sábado, 5 de fevereiro de 2011

Ainda sobre as bem-aventuranças

Como eu havia prometido em postagem anterior, segue continuação do artigo com o título: "Bem aventurados sois".

Sempre vi as "bem-aventuranças" como uma espécie de tônico estimulante do apetite (daqueles encontrados nas farmácias, cuja finalidade é abrir o apetite de pessoas subnutridas, anémicas, necessitadas de alimento). Tal como aqueles, as "bem-aventuranças" nos estimulam na busca de valores essenciais para a o fortalecimento da nova natureza que recebemos de Deus.

As bem-aventuranças aparecem, no contexto do "Sermão da Montanha", agrupadas em nove elementos (O "fruto do espírito" também é constituído de nove elementos). Vamos examiná-los, um a um, procurando tirar de suas maravilhosas declarações, as lições que podem nos fazer melhores crentes; vivendo uma vida cristã pautada em seus valores.

Os nove elementos

1) "Bem-aventurados os humildes de espírito" (v.3). A humildade é uma virtude muito apreciada na vida de qualquer pessoa. Todavia, ela se torna indispensável na vida de uma pessoa que serve a Deus. Um crente, para ser honrado, precisa ser humilde; pois, a Palavra de Deus afirma que a humildade precede a honra. No Reino de Deus, não há como buscar honra por outros caminhos! O cristão que pretende alcançá-la, precisa ser humilde.

2) "Bem-aventurados os que choram" (v.4). Existem vários textos na Bíblia, que conferem ao pranto, propriedades terapêuticas. A canção do Pastor e cantor Elizeu Gomes nos incentiva: "Chore pra Deus; o choro não cai! O Choro da alma sobe, sobe, sobe mais...". Realmente, o choro perante o Senhor, é um choro que sobe - cujas lágrimas são levadas, por anjos, a Deus. E ainda que o choro dure uma noite inteira, a alegria há de vir pela manhã (Salmo 30.5)!

3) "Bem-aventurados os mansos" (v.5). A mansidão é uma virtude que pode evitar grandes males. Ele se contrapõe à ira e ao descontrole emocional. Moisés é tido como um dos homens mais mansos que já existiram. É bem verdade que a mansidão, por si só, é incapaz de adicionar grandeza a alguém; mas qualquer pessoa que seja vocacionada à grandeza, poderá ser ainda maior se for dotada de mansidão.

4) "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça" (v.6). Aqueles que conhecem a Palavra de Deus, sabem que só existe uma justiça "justa" (permitam-me a redundância): A justiça de Deus. E muitas vezes, por falta da justiça de Deus nas ações de governos e instituições, muitos começam a reclamar fome e sede de justiça. Alguns chegam a tomar medidas extremas - que não é um bom caminho - para lutar em prol da justiça. Outros acabam por se tornar em "justiceiros", procurando "fazer justiça" com as próprias mãos - como se isto fosse possível. todavia, ao verdadeiro servo de Deus, a única justiça que satisfaz, é a que vem do próprio Deus.

5) "Bem-aventurados os misericordiosos" (v.7). Qualquer pessoa que age com misericórdia, pode ter a certeza de que será contemplada com misericórdia. Jesus, repudiando o legalismo dos doutores da lei, cita um texto do Antigo Testamento que diz: "Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício" (Mateus 9.13). Temos diversos exemplos, tanto na Bíblia como na história, de pessoas misericordiosas; as quais acabaram sendo agraciadas com o mesmo tipo de misericórdia que sempre demonstraram ter.

6) "Bem-aventurados os limpos de coração" (v.8). Todos os cristãos comprometidos com a Palavra de Deus, sabem que o sinal de uma vida cristã autêntica é um coração puro. Existem vários textos bíblicos, bem como canções cristãs, que enaltecem as virtudes de um coração limpo. Um cristão que tenha um coração puro, certamente que verá a face do Senhor; mesmo que seja desprovido de algumas virtudes fundamentais. Os "limpos de coração" possuem o selo da santidade. Seu testemunho edifica a todos os que com ele convivem.

7) "Bem-aventurados os pacificadores" (v.9). É uma cena bonita de se ver: Quando alguém se interpõe entre dois litigantes, já prontos a ir a "vias de fato", e os acalma, evitando uma possível tragédia entre ambos. O dito popular chama aos que assim agem, como "a turma do deixa disso". Todavia, a Bíblia os chama de pacificadores. Existem textos bíblicos que garantem bênçãos aos que trabalham pela reconciliação entre irmãos em desavença. É uma bênção!

8) "Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça" (v.10). Este tipo de perseguição, não é aquela perseguição que a justiça empreende, procurando um foragido, ou alguém condenado por crimes. Não é isso! A perseguição referida no texto, é aquela em que alguém incorre, apenas por ser uma pessoa justa. São os perseguidos por aqueles que se sentem incomodados com o seu senso de justiça ou por sua retidão. É um tipo de perseguição muito comum, até mesmo nos meios religiosos.

9) "Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguiram e, mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa" (v.11). É, meus irmãos: esta talvez seja a cena mais comum, até mesmo entre os cristãos. A injúria é um mal corriqueiro; assim como a perseguição injusta. E quando este mal em dose dupla é dirigido contra alguém, apenas porque esse alguém professa e proclama o nome de Jesus; acaba por se tornar um grave pecado contra o próprio Deus. Ou seja: O que este tipo de perseguidor pretende, com calúnia e injúria, é atingir o próprio Senhor Jesus. Por exemplo: É como se o seu vizinho não gostasse de você e, então, perseguisse o seu filho; ou matasse o seu cachorro. Misericórdia!

Concluindo

"Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós" (Mateus 5.12).

Mas a melhor parte deste quadro, meus irmãos, ficou reservada para o final! Se tivermos a ventura de estar, verdadeiramente, inseridos nas "bem-aventuranças", iremos então nos alegrar e exultar pra valer! Pois, como o texto afirma, será grande o nosso galardão nos céus.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário