quarta-feira, 30 de março de 2011

Algo acontece quando estamos orando

Ainda a pouco eu estava orando - oração costumeira. Aquela oração que me coloca perante o meu Senhor - prostrado e aberto a ouvir Sua voz. Posso garantir que não existe sensação de segurança igual a que experimentamos na presença do Senhor.

Estando a orar, fiz como geralmente faço: Adorei - orando e cantando. Lamentei por não corresponder ao investimento que o Deus eterno tem feito em minha vida. Agradeci pela vida de minha querida esposa; dos meus filhos, noras, genro , netas e netos. Agradeci também pelos bens que me vieram às mãos; pelos amigos e irmãos; pela missão. Enfim, agradeci ao meu Deus pelo meu bem mais precioso: A salvação!

Ah... Também intercedi - como sempre faço. E o foco da intercessão é quase sempre o mesmo: Família; companheiros de ministério; os membros do conselho Geral; a liderança da Segunda Região; amigos e irmãos presentes em minha página no facebook. Intercedi até pelos que me fazem mal. Que bênção é poder estar orando!

Realmente, posso afirmar que algo acontece quando estamos orando! Todavia, para que algo aconteça quando estamos orando; é necessário que façamos algo, enquanto estamos orando. Por exemplo:

"Quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que também vosso Pai que está no céu, vos perdoe as vossas ofensas" (Marcos 11.25).

Não existe a menor chance de termos sucesso na oração, se o nosso coração não estiver disposto a perdoar aos nossos ofensores e devedores. Liberar perdão é condição essencial, para sermos perdoados e abençoados por Deus; e também para abençoarmos os homens - mesmo aqueles que nos afligem. O ato de perdoar é um ato de generosidade; ato que nunca fica sem recompensa.

"Estava Jesus em certo lugar orando e, quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos" (Lucas 11.1).

Enquanto oramos, precisamos procurar aprender a orar objetivamente. Precisamos entender que oração não é apenas um jogo de palavras, ou um mantra formulado em atitude mística. Orar não é entrar em êxtase. O pedido feito a Jesus por seus discípulos pressupõe a importância que deram a uma oração bem formulada. É interessante notar que este pedido foi feito, quando Jesus estava em certo lugar, orando. Eles devem ter percebido algo diferente.

Vemos assim, a importância de tomarmos algumas medidas primárias, ao orarmos; e, a partir daí, algo sempre acontece quando estamos orando!

Quando estamos orando, experimentamos livramento

"Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e estar em pé na presença do Filho do homem" (Lucas 21.36).

Segundo o "Aurélio", a palavra livramento é um substantivo masculino; que significa "ato ou efeito de livrar-se; ou soltura de alguém que se achava preso". E nós temos um clássico exemplo de livramento no NT: A soltura do apóstolo Pedro.

A Palavra de Deus relata que "Pedro, pois, estava guardado na prisão; mas a igreja orava com insistência a Deus por ele" (Atos 12.5). Liberto da prisão por um anjo, dirigiu-se ao cenáculo, onde a igreja orava em seu favor. E, em meio ao espanto que se sucedeu, "ele, acenando-lhes com a mão para que se calassem, contou-lhes como o Senhor o tirara da prisão, e disse: Anunciai isto a Tiago e aos irmãos. E, saindo, partiu para outro lugar" (Atos 12.17). Verdadeiramente, quando estamos orando, algumas prisões se abrem - tanto na nossa própria vida, como na vida de pessoas pelas quais intercedemos.

Quando estamos orando, somos visitados

"Ordenou-lhe o Senhor: Levanta-te, vai à rua chamada Direita e procura em casa de Judas um homem de Tarso chamado Saulo; pois eis que ele está orando" (Atos 9.11).

Em momentos de dor e conflito, quando estamos orando, Deus sempre envia alguém para nos auxiliar - homens ou anjos. Tanto no passado como no presente, Deus tem enviado alguém, para confortar, encorajar e direcionar a vida de pessoas que estavam orando. Isso aconteceu com Paulo - em um momento de fragilidade. E também aconteceu com Cornélio! E sobre esta experiência, "Então disse Cornélio: Faz agora quatro dias que eu estava orando em minha casa à hora nona, e eis que diante de mim se apresentou um homem com vestidura resplandecente" (Atos 10.30).

Lembro-me perfeitamente da experiência da irmã Graça - esposa do Pastor Antonio Santana, da IMW do Jacaré, em Cabo Frio-RJ. Foi no final dos anos oitenta. Seu lar vivia sérios problemas; necessitando muito da ajuda de Deus. Naquele dia (parece-me que Primeiro de maio), ela pediu a Deus que pusesse um fim no sofrimento da família. Então, ouviu a voz do Senhor dizendo: "filha, neste dia enviarei um anjo à tua casa; e a vida de vocês vai mudar". Naquele dia, em visita de rotina (assim pensava eu), entrei naquela casa desconhecida pela primeira vez (não conhecia pessoa alguma daquela família). Encontrei Antonio Santana - hoje pastor; sentado em um sofá - de bermuda e camisa regata. Ministrei e orei. Foi o dia de salvação para aquela família!

Quando estamos orando, somos desafiados

"Estava eu orando na cidade de Jope, e em êxtase tive uma visão; descia um objeto, como se fosse um grande lençol, sendo baixado do céu pelas quatro pontas, e chegou perto de mim" (Atos 11.5).

Pedro nem podia imaginar o que aquela visão significava. Ele estava prestes a transpor os limites que separavam os judeus dos gentios. As barreiras que ainda existiam entre a comunidade cristã emergente e o mundo gentio, estavam prestes a serem derrubadas. E um dos fatores que contribuíram para isso, foi o fato de Pedro estar orando. Naquele momento, sem que ele entendesse muito bem o que acontecia, Deus lhe dava uma visão e uma missão.

Assim acontece também conosco: Sempre que estamos orando, nos tornamos disponíveis a que Deus nos dê uma visão e uma missão. Maria Celia costuma contar que um dia, quando ainda adolescente - enquanto preparava o almoço da família - ajoelhou-se ali mesmo, na cozinha, para orar. Enquanto orava, ouviu Deus lhe falar: "Minha filha, eu estou te chamando para o ministério". Mesmo sem saber o significado desta palavra, ela respondeu: "Senhor, eu não tenho sabedoria; e nem condições" - ao que o Senhor respondeu: "Sabedoria e condições eu te darei". E tenho experimentado, ao longo de quarenta e um anos, a companhia e apoio de minha querida esposa, no exercício do ministério para o qual o Senhor a chamou, enquanto estava orando.

Existem muitas outras coisas que podem acontecer, quando estamos orando. E a imaginação - tanto a minha como a sua - pode percorrer um universo de possibilidades decorrentes da oração que fazemos. Deus age quando um crente ora com fé e entrega. Por isso, é muito importante sabermos que algo acontece quando estamos orando!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário