terça-feira, 18 de outubro de 2011

A vida não é brincadeira

Gosto muito de pensar naquelas histórias cheias de aventura e de algum mistério. Talvez tenha sido por isso que sempre apreciei aqueles filmes de suspense. Sei que não sou um grande contador de história; mas, gosto de contá-las. Hoje, resolvi contar uma história que sempre me impressionou. Uma história cheia de força e de um enredo incomum. Uma história, cuja finalidade é nos transmitir lições que jamais devem ser esquecidas.

O preço da inconsequência

Era uma vez... Um homem que terminou os seus dias andando em círculo. Todavia, necessário se faz dizer que seu futuro se afigurava promissor. O seu nascimento foi precedido por uma palavra profética que conferia "ao menino que iria nascer" uma força descomunal. Inclusive, segundo a mesma palavra profética, sua mãe precisaria tomar alguns cuidados especiais durante a sua gravidez - para que não houvesse o menor risco capaz de comprometer a saúde e o destino daquele menino.

A criação de um menino especial como aquele, iria também exigir medidas e ensinamentos especiais. Uma das medidas a serem tomadas, seria a de manter os seus cabelos crescidos - sobre os quais jamais deveria passar o fio da navalha. Sua comida e bebida também deveriam ser destituídas de qualquer componente alcoólico. E os ensinamentos sobre o Deus de seus pais, bem como sobre a história do seu povo, deveriam ser-lhes sempre ministrados.

E assim, ao nascer, recebeu de sua mãe "o nome de Sansão". E, cercado de cuidado e instruções, "o menino cresceu, e o SENHOR o abençoou". Segundo o registro de sua história, "o Espírito do SENHOR começou a incitá-lo de quando em quando" ao encontro dos filisteus - povo cujo destino estava de algum modo ligado ao seu - a missão de sua vida. E assim, as pequenas rusgas iam se tornando cada dia mais intensas; até que passou a ser o homem mais temido e odiado por este povo pagão.

Entretanto, juntamente com sua força e fama, algo crescia com ele: Uma ingenuidade mesclada com irreverência o fazia viver uma vida superficial e marcada pelo improviso. Na verdade, ele não se dava conta do perigo que o rondava; e seguia - tomando atitudes impróprias para um nazireu de Deus. Aquele jovem tinha uma natureza brincalhona; e gostava de contar suas façanhas. As vezes se exibia - até mesmo quando precisava utilizar sua força física, em situações de perigo real.

Lamentavelmente, uniu sua vida a uma mulher frívola; leviana. E, deste modo, sua paixão inconsequente viria a se tornar em sua ruína. E o homem Sansão, separado por Deus para uma grande obra, caminhava com os seus próprios pés em direção a sua humilhante prisão. Suas brincadeiras foram enfraquecendo suas defesas morais e sobrenaturais. Mas ele, indiferente a tudo isso, continuava brincando. Finalmente, a força que Deus lhe tinha dado, estava sob o controle de uma mulher sem Deus.

Naquele dia, ele perdeu os seus cabelos; perdeu a sua honra; perdeu os seus olhos; perdeu a sua liberdade. E assim, devido a brincadeiras irresponsáveis - em meio a um relacionamento errado - acabou por tornar-se em uma espécie de "bobo da corte"; alguém sem honra e sem dignidade. O homem desceu ao mais profundo calabouço! Em regime de prisão perpétua, passou a viver a vida andando em círculo - preso a uma corrente, em uma masmorra - fazendo o trabalho de um animal. Triste fim para um escolhido de Deus!

Por misericórdia, Deus se compadeceu dele e foi lhe devolvendo a força aos poucos até que - com os cabelos inteiramente crescidos - percebeu que Deus o levantara de novo. Este ato misericordioso de Deus não iria ajudá-lo a ter uma vida melhor; mas... O ajudaria a ter uma morte honrosa - cumprindo em sua morte, a missão que não conseguira cumprir em vida.

Uma lição para não ser esquecida

E esta lição está registrada no Livro Sagrado, como um sinal de alerta a todos aqueles que tratam com leviandade os dons e ministério que receberam do Senhor. Homem de Deus algum está livre de sofrer as mesmas penas, caso entregue sua alma à vaidade e sua força a serviço do inimigo - seja envolvendo-se em relacionamentos errados; seja transformando seus dons e talentos dados por Deus em motivo de brincadeira - utilizando-os com futilidade; ou, para sua glória pessoal.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário