terça-feira, 21 de junho de 2011

O crente e a fé

No domingo último, Deus me concedeu a graça de pregar em nossa igreja de Guaçuí no sul do Espírito Santo - pastoreada pelo SD do Distrito de Alegre, Pastor Gilberto Beloni. E o que se segue agora, é a íntegra do sermão pregado naquela tribuna.

O crente e a fé

"Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam" (Hebreus 11.6).

Desde muito cedo, em minha vida cristã, comecei a ser atraído para um dos componentes que considero essencial para uma vida cristã bem sucedida: Eu me refiro a fé. A Palavra de Deus diz que "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor" (1 Coríntios 13.13). Portanto, salvo melhor juízo, tenho entendido que - na relação bíblica de atributos - a fé só perde em importância para o amor.

Preciso dizer aqui, três coisas que considero da maior relevância quando se trata de fé. Minha premissa é que a fé desempenha papel fundamental em toda a trajetória do cristão - desde o seu despertar para Deus, passando pelo seu novo nascimento e no desenvolvimento de sua experiência de santificação; bem como na esperança da vida eterna - a fé permeia todos os passos dados por alguém que tenha tido um encontro real com Deus.

Dada a importância da fé em toda a existência de um crente, torna-se necessário saber, pelo menos, três coisas básicas sobre ela: Precisamos saber como ela se apresenta; precisamos saber o que ela realiza; precisamos saber como agir por meio dela. Vejamos isso então:

1. Como a fé se apresenta

1.1. A fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus: "Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo" (Romanos 10.17). Daí a necessidade de se pregar o evangelho. Todo o crente precisa saber que a pregação do evangelho é o instrumento para produzir fé salvadora no coração do ser humano. E, ao que me parece, não existe um outro meio para fazer a fé salvadora chegar no coração humano! É assim com a fé que salva; com a fé que cura; e com a fé que liberta - enfim, com a fé que se apropria das promessas de Deus: Ela só vem pela Palavra de Deus!

"Como pois invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? assim como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam coisas boas" (Romanos 10.14-15).

1.2. A fé se manifesta pela confissão: "Mas que diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé, que pregamos" (Romanos 10.8). O texto não deixa a menor dúvida quanto ao fato de que a Palavra da Fé precisa estar tanto no coração como na boca daquele que a professa. O princípio está claramente definido: É com o coração que se crê e com a boca que se confessa aqui em que se crê! Resumindo: Não basta acreditar; é preciso confessar aquilo em que se acredita.

"Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação" (Romanos 10.9-10).

1.3. A fé se impõe em meio as lutas: "Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé" (1 João 5.4). Os grandes combates travados por valorosos homens de Deus no passado, foram iniciados e vencidos pela fé (Davi contra Golias; Josué em Jericó; e muitos outros). Pois é; tanto os homens de Deus dos tempos bíblicos do Antigo, como do Novo Testamento - travaram suas batalhas mediante a fé. E é por meio da fé que o crente em nossos dias consegue vencer suas grandes lutas e provações.

"E que mais direi? Pois me faltará o tempo, se eu contar de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas; os quais por meio da fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam a boca dos leões" (Hebreus 11.32-33).

2. O que a fé realiza

2.1. A fé da sentido a crença: "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem" (Hebreus 11.1). Como admitir realidades tão abstratas como a vida futura; a salvação pela graça; a cura pela fé; e muitas outras? Apenas a fé é capaz de comprovar e fundamentar a certeza e a esperança que temos no tocante a estas coisas. A fé é o único recurso que temos, capaz de nos fazer crer em Deus - em sua existência; em seus atributos; em seu amor por nós. É somente pela fé que conseguimos manter tais convicções.

"Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte; e não foi achado, porque Deus o trasladara; pois antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam" (Hebreus 11.5-6).

2.2. A fé qualifica e autentica o sacrifício: "Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala" (Hebreus 11.4). Já tenho ouvido pregadores dizerem que o sacrifício de Abel foi aceito porque ele ofereceu um animal - com derramamento de sangue. Eu mesmo já preguei que Deus aceitou o sacrifício de Abel por ter ele oferecido o melhor animal do rebanho. Todavia o texto afirma que a aceitação foi mediante a fé de Abel!

"Sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, mas sim, pela fé em Cristo Jesus, temos também crido em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não por obras da lei; pois por obras da lei nenhuma carne será justificada" (Gálatas 2.16).

2.3. A fé dá substância a promessa de Deus: "Pela fé, até a própria Sara recebeu a virtude de conceber um filho, mesmo fora da idade, porquanto teve por fiel aquele que lho havia prometido" (Hebreus 11.11). A Palavra de Deus explica como Abraão chegou a ser o "pai da fé": Está escrito que Abraão "sem se enfraquecer na fé, considerou o seu próprio corpo já amortecido (pois tinha quase cem anos), e o amortecimento do ventre de Sara; contudo, à vista da promessa de Deus, não vacilou por incredulidade, antes foi fortalecido na fé, dando glória a Deus, e estando certíssimo de que o que Deus tinha prometido, também era poderoso para o fazer" (Romanos 4.19-21).

"Então respondeu Jesus, e disse-lhe: ó mulher, grande é a tua fé! seja-te feito como queres. E desde aquela hora sua filha ficou sã" (Mateus 15.28). "E pela fé em seu nome fez o seu nome fortalecer a este homem que vedes e conheceis; sim, a fé, que vem por ele, deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde" (Atos 3.16).

3. Como devo agir em relação a fé

3.1. É a minha fé em Jesus que move o braço de Deus em meu favor. Devo me apegar sempre a plena certeza de que Deus pode agir em meu favor - seja qual for a minha dificuldade: "Partindo Jesus dali, seguiram-no dois cegos, que clamavam, dizendo: Tem compaixão de nós, Filho de Davi. E, tendo ele entrado em casa, os cegos se aproximaram dele; e Jesus perguntou-lhes: Credes que eu posso fazer isto? Responderam-lhe eles: Sim, Senhor. Então lhes tocou os olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo a vossa fé" (Mateus 9.27-29).

3.2. Nunca devo olhar para a grandeza do meu problema - mas sim para a grandeza do meu Jesus. A questão é apresentada de maneira clara neste texto: Seja qual for a nossa dificuldade - o problema não está no fato de Jesus poder ou não fazer - e sim, no fato de podermos ou não crer: "E perguntou Jesus ao pai dele: Há quanto tempo sucede-lhe isto? Respondeu ele: Desde a infância; e muitas vezes o tem lançado no fogo, e na água, para o destruir; mas se podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. Ao que lhe disse Jesus: Se podes!-tudo é possível ao que crê. Imediatamente o pai do menino, clamando, [com lágrimas] disse: Creio! Ajuda a minha incredulidade" (Marcos 9.21-24).

3.3. Nunca devo me deixar influenciar pelas vozes da incredulidade ou da impossibilidade. Muitas vezes, a voz da incredulidade sai até mesmo dos lábios dos nossos maiores amigos; em seu desejo de nos ajudar. Mas, em tratando-se de assuntos de fé, não devo me deixar influenciar pela voz da incredulidade - mas sim pela Palavra de Deus: "Enquanto ainda falava, veio alguém da casa do chefe da sinagoga dizendo: A tua filha já está morta; não incomodes mais o Mestre. Jesus, porém, ouvindo-o, respondeu-lhe: Não temas: crê somente, e será salva" (Lucas 8.49-50).

Concluindo

Marta julgava ter motivos lógicos para interpelar o Mestre, chamando sua atenção para a inconveniência de se remover a pedra da tumba; onde os restos mortais de seu único irmão repousavam. Mas Jesus exortou-a a crer: "Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque está morto há quase quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus" (João 11.39-40).

E Lázaro levantou-se dentre os mortos, para a glória de Deus e para a alegria de todos os que o amavam. Assim aconteceu com as duas irmãs de Betânia! Assim acontecerá conosco, se pusermos fé em Jesus!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Querida prima Fátima;
    Tenho muitas vezes louvado a Deus por tua vida. Assim como tenho louvado a Deus por nossa prima Joselita – filha de nossa tia Iolanda.
    A nossa igreja em Niterói, fica quase em frente a lateral da Rodoviária de Niterói – aquela rua que passa bem ao lado da Rodoviária, sentido de que vai para o centro (mão única). Não tenho o nome da rua nem o número; mas é bem fácil achá-la.
    Espero em Deus conhecê-la pessoalmente; tenho em minha memória momentos que passei conversando com o tio Orlando – ainda garoto.
    Teu primo que te ama no Senhor.

    ResponderExcluir