sábado, 24 de dezembro de 2011

O nascimento de Jesus Cristo


"18  Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. 19  Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. 20  E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; 21  E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. 22  Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; 23  Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. 24  E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; 25  E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus".
(Mateus 1.18-25)

Neste dia que antecede o tão celebrado Natal de Cristo - quero, aqui, trazer uma palavra de orientação e de reflexão quanto a esta tão importante data para os cristãos.

A importância não está no dia 

Discute-se muito nos dias de hoje, quanto ao dia exato em que Jesus nasceu - como se isso fosse algo de suprema importância para a doutrina cristã. Na verdade, saber o dia exato em que Jesus nasceu não acrescenta valor algum ao que já recebemos da parte de Deus Pai através do seu nascimento. Estou plenamente convencido de que se o dia exato fosse de fundamental importância, Deus não nos deixaria sem informação quanto a isso.

Por outro lado, o fato de se convencionar um dia especial para esta comemoração não implica em transgressão alguma contra a doutrina de Deus. Até mesmo porque não existe doutrina quanto a um determinado dia. Em assim sendo, além de não ser agravo à doutrina cristã, o dia 25 de dezembro é um bom dia para se comemorar o Natal - especialmente por ter se tornado uma data universalmente aceita pela Igreja Cristã, como a data para tão importante celebração.

A importância não está na liturgia utilizada 

Cada segmento cristão - evangélico ou não - tem o seu modo de celebrar o "Dia de Natal". De modo geral, com um culto comemorativo do nascimento do Messias. Não existe uma liturgia pré-determinada, a não ser aquela que cada denominação estabelece - como um ritual próprio da mesma. Existem as tradicionais "cantatas"; e também as encenações alusivas ao nascimento de Jesus. A criatividade de cada segmento é que vai determinar o tipo de celebração.

Por incrível que pareça ser - pode-se comemorar o "Dia de Natal", até mesmo sem realizar ato litúrgico algum. Este dia pode ser comemorado em família. Pode ser comemorado entre irmãos que se reúnem em um determinado lugar, para comemorar a data. Pode ser através de um jantar comemorativo; ou, mesmo, de um jejum previamente combinado entre as partes interessadas neste tipo de comemoração. O importante mesmo, é que a Bíblia seja lida e o Senhor Jesus seja louvado.

Como devemos, então, comemora-lo 

Esta é a pergunta certa! O que se impõe nesta celebração é uma atividade em sintonia com a doutrina de Cristo. Se é verdade que, neste dia, pode-se ou não comer; pode-se se celebrar com uma liturgia ou não; enfim... Pode se utilizar criatividade em sua comemoração. Todavia, existem algumas práticas que não devem ser introduzidas em uma celebração cristã:

Dentre elas, não se deve incrementar práticas idólatras e pagãs em uma celebração cristã. Não estou aqui considerando aquele tipo de "paganismo" apontado por alguns grupos extremistas que denunciam e condenam determinadas coisas, baseados em pressupostos ou preconceitos, por se julgarem "donos da verdade". Convém sempre lembrar que algumas posições extremas são tão perigosas quanto o suposto paganismo e a idolatria que tanto condenam.

Outrossim, não devemos dividir a glória do Messias com nenhum outro personagem - mesmo aqueles que foram popularizados pelas tradições e crendices de muitos cristãos. É devido a isso que vejo como prática espúria, valorizar a figura do "Papai Noel" ou de anjos. O Natal é a comemoração do aniversário de Cristo. Não nos esqueçamos disso!

Comemorando o Natal com temor e tremor 

Ditas estas coisas, conclamo o povo de Deus a comemorar o Natal de Cristo em profundo sentimento de adoração e de gratidão, por tudo o que recebemos através do Salvador que nasceu, cresceu, sofreu e morreu para nos dar vida eterna. Feliz Natal!!!

Cordialmente;
Bispo Calegari











Nenhum comentário:

Postar um comentário