que se naquela altura residia na Bahia - se converteu por seu intermédio.

Pois é... O Gervaldo partiu a poucas horas. Deixa viúva a a irmã Luciene - esposa dedicada e grande amor de sua vida. Ficam enlutados os seus irmãos, cunhadas e sobrinhos; e também todos aqueles que nutriram por ele o amor e carinho de que sempre foi merecedor. Estava internado para uma cirurgia ligada a problemas vasculares. Faleceu nesta madrugada. Ele possuía uma incrível facilidade para fazer e conservar amigos. Na condição de Pastor wesleyano, sempre cumpriu suas missões com dedicação e esmero.

Em sua última missão pastoral - à frente da igreja wesleyana do Bairro de Lurdes - construiu um dos mais belos templos da II Região. Estabeleceu também diversas congregações. Suas ovelhas - tanto da sede como das congregações - nutriam por ele um amor e um carinho admirável. Quando tentei transferi-lo, no mini-concílio em Governador Valadares - embora ele estivesse disposto a obedecer - os membros do Conselho local pediram uma reunião comigo; e, naquela ocasião, percebi que teria que voltar atrás - e voltei mesmo! Em nosso último concílio regional, nomeei-o SD do Distrito de Ipatinga; trazendo-o para a liderança regional - onde deveria ter o seu merecido lugar.

Em sua última participação em evento regional - o "Encontro de Corações Abrasados" - para pastores, foi um dos mais motivados. Era visível a alegria que irradiava. Verdadeiramente, era fácil perceber que ele foi muito abençoado em Itabirito. Algo que o Gervaldo me disse algumas vezes: "Bispo; eu preciso concluir o templo que Deus me mandou construir, antes de ser transferido". Procurei entender o seu desejo - e me coloquei ao seu lado desde o primeiro momento. E creio que Deus também lhe deu o tempo necessário para isso. Pois, recolheu-o após a realização do seu último desejo: Ele concluiu a obra que sentia o desejo de fazer - desde o momento em que adquiriu o terreno da igreja - tendo sido o primeiro da sua querida IMW do Bairro de Lurdes. Descance em paz - amigo, irmão e companheiro na Causa do Mestre!

"E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam." (Apocalipse 14 : 13)

Com pesar;
Bispo calegari

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Deu a louca no reino dos homens

Algumas vezes, quando estou meditando, fica em mim a nítida impressão de que alguns lideres evangélicos perderam completamente o rumo. Mas, segundo minha avaliação, isso não aconteceu de repente. Eles foram mudando o seu foco aos poucos... E assim - sem sequer se darem conta de sua condição mutante - o que era importante ontem, já não significa quase nada hoje. Lamento tanto essa mudança!

Antes - em voz com entonação messiânica - bradavam aos quatro ventos a urgência de se viver uma genuína vida com Deus. Vida despida de qualquer modismo ou influências furtivas - das muitas que nos rondam nestes últimos dias. Vozes estas, que continuam bradando - já não tão messiânicas como outrora - eivadas de motivos suspeitos. Algumas delas tem se tornado ousadas o bastante para adentrarem o recesso do nosso lar - através dos muitos programas "gospel" de qualidade um tanto duvidosa. Meu Deus, o que está havendo neste reino - que continuam insistindo em chamar de "reino de Deus"?

Cheguei a ouvir alguns dentre eles, em um passado cada vez mais distante, cheios de calor e emoção - proclamando as riquezas do céu. Isso mesmo! Aquelas que se constituem em herança de inestimável valor. Herança a nós legada por Aquele que morreu para nos salvar - Jesus - que vive para nos fazer triunfar. Mas agora, como se a máscara tivesse finalmente caído... ou se fixado? Não sei... Sua proclamação é outra: Eles ocupam todo o seu tempo - um "tempo de antena" pago a peso de ouro - em falar das riquezas da terra. A prosperidade como bênção suprema!

Parece mesmo que enlouqueceram! Ousam até afirmar que Deus está procurando ampliar nossos negócios por aqui - contanto que sejamos generosos na entrega de "poupudas" e generosas ofertas para o "reino". E o pior é que nunca consigo entender sobre qual reino estão sempre a falar; se, de fato, o Reino de Deus; ou, então, o reino particular que estão querendo, a qualquer preço, instaurar. Que o Senhor tenha compaixão de todos nós - tão infelizes quanto eles (eles, porque dizem tais absurdos; e nós, porque, na maioria das vezes, ainda pagamos para ouvi-los). Vália-nos Deus!

Até quando, Senhor? Até quando tripudiarão sobre valores morais e espirituais tão arduamente conquistados por nossos ancestrais na fé? Até quando sapatearão sobre os teus altares, respingando lama no teu santuário? Até quando, Senhor, ampliarão ainda mais as suas riquezas; investindo-as em seus novos aviões e mansões - e até em Bancos e Fazendas - enquanto Tua Igreja vem sendo injustamente exposta perante a sociedade; devido as ações dos "vendilhões do Templo"?

Até quando, Senhor? Até quando continuarão se alimentando do sangue e da carne de suas ovelhas - já não tão gordas, visto que o seu leite vai se secando a cada dia - até destruí-las por completo? Até quando continuarão arrancando o couro de pobres e infelizes ovelhas - posto que a sua lã desbotada já não satisfaz sua ambição desmedida? Até quando as conduzirão impiedosamente ao matadouro - em troca do vil metal que tanto cobiçam?

Até quando, Senhor?

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

"Desperta Débora" na IMW de Venda Nova

Celia e eu, recebemos um honroso convite para um trabalho especial no último feriado de "Sete de Setembro". Foi promovido pelo "Desperta Débora" da igreja wesleyana de Venda Nova, em Belo Horizonte. Ficamos em frente a nossa casa, esperando o Aspirante Luiz Guilherme e sua esposa Regina, que vieram nos buscar. Em lá chegando, encontramos o Pastor Edimilson e sua esposa Isabela que nos esperavam. Ele pastoreia esta igreja; auxiliado pelo Pastor Amisso.

Ao adentrarmos o templo da IMW de Venda Nova - lembramos que a mesma é berço do ministério do Bispo Roberto Amaral e sua esposa Márcia (a família de ambos faz parte da história daquela igreja). Logo em seguida, após um maravilhoso período de louvor e adoração, os grupos se dividiram: As mulheres, sob a direção de Regina, ficaram com Maria Celia no templo; os homens, sob a direção de Luiz Guilherme, me acompanharam para uma ampla sala ao fundo.

A unção de Deus foi grande - em ambas as reuniões - à ponto de não sabermos em qual das reuniões o fogo caia mais! A fumaça da glória de Deus se fez presente em ambos os espaços - edificando a todos nós; provocando expressões de júbilo e alegria do Senhor - tanto entre os homens, na sala dos fundos; como entre as mulheres, no templo. Foi mesmo uma bênção!

Antes do encerramento, os grupos voltaram a se juntar no templo. Celia estava brilhando de unção! Mais cânticos e orações subiram ao Senhor; e o Espírito Santo continuou agindo em meio ao louvor. Em meio a tanta graça de Deus, Celia chamou a todos os jovens para um ato profético em favor deles. Ali oramos e ungimos a juventude - sob intenso mover do Espírito de Deus. Em seguida, a igreja presenteou a nós dois, com uma "Cesta" muito especial - como poucas que já tenho visto.

Ao final do evento, retornamos aos fundos; conduzidos pelo Pastor Edimilson e o Aspirante Luiz Guilherme, que é o coordenador de obras daquela igreja (este obreiro é também o coordenador de missões na Grande BH). Eles nos mostraram o estado atual das obras de reforma dos anexos do templo. As novas instalações dão uma ideia do zelo e dedicação com que aquela obra está sendo feita. Glória a Deus!

Após examinarmos tudo, foi-nos oferecido um delicioso "caldo de mandioca" com torresmo; preparado pela esposa do Pastor Amisso - que é especialista em culinária. Quando o caldo foi servido, era um tal de "me dá mais um pouquinho", que parecia que não seria suficiente (realmente, estava delicioso aquele caldo). Ainda bem que a irmã e suas auxiliares fizeram em grande quantidade. Louvo a Deus por aquela igreja e sua história!

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Amar é preciso

Sei que amar é inevitável! É algo tão significante - que nos faz bem, mesmo quando amamos a quem não merece. É bem verdade que a ingratidão é parte integrante da própria vida - e que ela surge, as vezes, de quem menos esperamos. Mas... ela está no lado sombrio da vida. Do seu lado luminoso está o amor, a fé, a família, a esperança... e também o início da " trilha da eternidade" - cujo nome é Jesus, o Autor da vida. Nele, vale a pena viver e... também, fechar os olhos e partir! Glória pois a Ele!

Na verdade - assim como o planeta Terra tem sempre uma de suas metades mergulhada em escuridão; e sua outra metade plenamente iluminada pela luz do Sol - também a vida caminha entre luz e sombras. E cada um destes lados funciona como se fosse um mundo diferente. Não existe a menor chance de estarem juntos em um mesmo espaço temporal - seja o luminoso ou o sombrio.

E, no tocante à vida, jamais devemos permitir que o seu lado sombrio se sobreponha. Como eu afirmei acima; a ingratidão está no lado sombrio da vida, assim como a falsidade, a incredulidade, a traição e a crueldade. Estes sentimentos - e outros semelhantes - somente conseguem se movimentar no lado sombrio da vida; de onde podem agir nos bastidores, desferindo golpes dolorosos e, muitas vezes, arrasadores. Este lado é tão pérfido, que Satanás vive sempre ali - á procura de suas ferramentas de trabalho.

Já no lado luminoso da vida, o amor exerce uma influência predominante. Ele funciona como uma espécie de cicerone de outros sentimentos igualmente nobres; tais como a gratidão, a fé, a benignidade, a esperança, a generosidade, a paz... E outros sentimentos afins. Este lado da vida é cheio de graça e unção - pois, Deus sente-se bem em mover-se no mesmo. E quando o Senhor deseja utilizar algo ou alguém, procura sempre deste lado da vida. E este lado jamais anoitece! Pois a claridade gerada pela presença de Deus, mantém-no sempre iluminado.

Neste lado da vida - no qual o amor perdura - o relacionamento entre um marido e sua esposa se torna maduro e venturoso. E isso porque, nele, o amor tem a sua expressão plena; movendo-se e sobrepondo-se às crises conjugais. Afinal de contas, o amor é a única força capaz de dar suporte a um casamento entre seres tão distintos, como o homem e a mulher. O amor, em sua expressão conjugal, possui a faculdade de gerar um sentimento afetivo único - o qual sempre aponta para o infinito. E, por ele movido: "Devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo" (Efésios 5 : 28).

Enquanto que - no lado sombrio da vida - prevalece o medo e a insegurança. Em seu lado luminoso, somos invadidos por uma fonte inesgotável de prazer e satisfação; que jorra do amor nela existente. Em nossa vida, o amor age como argamassa; e nos mantém ligados a Deus. E esta ligação entre nós e Deus se manterá tão firme quanto o amor que a Ele nos une. Portanto; se eu conseguir ama-lo, como ele deve ser amado - posso afirmar com as Escrituras que "Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda." (II Timóteo 4 : 8).

Todavia; assim como o amor é capaz de nos unir à Deus e à família; de igual modo, ele é a única força capaz de nos ligar ao nosso próximo. E então; lá vamos nós... Edificando e sendo edificados, nos movendo entre as pessoas. E se este amor se enfraquecer - nossos sonhos e ideais se enfraquecerão com ele. E, quando isso acontece, já não conseguimos fazer frente às tempestades da vida. E se, em nossa vida, o amor se esfria; vemos se apagar em nosso interior a chama da vida e da eternidade. Todavia, se conseguirmos alimentar a chama do amor com as brasas do altar de Deus; então, seremos capazes de amar de verdade ao nosso próximo. E quando amamos ao nosso próximo, demonstramos que amamos a Deus e o conhecemos; "porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus" (I João 4 : 7).

Sei também que o amor é imprescindível. A prática do amor é o mais importante mandamento das Sagradas Escrituras. As sementes produzidas pelo verdadeiro amor, são tão fortes e férteis - que podem germinar em qualquer solo que para elas estejam abertos. E o ciclo da vida foi e sempre será movido pelo amor, ao qual deve estar sempre ligado. Logo, se o amor deixar de existir, a vida deixará de ter sentido e perto estará de se extinguir. Portanto... Amar é mesmo preciso!

"Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados." (I Pedro 4 : 8)

Cordialmente;
Bispo Calegari

Final da visita ao Distrito de Vitória

Neste "giro" estou relatando o meu último dia de visita ao Distrito de Vitória; uma visita que, em todas as suas etapas, me fez ver o quanto a nossa Região está avançando - e no rumo certo.

Culto na IMW Central de Vitória

No domingo pela manhã, nos dirigimos para o templo da igreja central de Vitória, onde já encontramos o culto matutino em andamento; e a Comissão de recepção (Max Rufio e Leila Gomes) estava a nossa espera, na entrada do pátio, para nos conduzir ao templo. Em meio ao louvor dirigido pelo Ministério de Adoração (Elizandro, Andrey, Polyana, Dulcimar e Carlos Eduardo), dava pra perceber que aquela igreja vive um clima de avivamento. Os pastores da igreja: Marcos Machado (titular), Amando Colona, Carlos Magno e Elizeu Assis (auxiliares), estavam na primeira fileira - juntamente com o Aspirante Emerson Pedrosa e os Presbíteros da igreja: Elias André Beloni, Gersom dos Santos e Pedro Erli.

Antes de me ser passada a palavra; ouvimos o testemunho da jovem Kerem Apuque Gomes Machado - membro da igreja - que representou a sua Escola e o Estado Espírito Santo na cidade do Rio de Janeiro, nas paraolimpiadas, trazendo duas medalhas de bronze na natação. Em seguida, comecei a pregar. Foi fogo puro! Ao final da mensagem, foi servida a Ceia do Senhor; o quebrantamento foi geral; gente chorando de pingar. Glória a Deus!

Em seguida, o Pastor Marcos Machado informou a sua viagem aos Estados Unidos no dia 4 de setembro, com retorno no dia 18 do presente mês, designando o Pastor Amando para assumir interinamente a igreja até o seu retorno. Antes do término do culto, Thais nos entregou um presente - em nome da igreja - para Celia e eu. E o Pastor Marcos chamou toda igreja à frente onde a irmã Neli foi convidada a orar pela viagem da família pastoral.

Ao final do culto e dos cumprimentos; o Pastor Marcos nos mostrou o estado atual das obras e falou-nos sobre os projetos que visam a ampliação do templo e de suas dependências. Fiquei surpreso com a harmonia de cor e estilo da igreja central! Na fase atual da reforma e pintura, já se pode ver e admirar um dos mais belos templos na II Região. Louvo a Deus pelo ministério do Pastor Marcos Machado e de sua esposa Thais a frente desta igreja.

Culto na IMW de Nova Carapina

A visita à igreja de Nova Carapina começou horas antes - com o convite para o almoço feito pelo Pastor Gedson e sua esposa Lorrayne. Ao chegarmos em sua casa - Pastor Perim e eu - encontramos a Missionária Elizabeth, mãe do Gedson, do Gladicélio Junior e da Gisele. Enquanto aguardávamos o momento do almoço, conversamos muito sobre experiências do passado. A Beth, como é conhecida, fez o seu curso teológico junto com o Bispo Elisiário. E trabalhou também, por um bom tempo, na "Assistência Universal Bom Pastor", pertencente à Terceira Região. Como o almoço preparado pelo jovem cozinheiro Felipe ficou pronto, nossa conversa foi "transferida" para a mesa (Felipe nos surpreendeu com muqueca capixaba em duas modalidades: de peixe e de banana - como os capixabas sabem fazer muito bem). Jean, filho do Presbítero Valtemir e Julia, almoçou conosco; e a noite jantamos em sua casa. A sobremesa, preparada pela irmã Lorrayne, fechou o banquete com "chave de ouro".

Saímos para Nova Carapina, antes do escurecer. É que o Pastor Jorge Perim levou-me a fazer uma visita à Congregação do Bairro Novo Horizonte - ligada a igreja de S. André -sob a Liderança do Aspirante Joelson Coutinho Freire. É admirável o atual estado das obras de reforma do templo e anexos da congregação. E eu vi como estava antes.

A igreja de Nova Carapina é pastoreada pelo Pastor Gedson. Chegamos pouco antes do culto se iniciar; e fomos recebidos na porta pela Diaconisa Júlia e pelo Pastor Gedson. No púlpito, anotamos a presença dos Presbíteros Valtemir Ronconi (da sede) e Luiz Carlos (da congregação de Novo Porto Canoa). O Ministério de Louvor foi dirigido por Simone, acompanhada do casal Fabrício e Trisbele. Durante a mensagem, Deus me deu uma palavra pastoral, baseada em João 12.8. Após a mensagem do Senhor, a igreja nos prestou uma homenagem; com presentes para Celia e eu, entregues publicamente pelas irmãs: Flávia (esposa do Gladicélio Junior e Diretora Regional de Adultos da II Região) e Lorrayne (esposa do Pastor Gedson).

Ao final - após os cumprimentos aos irmãos - fomos olhar as obras em andamento nos anexos do templo. Tudo está sendo feito com o mais apurado gosto. Em seguida fomos convidados a saborear um lanche, que foi um verdadeiro jantar, em casa do Presbítero Valtemir; onde sua esposa Diaconisa Julia preparou uma mesa repleta de iguarias, cujo prato principal era uma lasanha de frango. Comemos juntamente com seus filhos Jean e Camila, mais a família pastoral. Foi um momento de grande descontração e alegria. O Pastor Perim me levou em seguida para a Rodoviária; pois passava das 22 horas e eu precisava pegar o ônibus das 22.50 para o Rio de Janeiro. Louvo a Deus por tudo o que está acontecendo no Distrito de Vitória!

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Nota de Falecimento

"E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem." (Apocalipse 14 : 13)

Faleceu o Pastor Lúcio Fonseca

Faleceu no último dia 10 de Setembro o dedicado Pastor Lúcio Fonseca. Sua partida ao encontro do Pai, cobre de luto a sua querida família; e também a igreja wesleyana de Santo Aleixo (Município de Magé-RJ); à qual vinha dedicando sua vida e seu ministério pastoral - na condição de Servo do Deus Altíssimo. Sua vida como cristão foi sempre um exemplo de fé e de dedicação à Causa do Senhor Jesus. Assim que fiquei sabendo da triste notícia, publiquei uma nota em minha página no facebook - com os seguintes dizeres:

"Lamento muito a partida do querido e inesquecivel Pastor Lúcio. A IMW de S. Aleixo perde um valoroso Pastor; pois, ele foi sempre um combatente na obra de Deus. Mesmo sabendo que foi promovido à glória - não posso deixar de expressar o meu lamento por sua ida ao encontro do Pai. Homens dedicados assim, vão se tornando raros em nossos dias. Minhas sinceras condolências à família. Descanse em paz, meu amado irmão"!

Faleceu a Diaconisa e Missionária Maria das Dores de Oliveira Fernandes

Faleceu hoje a querida e inesquecivel irmã Maria das Dores de Oliveira Fernandes, vítima que foi de prolongada enfermidade. Esta amada irmã vinha dirigindo a congregação wesleyana de Planaltina-DF a alguns anos. A muitos anos ligada a igreja wesleyana de Taguatinga-DF; apresentava-se sempre muito bem disposta para a obra do Senhor. Não tenho a menor dúvida em afirmar que foi uma mulher guerreira do Senhor.

Ao partir ao encontro do Pai, deixa sua família e sua igreja - enlutadas e saudosas. Lamento muito não poder estar em Brasília, para lhe render minhas últimas homenagens. Todavia, tenho a mais absoluta certeza de que alguns dos nossos dedicados obreiros do Distrito de Brasília lá estarão - especialmente o Pastor Hilmar (SD do Distrito) e o Pastor José Fernandes (Pastor da igreja local). Registro aqui minhas sinceras condolências aos seus queridos familiares. Descanse em paz amada irmã!

Com sincero pesar;
Bispo Calegari

Envelhecendo com a pessoa certa

No sábado a tarde, em Muriaé, Celia e eu conversávamos, como de costume, sobre aqueles assuntos triviais - algo comum no diálogo de um casal que se ama e gosta de conversar entre si. Em dado momento, Celia disse: "Que bom que estamos envelhecendo juntos". Então respondi que, a alguns dias atrás, iniciei um artigo sobre este assunto; em meu arquivo de postagens para o blog. É o que estou postando agora.

Refletindo

Em minha condição de homem de Deus; e, também, como homem de família - com uma história de vida de 41 anos - tenho acompanhado com preocupação, aquilo que estão tentando fazer com a família, nestes últimos tempos. A crescente onda de divórcios e novos casamentos vai se tornando alarmante. E a intolerância é um dos fatores responsáveis por este preocupante índice. A mim me parece que as pessoas já não sabem lidar com o desgaste e os conflitos naturais - algo normal na convivência entre pessoas que vivem muito próximas entre si.

Por tudo aquilo que tenho visto, fica em mim a impressão que a família é uma espécie de "bola da vez"; neste estranho processo de desconstrução dos valores e tradições estabelecidas ao longo da história humana. Alguns chegam a afirmar que o casamento - constituído por Deus, para ser uma experiência para a vida inteira - começa a dar sinais de falência. É como se o projeto de família - monogâmica, heterossexual e "até que a morte a separe" - estivesse em estado terminal.

É muito comum, nos dias de hoje, vermos casais convivendo "separados" - mesmo habitando sob o mesmo teto. É como se houvessem cimentado suas divergências; cada qual isolando-se dentro de si mesmo. E assim vão... Sem fazer qualquer esforço para renovar sua amizade e afeto - transformando-se em um pedaço de pedra; ou de gelo - em um perigoso jogo de intolerância; até chegarem ao ponto de ruptura. Lamentável!

Entretanto; estes casais mergulhados em sua " eterna" crise não conseguem idealizar uma das experiências mais importantes da vida conjugal: Que é ambos os cônjuges envelhecerem juntos; acumulando experiências ao longo da vida e enriquecendo-se mutuamente. É frustrante, vermos casais maduros desfazendo um relacionamento de anos, sem motivos que justifiquem medida tão extrema. E, na grande maioria das vezes, influenciados por motivos fúteis. E nem sequer imaginam o quanto um novo casamento, nesta fase da vida, pode ser uma experiência dolorosa.

Graças a Deus; pude ver, logo no início, o casamento como projeto de Deus. E a Palavra de Deus muito me ajudou a lidar com aqueles conflitos eventuais que ocorrem entre pessoas que se amam. É que, quando a Palavra de Deus é aplicada na vida conjugal, até os problemas contribuem para nos conduzir ao altar de Deus. E ali - prostrados aos pés do Senhor - renovamos nossos votos de fidelidade e dedicação um ao outro; fortalecendo em Deus as bases do respeito mútuo e do amor com que nos amamos. É bênção purinha!

Um casal que se ama e decide envelhecer lado-a-lado, começa a valorizar algumas coisas aparentemente insignficantes. Por exemplo: Gosta do cheiro do seu cônjuge; aprende a conhecê-lo por seu modo de olhar; faz planos à dois; e assim por diante. E, assim convivendo, nem percebe as marcas depositadas pelo tempo, no rosto e no corpo da pessoa amada! E estas marcas vão surgindo discretamente, aqui e ali, causando as inevitáveis transformações provocadas pelo tempo. E, devido a isso, um casal que se uniu ainda jovem e seguiu em frente até o envelhecimento; sempre vê seu cônjuge como "aquela mocinha"; ou, "aquele rapaz" - que conheceu a "muito tempo atrás".

Por outro lado, na grande maioria dos novos casamentos - entre uma pessoa idosa e outra bem mais jovem - sempre existe o risco do medo crescente, produzido pela diferença de idade. E o pior é que o medo desta diferença pode ser seguido de sensação de angústia, jamais admitida por ambos. Tais possibilidades não significam que um casamento entre pessoas com grande diferença de idade se torne em potencial fracasso. Até porque, conheço alguns casamentos assim - cujos cônjuges, a despeito da diferença de idade, aparentam viver muito bem. Todavia, pelos riscos que oferece, não tenho segurança de que um casamento assim seja o melhor de Deus para um filho Seu. E, repito: Não sou contra um tal casamento! Apenas me preocupo com os ferimentos que esta experiência, entre pessoas de idades muito diferentes, pode produzir no casal.

Finalizando

Entretanto, sou daqueles que acreditam no casamento nos moldes bíblicos; mesmo que seja entre pessoas com cultura, formação e idade acentuadamente diferente. Creio que um casal, que se uniu na presença do Senhor, pode fortalecer os laços desta união em Cristo jesus. Especialmente se houver amor e respeito de um para com o outro. Todavia, estou convencido quanto ao fato de que o ideal mesmo é nos casarmos; seguindo o seguinte roteiro: Casar preferencialmente no "verão" da vida (na juventude). Ir amadurecendo e fortalecendo os laços conjugais até o "outono" da vida (ao longo da vida adulta). E, a partir daí, desfrutar da segurança de uma vida conjugal alicerçada e bem sucedida no "inverno" da vida (na terceira idade) - preservando o casamento em todo o tempo e envelhecendo com a pessoa certa.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 10 de setembro de 2011

Visita ao Distrito de Vitória

Cheguei na Rodoviária de Vitória por volta das 6 horas da manhã. Lamentavelmente; Celia não pode me acompanhar, devido ao aniversário de nossa neta Ana Carolina - filha mais velha do nosso filho Elizeu. O SD Pastor Perim, já estava a minha espera. Seguimos para sua casa, onde sua esposa irmã Eunice já havia preparado a suite em que eu ficaria hospedado. Após um breve descanso, saímos para a reunião com os pastores e obreiros do distrito.

Reunião Distrital de Pastores e Obreiros

O SD Pastor Jorge Perim iniciou a reunião com os obreiros as 9 da manhã. Apenas o Pastor Carlos Magno não esteve presente, devido a um cateterismo (estava se poupando para o culto da Ceia no dia seguinte). Tivemos um abençoado momento de oração e, em seguida, ministrei a Palavra de Deus, falando sobre o privilégio e a responsabilidade do ministério pastoral. O Pastor Geraldo Lúcio - SD de Vila Velha -esteve nos visitando, juntamente com o Pastor Amarildo.

Após a reunião, o Pastor Perim - juntamente com o Pastor Amando e o Presbítero André Beloni - me conduziu à casa de Daniel e Margareth, membros da igreja central. Daniel havia me prometido, quando nos conhecemos em Guaçuí, uma refeição em sua casa - preparada por ele. E cumpriu a promessa! O almoço especial - A pescada frita, a salada de bacalhau e risoto de bacalhau - teria agradado muito Maria Celia (lamentei que não pudesse ter vindo comigo). Como sobremesa, a irmã Margareth nos serviu um delicioso pudim de sua autoria.

Culto na IMW de Santo André

A noite, tivemos um maravilhoso culto em Santo André, com a presença dos Pastores: Luiz Carlos, (Barcelona); Antonio Veríssimo (Pque continental); Júlio César (Consolação); e Pedro Feliciano (disposição do distrito). Presente também a Missionária Ambrozina Rita; e os Aspirantes: Joelson Coutinho Freire; Josué Alves dos Santos e Emerson Pedrosa. Foi bom rever os Presbíteros da igreja local (Motta, Jocimar, Carlos Martins e Marcelo). Na entrada, fomos recebidos pelos Diáconos Pedro e Nilson.
.
O templo - que está sendo reformado e ampliado - estava repleto! O Ministério de Louvor, na direção de Sandrinha, entoou belíssimos cânticos de adoração. O grupo de Coreografia formado por senhoras, denominado "Expressão de Adoração", se apresentou em seguida. A última apresentação foi feita pelo Coral Ichtus, regido pela irmã Irlane. Preguei a mensagem de Deus debaixo de unção. Como eu afirmei em minha página no facebook - era respingo de óleo para todo lado! Avivamento puro!

A alegria daquela igreja é visível - do começo ao fim do culto. Após os cumprimentos, alguns casais da igreja, nos acompanharam a uma pizzaria. E lá, enquanto saboreávamos um deliciosa pizza à moda portuguesa, íamos conversando sobre diversos assuntos; especialmente sobre o sonho dos obreiros para as igrejas do Distrito de Vitória. Foi uma boa maneira de fecharmos o dia. Na próxima postagem do "giro", estarei concluindo esta visita.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Andando em boa companhia

Eram quatro rapazes, unidos em um mesmo infortúnio, que sentiam prazer em caminhar juntos. Sua história começa de modo abrupto: Iniciando-se no ponto em que foram retirados a força de sua terra e de sua parentela. Daniel, Sadraque, Mesaque e Abednego se habituaram a regar seus sonhos e projetos com as lágrimas geradas no altar da oração. Combinavam tudo entre si - especialmente quanto ao modo como deveriam se conduzir em uma terra de estranhos costumes; repleta de deuses do paganismo.

Um dentre eles se destacava em sua riqueza de sabedoria e conhecimento - fruto provável de sua intimidade maior com o seu Deus. Seus conselhos eram fielmente observados por seus três companheiros. E, sob a influência deste amigo mais experiente, o grupo tomava algumas medidas básicas de preservação; e, deste modo, resguardava tanto sua integridade moral e física; como sua sagrada história repleta de mistérios. Os quatro rapazes viviam com simplicidade e modéstia. Sempre vigilantes, não se descuidavam um minuto sequer - mesmo quando iam comer. Entre suas ocupações diárias, a oração era um dos itens principais. Aqueles moços buscavam mesmo a Deus!

O tempo foi passando... Os rapazes amadureceram. Todavia, mantiveram firme o propósito de preservar sua experiência e sua história. Sabiam que serviam a Deus em ambiente hostil; mas eram perseverantes no concerto feito entre si. Os quatro rapazinhos sofreram as alterações físicas que o tempo sempre nos imprime. E, da humilde condição de prisioneiros, foram guindados ao posto de conselheiros e governantes. Como tributo a sua lealdade, foram honrados naquela terra!

Eles nunca abriram mão da companhia um do outro. Embora possuíssem diferentes níveis de dedicação e espiritualidade, os quatro foram abençoados por Deus de igual modo. Eles são um testemunho vivo, a confirmar o princípio, de que - em se tratando do agir de Deus - nossas diferenças de nível, tanto em dedicação como em espiritualidade, é um fator menos importante do que o nível de aceitação que desfrutamos diante de Deus.

Existe um conceito muito popular entre os evangélicos; de que "Deus não chama os capacitados; e sim, capacita os chamados". Quando alguém é aceito por Deus - milagres acontecem! E deste modo; mesmo sendo aqueles três rapazes, de um nível de experiência menor do que o de Daniel; tal diferença não os impediu de ter a sua própria história de milagres para contar. Se Daniel tinha a sua "cova dos leões"; estes três rapazes tinham também sua "fornalha de fogo ardente". E os quatro conseguiram permanecer ilesos e fortalecidos, mesmo sob ameaça. É o que ganhamos, quando andamos em boa companhia!

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Laodicéia e Filadélfia

Era uma vez... Duas Senhoras de fino trato, seguindo juntas no curso da História - em caminhos distintos e com opções e destinos diferentes. Trata-se de Filadélfia e Laodicéia; duas damas que caminham na noite escura. Sua história é antiga... Mas, o contexto profético que ambas protagonizam é bem atual. As vezes penso que elas nem se dão conta do importante papel profético que desempenham, no grande palco da existência humana.

Laodicéia e filadélfia... Damas muito bem vestidas, cuja aparência não revela aquilo que trazem oculto em seu íntimo. São experiências e segredos acumulados ao longo do tempo. Os bastidores de sua existência são tão insondáveis como as gemas preciosas em seu casulo de granito. Apenas os olhos de Deus conseguem ver com clareza aquilo que trazem dentro de si. E elas seguem com segurança o caminho que escolheram seguir - em direção ao seu eterno destino.

Uma delas - Filadélfia - é a dama do dia! Sempre discreta; exibindo suas vestes alvas, sem manchas alguma, enquanto caminha. Sua roupagem se parece com a branca lã de um carneirinho. Em sua necessidade de claridade; contenta-se com a luz do sol batendo em seu rosto - fazendo-o brilhar naturalmente. Sua brancura é semelhante a neve no topo de uma montanha gelada. Caminha firme, embora cansada, procurando chegar ao destino antes do anoitecer.

Já a outra - Laodicéia - é a dama da noite! Apresenta-se sempre insinuante; exibindo a exuberância de seus vestidos de cor escarlate. E assim, consegue atrair, de imediato, o olhar daquele que por ela passa. Ela vive em busca da luz dos holofotes deste mundo; que refletem sobremodo o esplendor de suas vestes. E ela sabe acentuar o seu brilho; recorrendo as lantejoulas e purpurina que usa em excesso. Caminha com desenvoltura - sem ter o destino como preocupação imediata - pois, a noite lhe faz bem.

Filadélfia - enquanto caminha - necessita, de quando em vez, procurar a sombra do caminho; por onde perambulam vidas sem rumo e de destino incerto. Já Laodicéia - pelo contrário - procura ser o centro das atenções. Gosta muito das luzes da noite; pois, as mesmas ajudam a ocultar o estado sombrio em que vive. Enquanto Filadélfia caminha vacilante - as vezes sem forças para prosseguir. Laodicéia, em seus sapatos altos - julgando-se rica e poderosa - caminha como se fosse a "senhora do destino".

Elas são tão diferentes entre si... À primeira vista, é bem fácil saber distinguir uma da outra. Filadélfia e Laodicéia estão por aí - caminhando entre nós. Creio que você conseguirá identificá-las muito bem, mediante o modo como andam e procedem; e, por suas preferências aqui postadas.

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Visita ao Distrito de Lavras

Iniciando uma viagem de cerca de quatro horas de duração, lá fomos nós - o Pastor Calegari e eu (Celia havia ficado em casa desta vez): rumo ao Distrito de lavras (a visita seria em duas de suas igrejas). O Pastor Calegari me acompanhou, na qualidade de SD deste Distrito.

IMW de Bom Sucesso

Chegando em Bom Sucesso, fomos diretamente para a casa do Presbítero Rogério Alves, onde ficamos hospedados. Sua esposa Divina e sua filha Gabriela também estavam a nossa espera, com o almoço à mesa. Com a companhia do Pastor Gilmar - titular desta igreja desde abril deste ano - começamos a almoçar (deliciosos assados e saladas... hummm).

Logo em seguida, saímos para uma reunião com obreiros - no templo da igreja (um dos belos templos da II Região). Estavam presentes os pastores: Gilmar (de Bom Sucesso), Maurício (de Lavras) e Edison Borges (de S. João del Rey). Tivemos também a presença de alguns Obreiros da igreja de Bom Sucesso (Presbíteros: Rogério, Sebastião e Sidiney; Missionária Silezia; Diaconisa Maria Helena; e os Diáconos, Deusdete e Claudinei).

O culto a noite, foi marcado por intensa alegria. O Ministério de Louvor iniciou sua participação com muita espiritualidade - com a participação dos seguintes louvoristas: Presbítero Sidiney, Erica, Viviane, Lucas, Marineuza e Jefferson. Dei uma saudação a igreja, cantando o hino do Marquinhos Gomes: "Levante os teus olhos e veja o sobrenatural" (fui até ajudado - acho que pela Diaconisa Maria Helena - pois esqueci um detalhe do mesmo). O Pastor Calegari pregou a mensagem de Deus, trazendo grande quebrantamento e conforto a todo os presentes.

Após o culto, retornamos à casa em que estávamos hospedados; onde a irmã Divina já tinha um jantar muito abençoado a nossa espera. Conversamos um pouco e, em seguida, fomos dormir; pois, no dia seguinte viajamos para S. João del Rey, para a finalização da visita.

IMW de S. João del Rey

Chegamos na casa do Pastor Edson Borges na hora do almoço. A irmã Ângela Pimenta, sua esposa - juntamente com filha e nora - preparava o almoço que, logo em seguida, saboreamos (strogonoff de frango e de carne, com uma deliciosa salada). Em seguida, saímos um pouco com o Pastor Edson; para ver algumas instalações; e também para conhecer um pouco melhor a história cidade.

A noite, participamos de um culto muito animado. O povo de Deus estava cheio de alegria na presença do Senhor. Tivemos algumas participações muito bem preparadas; especialmente o Ministério de Louvor da igreja. Dei uma palavra alusiva a II Região; e, em seguida, o Pastor Calegari pregou a mensagem. Foi um momento de grande unção e quebrantamento; com muitas vidas vindo receber a oração da fé.

Após o culto e os cumprimentos, fizemos um lanche delicioso na cantina da igreja. Logo em seguida, viajamos de regresso. Percebemos ali, uma grande e crescente satisfação da igreja com o ministério do Pastor Edson Borges.

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Encontro de Corações Abrasados

"1 Quando o Senhor trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, éramos como os que estão sonhando. 2 Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cânticos. Então se dizia entre as nações: Grandes coisas fez o Senhor por eles. 3 Sim, grandes coisas fez o Senhor por nós, e por isso estamos alegres. 4 Faze regressar os nossos cativos, Senhor, como as correntes no sul. 5 Os que semeiam em lágrimas, com cânticos de júbilo segarão. 6 Aquele que sai chorando, levando a semente para semear, voltará com cânticos de júbilo, trazendo consigo os seus molhos"
(Salmo 126)

A Segunda Região chegou a um marco importante em seu ministério pastoral. Verdadeiramente, aquilo que aconteceu em Itabirito não foi algo humano - embora previsível. Quando convocamos os SD para um Retiro Espiritual de Obreiros; e que trouxessem até quatro pastores por Distrito, com a finalidade de buscarmos de Deus uma experiência que pudesse recolocar na rota do avivamento os pastores da Região; não tínhamos uma ideia exata quanto ao que Deus iria fazer conosco.

Na verdade; buscar intensamente e objetivamente a Deus é um empreendimento de risco. Nunca sabemos exatamente aquilo que Deus irá fazer com os obreiros que estão trabalhando em sua obra. E Itabirito não seria diferente das demais ocasiões em que homens se dispuseram a buscar a Deus, despidos de suas vaidades, convicções e posturas de conteúdo nem sempre claro. Eu sabia disso! E tenho certeza de que os que me acompanharam - pelo menos alguns deles - também sabiam. E posso aqui afirmar: Deus visitou os seus ungidos!

E lá fomos - cerca de 110 pastores - para um fim-de-semana com o Pai! Iríamos ser servidos por uma equipe, cujo testemunho de dedicação e discrição já conhecíamos muito bem. Isso porque o corpo de obreiros de Uberlândia já dera provas do quão eficientes eram neste quesito.E em momento algum - no abençoado "Sitio Jerusalém" - deixaram a desejar; fosse no modo como nos serviram; fosse no nível de espiritualidade. Louvo a Deus por aqueles irmãos, sob o comando de Ana Paula! eles sabiam do desafio que tinham diante de si - e foram esmerados em cumprí-lo.

E assim, o "I Encontro de Corações abrasados" deixou de ser simplesmente um projeto pacientemente elaborado - passando a fazer parte da história da II Região Eclesiástica. E outros "Encontro de Corações Abrasados" virão! O próximo deverá ser com as Missionárias e Esposas de Pastores. E haverá ainda uma nova edição com Pastores (é que cerca de 50% dos pastores da II Região ficaram de fora - devido ao limite de vagas de que dispúnhamos no "Sitio Jerusalém".

O Pastor Calegari Filho já está com o Manual do "Encontro de Corações Abrasados" pronto para ser impresso e utilizado nas edições distritais do mesmo. Portanto, vamos ficar atentos e abertos ao que Deus quer fazer em nosso meio. Todavia - quanto aos que estiveram em Itabirito - creio que, pelo menos a grande maioria, viveram a experiência de Jacó em Jaboque:

"Pelo que Jacó chamou ao lugar Peniel, dizendo: Porque tenho visto Deus face a face, e a minha vida foi preservada" (Gênesis 32.30)

Tremendo!

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Final da visita ao Distrito de Cataguases

IMW de Vila Minalda

A visita à igreja de Vila Minalda - segunda igreja de Cataguases - fechou meu compromisso agendado com este distrito. Foi muito bom ter estado mais de perto com a Família pastoral: Pastor Celso Marques, sua esposa Marilu e seus filhos - Gabriel, Samuel e Paloma.

O culto foi uma maravilha! O SD Pastor Renato Jabor, juntamente com sua esposa Ducileia - que esteve conosco em todo o tempo; participou também desta última visita agendada. No púlpito, além da minha presença e do SD, estava também o Pastor Celso Marques (titular), acompanhado de seus Presbíteros: José do Carmo (vice); Wilhas Carvalho; Douglas Michel e Alex Rocha. O Ministério de Louvor deu abertura ao culto. Seus componentes foram: Camila, no teclado; Gabriel, na guitarra; Gennifero, no violão; Gabriel Marques, na bateria; Ana Carolina, Daniele, Wellington e Rosana, no vocal. Senti muita liberdade para pregar, pois a unção foi muito forte, promovendo quebrantamento geral.

Ao final do culto e dos cumprimentos, a equipe de cozinha da igreja serviu alguns tipos de caldo - dentre eles, dobradinha e mocotó. Eu consegui degustar uma porção destes dois últimos - os meus preferidos. Embora tenha havido ajuda de várias outras mãos abençoadas, o crédito dos caldos foi da querida irmã Lilian Carla Nascimento Teodoro. E eu posso garantir que ela sabe fazer um caldo tão apetitoso, que dá vontade de repetir! Celia e eu, viajamos logo após o culto; pois - depois de algumas horas de viagem - iríamos desfrutar da alegria do retorno à nossa casa.

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 4 de setembro de 2011

O Deus que conhece" "quem-é-quem"

"O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia; e conhece os que nele confiam" (Naum 1.7).

Vivemos dias de medo, angústia e inquietação; que vem corroendo o que resta da capacidade dada por Deus ao homem - capacidade esta, dada por Deus, para que o mesmo pudesse resistir no dia mal. E os problemas que o afligem tem as mais diversas origens - dentre as quais podemos enumerar algumas:

Problemas existente nas relações familiares

A família tem sido o ponto de maiores atritos nos dias atuais. Vive-se um clima que intercala irritação e angústia no seio da muitas das melhores famílias. Irritação, devido ao desgaste crescentes nas relações conjugais - causados pelos mais diversos fatores. E angústia, devido a incapacidade dos cônjuges em conflito - de encontrarem juntos a fonte de restauração da alegria e afinidade conjugal. Todavia, o que a grande maioria não entende, é que "O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia; e conhece os que nele confiam" (Naum 1.7).

Problemas existentes nas relações de trabalho

A intolerância vem sendo a marca dominante nas relações trabalhistas. Por parte do patrão: A desconfiança quanto a lealdade e produtividade do seu empregado; a qual provoca um crescente mal estar entre ambos, até mesmo por um simples olhar despretensioso. Por parte do empregado: A suspeita crescente de que está sempre sendo roubado por seu patrão. E enquanto ambos assim procedem; nem se apercebem de que dependem um do outro, muito mais do que imaginam, em dias de crescente crise na economia global. Todavia, o que a grande maioria não entende, é que "O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia; e conhece os que nele confiam" (Naum 1.7).

Problemas causados por desordem da psique

Nunca, em momento algum da história, a psiquê humana foi tão profundamente bombardeada por conflitos existenciais de natureza indeterminada. As pessoas nem sabem exatamente porque carregam tantos bloqueios psíquicos; tantos traumas em suas memórias; tanta desordem mental. Um dos setores da medicina mais procurados, é aquele que trata com os problemas da mente. No passado, as pessoas eram classificadas como "loucas" ou "lúcidas". Hoje, com a evolução da ciência da mente humana, o abismo entre ambas as categorias começou a ser preenchido por outros adjetivos; em sua maioria, de difícil compreensão - até mesmo por muitos profissionais do setor. Resumindo: Parece a todos nós, que o mundo está enlouquecendo progressivamente. Todavia, o que a grande maioria não entende, é que "O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia; e conhece os que nele confiam" (Naum 1.7).

Problemas espirituais

Nunca se viu tanta procura aos deuses - deuses antigos e novos deuses - como nos dias de hoje. Qualquer casa de culto que se abra; e por mais estranha que seja sua proposta espiritual, logo logo acaba sendo ponto de procura por alívio de diversas ordens - como se todos os problemas se originassem no ser espitirual que todos nós somos. E esta é uma dolorosa verdade: Nossos problemas são mesmo de origem espiritual! Todavia, o que a grande maioria não entende, é que "O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia; e conhece os que nele confiam" (Naum 1.7).

E devido a esta falta de entendimento, não percebem outra dolorosa verdade: A grande maioria das casas que são abertas para atender a esta "clientela" crescente - não passa de embuste. É o mundo dos negócios, em que alguns procuram se aproveitar deste "mercado promissor", para vender - não mais a "banha da cobra", que já está em desuso - mas; produtos mais sofisticados, tais como: O "lencinho ungido"; ou, o "óleo milagroso"; e, até mesmo, a "água do rio Jordão" - ou mesmo um livro ou DVD - com a promessa de que receberão "cem vezes mais"; ou terão todos os seus problemas resolvidos - contanto que paguem um bom preço por isso. Impiedosos farsantes - travestidos de ministros de Deus! O seu fim poderá vir a ser tão lamentável quanto o estado em que suas vítimas se encontram. Maranata!

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 3 de setembro de 2011

Ainda visitando o Distrito de Cataguases

Culto dominical e EBD na IMW de Leopoldina

No domingo de manhã, saímos - eu, o Pastor Renato Jabor e sua esposa - rumo a cidade de Leopoldina; distante de Cataguases pouco mais de 20 km. Chegamos ainda a tempo de tomar o café da manhã com os queridos irmãos daquela igreja wesleyana. Foi um momento de muito prazer, comunhão e alegria. A mesa estava farta e convidativa - com todos os ingredientes para tornar o café da manhã em uma experiência muito agradável. Enquanto esperávamos o início da reunião, conversamos com o Aspirante Paulo e o colocamos à par da necessidade de fazermos uma permuta - entre ele e o Pastor Ernane; expondo também as razões que nos levavam a esta medida.

O culto teve o seu início por volta das 09 da manhã. Um culto bem animado e concorrido, sob a direção do SD Pastor Renato Jabor. Após o período de introdução e louvor, foi me passada a palavra para a mensagem. No púlpito estavam, além do SD e do Bispo, os seguintes obreiros: Aspirante Paulo - até então responsável por dirigir aquela igreja; e os Presbíteros: Cassiano e Policarpo, assentados; e Isaac ministrando o louvor congregacional. Após a mensagem e as orações; informei a igreja sobre as decisões que havíamos tomado - promovendo a permuta entre o Pastor Ernane, que assumirá a igreja de Leopoldina; e o Aspirante Paulo, que assumirá a igreja de Tocantins de Minas - distante cerca de 45 km uma da outra.

Ao final do culto, passamos algum tempo cumprimentando os amados irmãos daquela igreja. Em seguida, retornamos a Cataguases, para um tempo de descanso; pois, teríamos que pregar no culto da IMW de Vila Minalda - a segunda igreja wesleyana de Cataguases. Mas este é assunto para outra postagem.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Vivendo entre feras

A cena descortinada é a de um ancião caminhando cansado; com seus passos sendo dados, sob o peso da idade, um após outro. E lá ia o velho profeta de Deus. Certamente que esta caminhada forçada, lhe provocava um turbilhão de sentimentos. E havia algo diferente naquele roteiro; diferente das idas e vindas a que estava habituado - entre o palácio e sua casa. É que ele fora alvejado pelos dardos da inveja e da cobiça. Mas estava consciente de que - ao fim daquela caminhada - o esperava o martírio e a glória. Ou, então, mais uma vitória - dentre as muitas que acumulava ao longo de sua vida. Seus inimigos o entregaram às feras. E nem imaginavam o quanto Daniel tinha noção de que as feras que o condenaram eram bem piores do que as feras que o aguardavam. O que fazer, em uma situação como essa?

Mas Daniel sabia como proceder. Ele procuraria, com seus olhos espirituais, um ponto entre o céu e a terra; um sinal da gloriosa presença do seu Deus. Sabia muito bem que o seu Deus não o deixaria só. Nem mesmo os vorazes leões que o esperavam o intimidavam. E sua fé lhe bradava que este sinal - para vida ou para morte - haveria de chegar...

Ele fora vítima de uma rede de intrigas engendrada por seus inimigos. E eles eram muito piores do que os leões ensandecidos. No entanto, havia algo que os seus adversários desconheciam: Daniel fora alvejado muito tempo antes, em algum ponto entre Jerusalém e o deserto, por uma unção que o distinguiria dentre os demais jovens que seguiam com ele, rumo a Babilônia - em cativeiro sem esperança. Sim! Porque Daniel, ainda em sua juventude, fora atingido em cheio pela unção de Deus. E era esta unção a verdadeira razão pela qual fora perseguido ao longo de toda a sua vida; mas, era também por esta mesma unção que sempre escapara dos seus perseguidores.

Por inúmeras vezes; esta unção que o blindava já o havia protegido, em lutas e provas que tivera que enfrentar. É algo parecido com o que ocorre nos diversos níveis de um jogo de videogame: Daniel, o grande guerreiro, vinha subindo de nível e acumulando pontos a muito tempo. Nunca sabia quando seria o "gran finale"; mas, sentia-se sempre preparado para a próxima etapa!

E esta seria uma etapa muito especial! Fora surpreendido por seus inimigos, fazendo aquilo que mais gostava: Orar a Deus! Diferente de muitos de nós - jamais deixava de orar; nem mesmo quando as lutas e afazeres recrudesciam. Era obstinado em buscar a Deus! As dobradiças de suas janelas nunca enrijeciam... Posto que, três vezes ao dia, num misto de devoção e temor, as abria na direção de Jerusalém e buscava a face do Seu Deus. Sim! O mesmo Deus que Abraão e Moisés outrora cultuaram! O qual também é o nosso Deus - embora nem sempre o busquemos - poderoso para nos livrar, assim como livrou a Daniel.

E, com passos cansados, seguia Daniel a sua visão - rumo à caverna escura para onde se dirigia. Tão escura como a noite que a envolvia. E lá foi lançado o homem Daniel. Não um homem qualquer; mas, um homem de Deus!

Os leões estavam lá - inquietos e agressivos; prontos para o repasto, como determina a natureza de um felino. Todavia; era sentida naquela caverna fria - além de Daniel - uma presença que incomodava e assustava aquelas bestas enfurecidas. É que o sinal que Daniel esperava, chegara antecipada e preventivamente - vindo na forma de um anjo. Não havia tempo a perder; e Deus sabia disso! Ele cuidaria do Seu velho profeta. Sim, Daniel: Haveria para você glória em algum lugar no futuro. Mas, naquele momento, o que aconteceria mesmo era o livramento do Senhor - o qual deixaria as feras ainda mais irritadas - tanto as de dentro como as de fora. E mal sabiam elas que, dentro de algumas horas teriam a oportunidade de ter o seu merecido encontro.

E, ao final deste ato, seus inimigos partiriam perplexos para um encontro de morte. Enquanto que Daniel tivera mais um encontro de vida. Pois o seu Deus entrara com providência.

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Visita ao Distrito de Cataguases

Esta foi nossa primeira visita ao distrito de Cataguases. Este Distrito foi criado em nosso último Concílio Regional. Sabíamos da existência de uma grande expectativa, concernente a esta primeira visita. Celia e eu, saímos em tempo de chegar para o Café da Manhã com os obreiros, no templo da IMW Central de Cataguases. Lamentavelmente, fomos surpreendidos por um trânsito lento; a viagem que era para durar cerca de três horas, demorou vinte minutos a mais.

Reunião Distrital de Obreiros

Encontramos os Pastores e obreiros a nossa espera, para o "Café da Manhã. O SD do Distrito - Pastor Renato Jabor, juntamente com sua esposa - já estava com tudo preparado para assim que chegássemos. A mesa estava repleta de iguarias; regadas a diversos tipos de suco; e também café, leite e chocolate.

A reunião foi imediatamente após o Café da Manhã - com a presença de todos os Pastores e algumas esposas de Pastores. Preguei a Palavra de Deus; e ministrei uma palavra profética para as igrejas do Distrito. Em seguida, apresentei um relatório sobre o estado geral da II Região; e dei algumas orientações para a aplicação do Plano Diretor Regional. Ao final - após os cumprimentos - fomos todos almoçar em um restaurante muito bom; ali mesmo, em Cataguases.

Anotamos as seguintes presenças: Pastores: Renato Jabor (Barra); Fabiano de Souza ( Central de Cataguases); Celso Marques (Vila Minalda); Joel Távella (Além Paraíba); Antonio Dantas (Astolfo Dutra); José Márcio (Piraúba). Aspirante Paulo Fernando (na ocasião, em Leopoldina; hoje em Tocantins de Minas). Estavam também os seguintes obreiros: Presbíteros: Alexandre; Luciano; Nazaro; Anísio; Amarildo; e Wilber. Diáconos: Adão e Claudia. Havia também o pastor Márcio, de outro ministério, que nos visitava.

Culto Distrital na IMW Central de Cataguases

A tarde, visitamos um amplo terreno pertencente a igreja. Os projetos daquele trabalho são tão grandiosos quanto o trabalho em si. O Pastor Adriano e sua esposa Rosa, nos falava da visão que tinham. Senti-me muito bem ao ouvir os seus planos.

O Culto Distrital foi realizado, a noite, no templo da igreja central de Cataguases; o qual, mesmo com os cerca de quatrocentos lugares, tornou-se pequeno para a grande multidão que afluiu - que obrigou ao isolamento da Rua da igreja. Os Pastores do Distrito, juntamente com os seus Presbíteros, estavam todos assentados no púlpito. O Culto teve a direção do Pastor Renato - SD; ajudado pelo Pastor Fabiano - Titular da igreja local. Eu tive o privilégio de Pregar a Palavra de Deus.

Dois Ministérios de Louvor tiveram participação destacada no evento: O da IMW Central de Cataguases, com os seguintes componentes: Marcelo, Elizandra, Marcela, Rosa, Viviane, Diego, Tales, Victor e William (eles fizeram uma brilhante abertura do trabalho). E o da IMW de Barra, com os seguintes componentes: Thais, Namiguia, Ester, Michael, Régis e Késia (fizeram um encerramento apoteótico - com o cântico do cantor Marquinhos Gomes: "Quem tem promessa de Deus vence o mal".

Após o culto e os cumprimentos, fomos saborear deliciosas pizzas na residência do Pastor Fabiano, onde estávamos hospedados. Em seguida, fomos descansar; pois, no dia seguinte pela manhã, teríamos que viajar para Leopoldina, para um "Café da Manhã" com os membros da igreja; seguido de um culto matutino. Mas sobre isso, falarei no próximo "giro episcopal".

Cordialmente;
Bispo Calegari