quinta-feira, 27 de maio de 2010

Giro episcopal pela II Região

Pois é; dando prosseguimento a nossa agenda de visitas aos distritos e igrejas da II Região, Celia e eu saimos para mais um "giro". E não tenho a menor dúvida quanto a importancia desta visita às igrejas do Distrito de Vila Velha, nos dias 19 a 23 deste.
Lamentavelmente, não tivemos o tempo necessário para visitar todas as igrejas do Distrito (ficaram de fora as IMW de: Jardim Colorado, Boa Vista, Oriente, Maracanã e Guarapari). Vamos procurar corrigir isso da próxima vez em que visitarmos o Distrito de Vila Velha.

IMW de Alvorada

Assim que chegamos a Vila Velha, só tivemos tempo de um pequeno lanche preparado pela irmã Marleide, em casa do Pastor Geraldo Lúcio. Logo após o mesmo, saimos rumo à Alvorada, bairro importante de Vila Velha. Ficamos impressionados com a estrutura e beleza do templo, que passou por uma boa reforma, conduzida pelo Pastor Aroldo Augusto Brandão, que responde atualmente pelo pastorado da mesma.

O culto foi de uma unção notável. O Ministério de Louvor, sob a direção da irmã Idilene Ribeiro da Silva, conduziu brilhantemente a igreja na adoração ao Senhor. Foram momentos de grande edificação espiritual. Nosso Deus nos deu uma palavra para a igreja, após a qual os membros e visitantes presentes foram conclamados a estar no altar, em momento de fervente oração de intercessão.

A presença no púlpito, dos membros do Presbitério, me abençoou muito. Deste modo, pude conhecer melhor o Pastor Salomão Vicente Gomes; e os Presbíteros Aldo Brandão de Azevedo, Humberto Alexandre Aimy, Ademir Francisco Mineiro e Sebastião Antonio de Oliveira Filho. Foi um momento de comunhão entre os obreiros, em que nos abraçamos e compartilhamos a alegria do Senhor.

IMW do Aribiri

Deus nos deu a alegria de retornar à igreja do Aribiri, onde pudemos rever e abraçar o Pastor Anacleto e sua esposa, a irmã Marinete. O culto foi uma benção, com brilhante participação dos membros e da liderança local. O Ministério de Louvor foi de grande inspiração, sob a direção do Vinicius Regiani (Diretor Regional de Jovens e filho do Pastor local). O Pastor Geraldo Lúcio e Marleide, nos acompanharam nas visitas, durante os dias que passamos por lá.

Foi comovente a homenagem prestada pela igreja do Aribiri à irmã Maria Célia, em comemoração do seu aniversário. Também tivemos o prazer de rever e abraçar a liderança local. Foi um momento marvilhoso. A IMW do Aribiri é uma igreja em ascenção, tendo construido um belíssimo templo; moderno e climatizado. Após o culto, fomos convidados a comer uma pizza com o Pastor Anacleto e família, na companhia de diversos irmãos, em um ambiente de grande comunhão e cordialidade.

IMW de Flexal II

No dia seguinte, tivemos o prazer de visitar à igreja de Flexal II, que é pastoreada pelo Pastor Paulo Barreto. Estive lá com o Pastor Geraldo Lúcio, pois Célia não pode estar, devido a um jantar surpresa, promovido em sua homenagem (diversos obreiros e esposas participaram dele). Mesmo não sendo um dia normal de culto, a igreja estava repleta. Um ambiente acolhedor e abençoador, com maravilhosa manifestação de Deus sobre todos os presentes. No próximo "giro", falaremos sobre as demais visitas feitas, que tanto prazer nos trouxeram.

Cordialmente;

Bispo Calegari

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O que fazer, quando não conseguimos nos endireitar (final)

Conforme haviamos dito no blog anterior, estamos finalizando o assunto epigrafado. É que ainda faltava o "ingrediente principal". E apresentando este ingrediente, estamos dando por encerrada esta tarefa. É fato inegável, que a mensagem de Lucas 13.11-17 revela, em um relato rápido, o terrivel drama vivido por um pobre mulher que estava oprimida por satã, mesmo sendo ela uma "filha de Abraão".
Podemos verificar que a presença de Jesus naquela sinagoga, acabou por mudar a sorte daquela mulher. Foi o encontro dessas duas presenças naquela "casa de culto" que contribuiu para a ocorrência do milagre: A mulher precisava estar ali; mas Jesus também estava presente! E, nesse encontro, dois importantes ingredientes fizeram toda a diferença:

1. A Palavra da Fé

"Vendo-a Jesus, chamou-a e disse-lhe: Mulher estás livre da tua enfermidade" (Lucas 13.12)

Encontramos na Palavra de Deus, varios exemplos de homens e mulheres que, uma vez alcançados pela Palavra da Fé, acabaram por se verem livres de problemas e enfermidades. É bem provável que, fora desse mover, jamais pudessem libertar-se. Avaliando o modo como muitos agem, quando confrontados pela Palavra de Deus, percebo que algumas pessoas, até mesmo cristãos dedicados, procuram se esquivar da Palavra de Deus. E o pior é que talvez nem se apercebam que, justamente por isso, suas vidas vão ficando cada vez mais problemáticas.

2. O Toque da Fé

"Impôs-lhe as mãos e imediatamente ela se endireitou e glorificava a Deus" (Lucas 13.13).
Percebemos também neste texto que, ao mesmo tempo em que Jesus liberara a Palavra da Fé, também se movera em direção à infeliz mulher, ministrando-lhe o Toque da Fé. Na Bíblia, existem exemplos marcantes de vidas que foram contempladas pela cura divina, ao receberem o toque da f'é. O paralítico da "Porta Formosa do Templo" foi um desses casos de grande projeção.
Não tenho a menor dúvida de que, quando alguém que sofre restrições impostas por deficiências de todas as ordens, este "ingrediente principal" pode vir a fazer a diferença! E de tal modo, que a manifestação da graça de Deus pode mudar completamente sua sorte. Isso aconteceu com o cego de Jericó! Isso acontece com qualquer um que seja capaz de crer nas promessas de Deus.
Cordialmente;
Bispo Calegari


Giro Episcopal pela II Região

Pois é; ainda estamos em visita ao Distrito de Contagem; desfrutando da generosa hospedagem do Pastor José Damião. E o "giro" continua, graças a Deus! E as duas igrejas que visitei vão encerrar este ciclo de visitas.

IMW de Palmares

A igreja de Palmares, localizada no município de Ibirité, na Grande BH, é referência notável da dedicação do Pastor Elcias Borges e de sua esposa, a irmã Beth. Seus quatro filhos, duas moças e dois rapazes, são bem atuantes na igreja. É sempre bom criar a familia envolvida com a obra do nosso Deus.

Nesta visita, fui acompanhado de nossos companheiros, Pastor Benildo (SD da área) e Pastor José Damião (SD do Distrito de BH), chegamos um pouco antes do início do culto. Fomos conduzidos pelo nosso querido e sempre prestativo irmão Saulo. Também estava presente o irmão Fernando, que também costuma nos ajudar com seu veículo. Já se notava aquele movimento que sempre antecede um culto ungido por Deus. A alegria era visivel no rosto dos que já estavam e dos que iam chegando.

O templo e seus anexos, em fase de acabamento, com novos detalhes; com novas etapas no cronograma de obras daquela igreja. Ao iniciar-se o culto, a irmã Beth assumiu o seu lugar à frente do Ministério de Louvor. Uma grande unção de Deus era sentida por todos. Quebrantamento e entusiasmo eram visiveis em todos os presentes.

Fiquei feliz por saber que minha ida coincidia com a data do aniversário da igreja. Onze anos de abençoada existência! Um caminho de sucesso, percorrido ao longo desse tempo. Além do Ministério de Louvor, tivemos participação das crianças e dos jovens. Lindas coreografias foram apresentadas; tudo com muita reverência e ordem, abençoando a todos. Senti facilidade para pregar, devido ao clima favoravel presente durante toda a reunião. Antes do encerramento, oramos pelo povo e ungimos com imposição de mãos a irmã Beth, que está iniciando um trabalho de batalha espiritual naquela igreja.

Após o término do culto, o Pastor Elcias convidou a todos os presentes para um jantar patrocinado pela igreja aniversariante. Foi servido a todos um delicioso strogonoff, preparado com carinho e dedicação pelas queridas irmãs da igreja. Creio num grande futuro, de crescimento e prosperidade, para esta abençoada igreja.

IMW II do Industrial.

Depois de passar boa parte do dia na Sede Regional, fomos opara o culto na II igreja do Industrial, sob o pastorado do Pastor Sanclé, que assumiu este trabalho em janeiro último. Chegamos antes da reunião, com os mesmos companheiros de sempre. O Pastor Sanclé e sua esposa, a irmã Marta, nos receberam com muita alegria; juntamente com outros irmãos que recepcionavam os que chegavam.

O culto teve o seu início, sob a direção do Presbítero Rogerio, fazendo o que ele mais gosta: Ministrar o louvor, cheio de entusiasmo. Foram bons momentos de preparação, para o andamento do culto. Fiquei muito feliz por ver os filhos do Pastor Sanclé participando ativamente do Ministério de Louvor. Senti grande alegria em poder abraçar os Presbíteros Geraldo e Osvani, além do próprio Rogério. Preguei motivado, pois a igreja estava repleta e preparada para a pregação. Em seguida, oramos por imposição de mãos sobre todo o povo.

Ah, para minha surpresa, pude presidir a cerimonia de noivado do Aspirante Cláudio, da IMW I do Industrial. Foi emocionante ver as alianças serem colocadas pelas mães de ambos. Ao final, muitos abraços. Pude rever o querido "irmão da sorveteria", com seu carinho de sempre. E pude conhecer seu irmão, muito parecido consigo, que a poucos dias recebeu ao Senhor como seu salvador e está feliz da vida! Deus tem feito maravilhas em sua vida. Que benção! Fomos saindo e encontramos a equipe da cantina, oferecendo um delicioso caldo. Só não repeti, porque a irmã Glecy nos esperava para um delicioso jantar (e põe delicioso nisso!), após o qual me levariam para a Rodoviária, onde tomaria o ônibus de volta prá casa.

E, após uma breve parada, já estou em visita ao Distrito de Vila Velha, em giro episcopal, visitando algumas de suas igrejas. E, desta feita, com a companhia de minha querida esposa Maria Célia (ela está aniversariando hoje, e como tem sido paparicada pelos amados irmãos daqui!). Mas isso é assunto para outros blogs que virão.

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 18 de maio de 2010

O que fazer, quando não conseguimos nos endireitar (parte inicial)

"Estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; e andava curvada e não podia de modo algum endireitar-se" (Lucas 13.11).

No Evangelho de Lucas, ao lermos o cap. 13, encontramos nos versos 10 a 17 o testemunho a respeito de uma mulher infeliz, que carregava em sua vida um espírito de enfermidade a dezoito anos. Seu sofrimento, produzido por esta opressão, já caira naquele estado de conformação em que as pessoas se refugiam, quando percebem que nada podem fazer para mudar o rumo de sua vida. Aquela mulher corria o risco de ser sepultada pelo conformismo, e talvez não se apercebesse disso. E não são poucos os que vivem nesse estado de desânimo.

Aprendemos aqui, que certas qualidades nobres não são suficientes para nos produzir um quadro de libertação ou de cura em nossas vidas. O texto parece indicar que aquela mulher era uma crente, uma pessoa que buscava a presença de Deus em sua vida. Se assim era, podemos deduzir que aquela mulher era oprimida, mas cria em Deus; que ela era enferma, mas buscava a presença de Deus. Ela sofria permanentemente, mas isso não a impedia de estar na "igreja".

Todavia, algo iria mudar completamente sua vida, à partir daquele dia, pois Jesus estava naquele lugar. No entanto, a presença de Jesus não a isentaria de fazer, pelo menos, duas coisas básicas:


1. Ela precisava estar ali

E o texto afirma exatamente isso: que ela "estava ali" (v.11). Sua presença naquele culto era essencial, para que um milagre acontecesse em sua vida. Muitas vezes, perdemos o agir de Deus em nós, pelo simples fato de não estarmos no lugar certo, na hora certa. E como é lamentavel vermos isso acontecer com tanta frequência!

É muito comum depararmos com pessoas que, em sua ânsia em buscar alívio para seu sofrimento, recorrem a tudo e a todos. Deixam-se levar a lugares de eficácia duvidosa; e por pessoas de intenções duvidosas. Entretanto, demonstram uma resistência sem sentido em buscar a "casa de Deus" (como são comumente chamadas as igrejas evangélicas). Mas, graças a Deus, aquela mulher estava ali!


2. Ela precisava atender o chamado de Jesus

A Palavra declara que "vendo-a Jesus, chamou-a a si" (v.12). E não tenhamos dúvida de que sua resposta positiva ao chamado do Senhor era igualmente vital, para que o Senhor fizesse algo em sua vida. Existem muitas pessoas que são chamadas por Deus, pelos mais diversos modos, para uma mudança de rumo, mas que parecem não se aperceber disso; ou então, simplesmente, preferem ignorar este chamado. Existem também aqueles que sentem-se chamados por Deus; chegam até mesmo a dar testemunho quanto a disso, mas persistem em recusar atender.

A triste verdade facilmente comprovada, é que, nos bastidores de muitas vidas arruinadas, vamos encontrar as marcas da recusa em atender ao chamado do Mestre. Tenho conhecido pessoas que só decidiram atender ao chamado do Mestre no final de sua existência. Este atraso não as impediu de serem salvas; mas impediu-lhes de desfrutar do direito bíblico de viver uma vida melhor.

No texto de Lucas 13, encontramos uma mulher que fez o dever de casa! E isto se resumia em fazer as duas coisas básicas, acima expostas. Mas ainda faltava o ingrediente principal! E sobre isso escreveremos no próximo blog.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Giro episcopal pela II Região

IMW I do Industrial

Como fomos abençoados, na visita que fizemos a IMW I do Industrial, sob a presidência do Pastor Benildo Torralba Maldonado, que é também o SD do Distrito de Contagem (esta visita foi remarcada pelo menos umas duas vezes). Almoçamos com a família do Pastor Benildo; e a irmã Claudete, mais uma vez, nos surpreendeu com suas habilidades culinárias (que strogonoff! que carne assada! que farofa... benção pura!).

O culto a noite, foi marcado por três eventos: A Ceia do Senhor; o Dia das Mães; e a visita do Bispo. Foi tudo maravilhoso! O Ministério de Louvor, sob a direção de Waguinho (como é conhecido o irmão Wagner), atuou sob forte unção, conduzindo a igreja num louvor profundamente espiritual. Além da presença na tribuna do Pastor José Damião, SD do Distrito de BH; que, juntamente com a irmã Glecy, nos acompanhou na visita; foi muito edificante ver no púlpito o Pastor Benildo com os seus obreiros auxiliares (os Aspirantes: Carlos Normandes, Cláudio Nery e Marcilon Miranda; e os Presbíteros: Ozeny Bento, Joubert Costa e Antonio Venâncio).

Deus me concedeu graça para pregar e, em seguida, presidir o momento da ministração da Ceia do Senhor. Logo após esse momento solene, foi apresentado um programa em homenagem as mães. Na peça teatral que se seguiu, como se fosse um programa de entrevista, a apresentadora entrevistou algumas mães famosas da Bíblia (muito bem representadas pelas irmãs Margot, Laira, Vivian, Carolina e Mayane). Houve também uma coreografia de crianças, muito linda, e um trio local, abençoando as mães com uma canção maravilhosa. Em seguida, a irmã Sara chamou as mães presentes, para que as mesmas recebessem da igreja um belo presente. Até Maria Célia, que não pode se fazer presente, ficou maravilhada com o presente que recebeu (ela me disse, cheia de satisfação: "Eu estava mesmo precisando de uma tábua de carne de vidro").

IMW de Água Branca

Foi uma grande prazer retornar à igreja de Água Branca, onde estive apenas uma vez. Esta igreja está sob o comando do Pastor Bartolomeu e da Missionária Iracema. Ao chegarmos, acompanhados dos Pastores José Damião e Benildo, já encontramos o culto em andamento. Um trabalho muito abençoado. Nesta visita, fomos conduzidos pelo nosso querido irmão Fernando, que pretende conquistar uma vaga na Assembléia Legislativa de Minas Gerais.

Como é uma igreja em que pouco tenho estado, ainda não conheço seus líderes pelo nome. Mas fiquei impressionado com a ordem do trabalho; como o louvor; com a orquestração, até com instrumentos de sopro; com o coral. A jovem regente do coral é de uma habilidade especial. Foi uma benção! A unção presente, preparou os corações para que eu pudesse ministrar a Palavra de Deus.

Outra coisa que muito me inspirou, foi ver os obreiros da igreja, em seu lugar reservado, atentos a tudo o que se passava. Pena não ter conseguido seus nomes. Apenas guardei o nome do Pb. Antonio Rosa, dirigente da Congregação do bairro Florenço, município de Ribeirão das Neves; e também do Pr. Marcelo Brandão, de uma outra congregação, cuja localização não gravei. Sou grato a Deus pela vida e ministério da Mis. Iracema, cujo trabalho tem possibilitado um crescimento admiravel a IMW de Água Branca. No próximo blog, vamos narrar a visita às igrejas de Palmares e II do Industrial!

Cordialmente;
Bispo Calegari




Levando Jesus à nossa casa

"E eis que chegou um varão de nome Jairo, que era príncipe da Sinagoga; e, prostrando-se aos pés de Jesus, rogava-lhe que entrasse em sua casa; porque tinha uma filha única, quase de doze anos, que estava à morte. E, indo ele, apertava-o a multidão" (Lucas 8.41-42)



Percebemos neste texto, que Jairo chega desesperado à presença de Jesus (sua única filha estava à beira da morte). Poderia ser um outro problema, com ou sem a mesma dimensão. Todavia, o que se percebe é que Jairo sentia em seu íntimo, o irresistível desejo de levar Jesus para sua casa. Não foi um convite formal ou circunstancial; foi uma rogativa.


Tenho absoluta certeza que o nosso mundo seria um lugar bem melhor para se viver, se, em meio aos problemas que afligem a grande maioria das pessoas, Jesus fosse convidado a ir a sua casa. O mundo cristão está cheio de exemplos de histórias tristes, que acabaram por ter um final feliz, única e exclusivamente pelo fato de Jesus ter sido levado à família.


A história de Jairo registra um final maravilhoso, porque este foi o seu procedimento: rogou a Jesus que entrasse em sua casa. Um clamor desesperado, face as circunstâncias, que teve como resultado o milagre esperado; milagre este que somente Jesus seria capaz de fazer.


Podemos notar que, no trajeto de Jesus até o ponto exato da dor, surgiram pedras no caminho. Eram momentos de provação. E para cada um deles, a palavra do Mestre soava promovendo esperança em meio as incertezas. Destamos aqui três desses momentos:


1. Não temas


Foi um momento crucial, no coração e na mente de Jairo, quando a turma do "não tem mais jeito" entrou em ação. Eles pediam a Jairo: "não incomodes mais o Mestre". Jesus, sem tecer considerações sobre o que diziam, incentivou a Jairo, dizendo: "Não temas, crê somente, e será salva" (Lc. 8.50).

2. Não chores

Havia grande dor naquela casa, tanto por parte dos parentes como dos amigos. E em meio ao desespero generalizado e as lágrimas de sofrimento, tudo isso causado pela morte da menina, Jesus proclama: "Não choreis; não está morta, mas dorme" (Lc. 8.52).


3. Levanta-te


A incredulidade não admitia um final feliz naquela história; ela se fez ouvir, em alto e bom som: Intercalando lágrimas de dor com cruel zombaria, todos os presentes começaram a rir-se de Jesus, considerando loucura sua declaração. Mas Jesus, indiferente ao barulho da incredulidade, se dirigiu ao cadaver: "Levanta-te, menina" (Lc. 8.54). Enfim, Jairo recebeu sua bênção!


E na vida de qualquer um de nós não será diferente se, em meio a lutas e problemas que enfrentamos, num ato de profunda fé e confiança em Deus, convidarmos a Jesus a entrar em nossa casa. Muitos crentes declaram que Jesus já está em seu lar, pelo fato de serem membros de uma igreja evangélica. E até muitos pastores pensam do mesmo modo. Todavia, certos frutos de iniquidade e desobediencia a Deus, permitidos e produzidos dentro do lar, dizem justamente o contrário. Luz e trevas não podem ocupar um mesmo espaço!


No entanto, se nos curvarmos humildemente perante o Senhor, com sincera devoção e quebrantamento, e o convidarmos a entrar em nossa casa, aí sim: tudo vai mudar!


Cordialmente;


Bispo Calegari

terça-feira, 11 de maio de 2010

Giro Episcopal pela II Região

(continuação)

Ainda no Distrito de Contagem, nossas visitas continuaram. Nelas, desfrutamos de experiências muito edificantes, sobre as quais somente o tempo revelará a dimensão de sua importância.


IMW de Canaã

Esta querida igreja wesleyana, pastoreada pelo Pastor Romildo de Sá, que lhe dá uma assistência constante, juntamente com sua esposa Marineuza e sua filha Ester (prestes a completar seus quinze anos). A igreja está localizada no município de Ibirité, na grande BH. Foi congregação da IMW de Palmeiras até dezembro de 2008, sob o comando do Pastor Gilberto Geraldo; e foi elevada à categoria de igreja em janeiro de 2009. Tenho tido o prazer de estar lá em outras ocasiões, e percebo um crescimento contínuo, tanto em alegria no Espírito, como em comprometimento com a obra wesleyana.

Acompanharam-me nesse visita os Pastores José Damião e Benildo Maldonado nossos SD em Belo Horizonte e Contagem respectivamente). Pudemos contar com o apoio e dedicação do querido irmão Saulo, membro da IMW I do Industrial, que colocou seu carro à disposição dessas visitas, conduzindo-nos em todas as visitas que fizemos no Distrito de Contagem.
Foi um culto dedicado a Deus, em comemoração do "Dia das Mães". O culto foi abrilhantado por várias apresentações. O Ministério de Louvor muito eficiente, sob a direção do Luciel. A coreografia e o teatro, edificaram a todos nós. Deus me permitiu dar uma palavra aos maridos e filhos, chamando sua atenção para a figura ímpar da mãe e esposa, a qual precisa tanto do afeto dos seus; pois, esta mulher especial tem carências afetivas que ninguém melhor que seu esposo e filhos para prencher com carinho e amor. Tivemos ao final, um poderoso momento de oração. Louvo a Deus por seu corpo de obreiros; em especial, a diaconisa Olga, mulher que tem uma atuação de uma verdadeira missionária, e os Presbíteros Elilson e Wellington.

Ao término do culto, foi servido a todos os presentes um saboroso bolo, daqueles com recheio e muito gostoso. Brinquei com os irmãos, dizendo que havia um bolo lá nos fundos, do tamanho do Estado de Minas Gerais. Sei que exagerei bastante, mas que o bolo era bem grande, isso era!


IMW de Kennedy

De manhã cedo, fomos buscados em casa do Pastor Damião pelo Sandro, moço que, logo percebi, é bem dedicado a Causa do Senhor. Ele nos conduziu a Escola Dominical da IMW do Kennedy. Como foi importante para mim, poder estar naquela abençoada EBD! Pode ser considerada uma referência, pela dinâmica que ali encontrei. Gostei do modo de liderar da irmã Márcia, que conduz a EBD com desenvoltura e muito apoiada pelos membros da igreja.

Deus me deu a graça de ministrar, baseado em Mateus 24, destacando o quadro atual em que o mundo se encontra. Demonstrando que o período conhecido na escatologia, como "Princípio de Dores" (Mt.24.8), se aplica muito bem ao nosso tempo. E tudo profeticamente antecipado em Mateus 24.1-14. Ao final, o grupo de Senhoras entoou o cântico "sabor de mel", que fez com que eu me derretesse em lágrimas. E num clima carregado de unção, foi prestada homenagem às mães presentes. Foi emocionante!

A nota triste, foi a cirurgia de emergência a que foi submetido o Pastor Onésimo, obreiro que desfruta de grande estima por parte dos membros daquela igreja. Pelo que percebi, até mesmo a vizinhança sentiu-se triste com seu estado de saúde. Ainda estava internado quando lá estive; mas já está em sua residencia, cercado por seus amigos e irmãos, em franca convalescência.

Coube ao Presbítero Carlito receber-nos (eu e o Pastor José Damião). Percebi sua alegria ao mostrar-nos as obras que vem sendo feitas no templo e suas dependências. Felicitei-o pelo modo como souberam aproveitar bem todo o espaço. Uma obra de porte e beleza. Aliás, senti o peso de responsabilidade que tem o Presbitério daquela igreja, constituido pelos Presbíteros Abenídio, Álvaro, Carlito, Derly e Edson.

E nesta visita pude estar novamente com o Presbítero Edson (filho do Pastor Tobias, que conheço desde menino), e sua esposa; e conheci os tres filhos do casal, todos na casa do Senhor. Ah, pude também abraçar a irmã Arlete, nossa Diretora Regional de Adultos, membro da IMW do Kennedy. Desta vez, não foi possivel encontrar a irmã Rosa, esposa do Pastor Onésimo, pelo fato de sua presença constante ao lado do seu esposo no hospital.

Vou terminar por aqui. Sobre a IMW I do Industrial, falarei no próximo.

Cordialmente;

Bispo Calegari

segunda-feira, 10 de maio de 2010

José, Levantado para Governar

Se tivéssemos que resumir o perfil deste valoroso homem de Deus, poderíamos fazê-lo utilizando apenas três palavras: Levantado para Governar!
Não tenho a menor dúvida que José foi levantado por Deus para governar o Egito. Tenho em mim que sua mais importante tarefa era alimentar o povo escolhido de Deus, ainda que esta benesse se estendesse aos demais povos existentes naquela grande região. E para que a missão fosse bem sucedida, seu carater foi esculpido cuidadosamente pelo Senhor.

Sua noção de governo responsável e probidade administrativa, foi profundamente impressa em sua vida, tanto pela Palavra de Deus, coo pelo testemunho de seu pai Israel. Seu conceito de liderança fora depurado de interesses menores, mesmo aqueles interesses pessoais tão comuns aos homens em qualquer época.

Contudo, José estava sozinho em sua visão! E ainda não se dera conta disso. Não poderia contar com a ajuda de seu pai, pois o mesmo não entendia a grandeza de sua missão, devido ao seu paternalismo exacerbado. Também não poderia contar com seus irmãos, pois demonstravam irritação crescente com seus constantes sonhos; eram indiferentes à nobreza de sua missão, devido a inveja que os dominava. José nem imaginava o que o ódio pode fazer com aqueles que são, por este sentimento, dominados. Aquele jovem puro e consagrado, ainda adolescente, estava prestes a tornar-se vítima da crueldade de seus próprios irmãos.

A Palavra de Deus está repleta de exemplos de grandes homens de Deus que, em algum momento, foram incapazes de entender a missão de outros homens de Deus de seu tempo; homens que o Senhor escolhera para uma tarefa especial. E, deste modo, alguns grandes líderes do passado foram impedidos de prestar um grande serviço à Causa do Senhor: Ou devido ao seu condicionamento equivocado, ou devido a puro preconceito. Tornaram-se incapazes de entender o ministério e o chamado diferenciado daqueles que Deus estava levantando ante seus olhos embaciados. Podemos até citar alguns exemplos clássicos, no Antigo e no Novo Testamento:

1. Moisés, homem preparado por Deus no palácio do maior adversário de Seu povo, foi incompreendido por seu próprio povo. Nem mesmo alguns líderes renomados de seu tempo conseguiram entender a dimensão de sua vida com Deus.

2. Daniel, homem conduzido por Deus ao palácio do tirano que subjugou seu povo, teria tido enorme dificuldade em convencer aos seus líderes, caso os mesmos estivessem em condição de mando, quanto a importância de sua missão na Babilônia.

3. Jeremias, o profeta da humilhação, foi por diversas vezes ameaçado e quase morto pelos seus líderes e, até mesmo por outros profetas, por profetizar que era de Deus o jugo imposto pelos caldeus, contra os quais não adiantaria lutar.

4. Paulo, o apóstolo dos gentios, recebeu de Deus um chamado específico. E devido a sua visão dos gentios, aos quais fora enviado pelo Senhor, como anunciador das boas novas, foi bastante discriminado e maltratado por diversos líderes cristãos.

5. O próprio Jesus, figura impar neste senário, foi maltratado e humilhado por sua gente, pelo fato de cumprir uma missão considerada inadmissível pelos líderes judeus, devido ao condicionamento preconceituoso que os dominava. Em várias ocasiões, o ódio dos seus conterrâneos revelou-se muito mais intenso do que o dos líderes romanos.

Concluindo esta reflexão, chamamos a atenção de todos para algumas lições nela presentes, as quais podem ajudar em muito a todos nós, que anelamos servir ao Mestre. Se pretendemos cumprir integralmente a missão que Deus nos confiou, devemos estar preparados para sofrer oposição e perseguição, até mesmo daqueles a quem mais amamos.

Sempre Soubemos que nunca seria fácil cumprir o ministério que recebemos do Senhor Jesus. Ele mesmo nos advertiu que, além dos inimigos de fora, "os inimigos do homem serão os de sua própria casa" (Mateus 10.36).

Todavia, devemos estar prontos a ir até o fim, no afã de cumprir a vontade do nosso Deus, "visto como o Seu divino poder no tem dado tudo o que diz respeito à vida e à piedade, pelo pleno conhecimento dAquele que nos chamou por Sua glória e virtude" (I Pedro 1.3).

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 8 de maio de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Que maravilha! Retornamos a Belo Horizonte, para cumprir mais uma agenda de visitação às igrejas. E desta feita, um "giro" por algumas das IMW do Distrito de Contagem (como lamento que minha querida esposa Maria Célia não tenha podido estar comigo neste giro). Vamos lá, então:


Nossa chegada


Ao chegar na rodoviária de BH, encontrei meus companheiros de CMR: Pastor José Damião, vice-presidente do Conselho e SD do Distrito de BH; e Pastor Benildo Maldonado, SD do Distrito de Contagem. Foi muito bem reve-los e abraçá-los. Dali, seguimos para a residencia do Pastor Damião, que é o lugar onde ficamos hospedados em BH, na grande maioria das vezes em que aqui estamos.


IMW de Fonte Grande


Ao anoitecer, chegou o Pastor Benildo para nos buscar para o culto na IMW de Fonte Grande. Veio no carro do irmão Saulo, que se prontificou a nos conduzir durante os dias do "giro". Chegamos na igreja, conversamos com alguns irmãos, enquanto aguardavamos o inicio do culto. Com efeito, tanto o Pastor Warley como a irmã Simone, sua esposa, nos receberam muito bem. Foi um culto abençoado, com o Ministério de Louvor presidido pelo Aspirante Hudson conduzindo os irmãos, em momentos de adoração e louvor. A Palavra de Deus para a igreja, foi baseada em Mateus 7.24-29, focando o tema "Fundamento para uma vida abençoada". Verdadeiramente, Deus falou e agiu em nosso meio. Ao final, vieram todos à frente, para receber a oração da fé.


Tive o prazer de conhecer um dos primeiros irmãos daquela igreja - o querido irmão Nacip, que foi quem conseguiu o terreno para a construção do templo, o qual trabalhou na construção com garra e determinação, legando aos wesleyanos que ali se reunem, uma construção sólida e de muito bom gosto. Senti-me honrado em poder abraçá-lo. Foi para mim um grande prazer, conhecer também o Pastor Rodrigo e o Presbítero Juarez, que, juntamente com o Aspirante Hudson, constituem o corpo de acessores de primeiro escalão do Pastor Warley.

IMW de Veneza

Ontem, foi a vez de visitarmos a IMW de Veneza. Lamentavelmente, não tivemos condição de chegar em tempo (enfrentamos um demorado engarrafamento e, além disso, acabamos por nos perder); por mais que o irmão Saulo se esforçasse, era uma missão impossivel chegar no horário. Ainda assim, conseguimos chegar, mesmo com atraso, à tempo de poder ouvir a ministração do Ministério de Louvor, com a participação de Deivid e Michele, dois dos tres filhos do Pastor Sinval, que está a frente da igreja (seu terceiro filho chama-se André). Ao abrir da Palavra, pregamos sobre a "Temporada dos Milagres em Jericó" (Marcos 10.46-52). Deus falou em nosso meio, e Seu povo sentiu alegria e paz. Foi maravilhoso!

Ao final do culto, pude conhecer o Presbítero Weslon, vice-presidente da igreja, com sua mãe e seu irmão. Pude também abraçar a irmã Dinéia, esposa do Pastor Sinval. Enquanto conversávamos, lembrei-me de ter sido SD no Distrito de Valadares, quando eles residiam em Mantena, no início do seu casamento, vivendo com o Pastor Tobias (naquela altura, Pastor da IMW de Mantena, e pai da Dinéia). Amanhã daremos mais notícias, pois teremos que percorrer o campo neste fim de semana, visitando as IMW de Canaã, Kennedy e I do Industrial.

Cordialmente;
Bispo Calegari

José, de perseguido a governador do Egito

José, jovem separado por Deus, filho preferido de Jacó (Gênesis 37.3). Um moço que, ao que tudo parecia indicar, haveria de crescer e morrer em sua vida simples no interior, desenvolvendo as experiências rotineiras de um homem do campo; uma figura comum no contexto da sociedade de então (Gênesis 37.2). É verdade! Seria esta a sua tragetória, caso Deus não tivesse um plano para ele - algo que, mesmo envolto em veu, já se delineava em seus sonhos; sinalizando para um tempo diferente de tudo o que aquele jovem conhecia em sua vida simples e limitada.

Duas coisas tornavam José um menino especial:

1. Este moço era um dos filhos de um homem escolhido por Deus, para compor a galeria de alguns dos mais importantes homens da história humana - a "Galeria dos Patriarcas". Bom, se fosse apenas isso, nada o diferiria dos seus demais irmãos, que, tal como ele, eram também filhos do velho patriarca.

2. Acrescente-se a isso o fato de que Deus tinha posto os Seus olhos sobre aquele jovem. As revelações de Deus que congestionavam o mundo dos seus sonhos (Gênesis 37.7), indicavam que ele teria uma missão que o diferenciaria dos seus irmãos, colocando-o acima deles, mesmo sendo eles também detentores de gloriosa herança profética.


Quando lemos sua história, logo percebemos que José não era apenas um moço ameaçado por aqueles que não suportavam seu progresso; que ele não era apenas um moço tido como insuportavel entre seus familiares, pelo fato de contar "vantagens" a seu próprio respeito. Podemos afirmar com absoluta certeza, que José era um sonhador em grande estilo. E seus sonhos eram cadenciados com a revelação de Deus. Sonhos germinados para frutificar. Sonhos de Deus! Aliás, o que se poderia esperar de um moço que tinha como pai um homem que lutou com um anjo e prevaleceu. Um moço que tinha como avô alguém, nada mais nada menos que o próprio Abraão, "o Pai da Fé".


Este é José! E podemos rebuscar em sua história alguns dados interessantes do seu currículo ali implícito:
1. Filho gracioso; jovem sonhador (Gênesis 37.6).
2. invejado e perseguido (Gênesis 37.11);
traído e vendido; tentado e aprisionado (Gênesis 37.27-28, 36).
3. Lider entre seus irmãos, em casa de seu pai (Gênesis 37.8); lider entre seus pares, em casa de Potifar (Gênesis 39.3-6); líder entre seus companheiros de infortúnio, no cárcere do Egito (Gênesis 39.21-23).
Todavia, algo maior estava para acontecer - algo em conformidade com o propósito de Deus. É verdade! Algo que faria de José, de perseguido a Governador do Egito! Mas sobre isso, falaremos com mais detalhes nos próximos dias!


Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Giro Episcopal pela II Região

IMW de Bom Sucesso / Distrito de Caxambu

Foi uma benção toda especial, retornar a IMW de Bom Sucesso. Aconteceu no domingo passado, dia 2 de maio. Pena, não termos passado todo o domingo por lá. Ocorre que não pdemos nos dividir em dois; e já tinhamos compromisso em Santana do Deserto, que se encerraria com almoço. Célia acompanhou-me mais uma vez, em viagem tão agradavel e edificante!

Saimos de Santana do Deserto, logo após o almoço de encerramento do "Aviva Santana". Nos despedimos dos irmãos em Santana do Deserto e partimos para mais um "giro". Nossa viagem nops levou a passar por Juiz de Fora, Barbacena e S. João del Rey, entre outras cidades de menor porte, até chegarmos a bela cidade de Bom Sucesso, onde a IMW está presente e completa seus 28 anos e existência. Fomos, atendendo ao convite do Pastor Ramon Marcos, para pregar no encerramento da festa. Chegamos pouco antes do culto, indo diretamente para a residencia do casal de obreiros. Foi um bom momento, poder abraçar de novo o Mateus, filho mais novo do casal; e também o tempo exato para tomarmos um banho. E então, seguimos diretamente para o templo, onde o culto se iniciaria dentro de poucos instantes.

Chegando ao templo, pudemos rever diversos irmãos já conhecidos nossos, quando da nossa primeira visita. O início do culto foi marcado por inspirada participação do Ministério de Louvor. Alguns departamentos da igreja se fizeram representar, com participação de alto nivel. Célia se dirigiu à igreja, focando o "Desperta Débora", e passou às mãos da irmã Marina, coordenadora deste ministério naquela igreja, algumas camisas com estampas muito bonitas, para serem usadas pelas "mães de oração" em suas reuniões de intercessão pelos filhos.

Deus me deu uma palavra baseada em Mateus 16.18, tendo como o tema: "Igreja: Edificada e Invencivel". Foram momentos de grande edificação espiritual; de grande comunhão. Pudemos sentir a atmosfera de unção no lugar; era visivel a alegria dos irmãos. Ao final do culto, muitas vidas vieram a frente, para receber a oração com imposição de mãos pelo corpo de oficiais, liderado pelo Pastor Ramon Marcos.

Saindo do culto, nos dirigimos a casa do Pastor, onde foi-nos oferecido pela irmã Regina um jantar muito especial: lombo de porco assado, acompanhado de uma salada de alface, tomates e palmito, tudo isso saboreado com pão de queijo e regado a coca-cola. Este casal sabe mesmo recepcionar seus convidados! Pena não termos encontrado o Felipe, filho mais velho dos nossos obreiros ali, que já havia retornado a Juiz de Fora, onde cursa a faculdade de medicina. Fomos dormir, e dormimos muito bem. Pela manhã, após um café "cinco estrelas", colocamos o "pé na estrada", para mais uma viagem. É benção demais!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Jericó - Oportunidade Única

Jericó, uma das cidades mais antigas da terra. E nos dias da incursão à terra prometida por parte dos hebreus, era considerada inexpugnável; tanto pela altura de suas muralhas, como também da largura das mesmas, com uma incomum espessura, próxima dos dois metros. Não havia naquele tempo, aparato militar capaz de violar aquela cidade. Geralmente, seu povo ria-se daqueles que tentavam invadí-la, por mais forte que fosse seu exército. Ao longo de sua história, foi visitada por Deus duas vezes: Na primeira, nos dias de Josué, para sua destruição; na segunda, nos dias de Jesus, para sua salvação.

É interessante e, ao mesmo tempo, lamentavel notarmos que poucos souberam tirar proveito da passagem de Jesus por aquela cidade. Para sermos mais exatos, apenas tres homens conseguiram alcançar graça naquela ocasião: Zaqueu, um exemplo clássico; e dois cegos, que estavam na hora certa, no lugar certo (realmente, estar no lugar por onde Jesus passa é estar no lugar certo). Observamos também que, devido a narrativa diferenciada em cada um dos evangelhos sinóticos, pode o leitor desatento ficar com a idéia de que houve contradição no relato. Todavia, uma observação cuidadosa e atenta dos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas irá demostrar que a contradição é apenas aparente. Senão, vejamos:

1. Em Mateus 20.29-34, encontramos o relato da cura de dois cegos em Jericó. Ocorre que, em sua narrativa, Mateus optou por resumir os dois milagres da cura de dois cegos em um só relato.

2. Já em Marcos 10.46-52, encontramos o relato da cura de um cego, na saída de Jericó. E é exatamente isso: Saindo de Jericó, Jesus é clamado aos gritos por Bartimeu. É o milagre é decorrente desse insistente clamor.

3. Ao passo que, em Lucas 18.35-43, encontramos o relato da cura de um cego, na entrada de Jericó. E não existe contradição, como à princípio pode parecer. Na verdade, Lucas focaliza, em seu evangelho, a cura operada por Jesus, ao se aproximar da cidade.

Finalizando esta reflexão, concluo que o fato de, em ambas as narrativas de Marcos e Lucas, ocorrerem formas semelhantes de clamor (ambos os cegos clamaram de modo parecido); e também formas semelhantes de reação da multidão (o procedimento da multidão foi também parecido); sim, duas coisas devem ser levadas em consideração: A primeira, é que as necessidades dos cegos eram exatamente iguais; portanto, nada mais natural do que clamarem de maneira igual. A segunda, é que ambas as reações da multidão são parecidas; mas devemos levar em conta que devia ser a mesma multidão, tanto na entrada como na saída da famosa cidade. E por hoje é só!
(Ah, não esqueça de dar uma olhadinha no blog de 24 de abril de 2010. Vale a pena!)

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Atenção


Antes de informar o "Giro", informo aos meus seguidores que foi editada a parte final do título "Prenuncio do Fim", em 24 de abril de 2010. Creio que vale a pena dar uma examinada.


Bom, passando agora ao "giro"; tenho o grande prazer de informar sobre os dois primeiros dias de maio, dias maravilhosos, que Célia e eu passamos em Santana do Deserto, pequena e belíssima cidade mineira, que faz divisa com a cidade de Levy Gasparian, no Rio de Janeiro. É que foi realizado ali o I Encontro de Avivamento do Distrito de Juiz de Fora. Foi fantástico! Ao chegarmos lá, fomos encaminhados pela Dioaconisa Luiza, que também e Secretária Municipal, para a "Pousada dos Pássaros", lugar acolhedor e confortavel, administrada pelo popular "Murú" (como é carinhosamente tratado por todos) onde ficamos hospedados.

Tivemos o prazer de participar do evento, ministrando duas vezes: na noite de sábado e na manhã de domingo. Realmente, avivamento foi o que se viu por lá. Algumas coisas me impressionaram ali:

A Primeira delas, foi a recepção de alto nivel demonstrada pelos wesleyanos de Santana do Deserto, sob o comando pastoral do Pastor Lusmar e sua esposa Cirlene. Aliás, a Sirlene foi minha ovelha, quando adolescente, em meu tempo como pastor da IMW Betel, em Petrópolis. Tivemos a alegria de rever também a Sirlete, sua irmã, e a mãezinha de ambas. Comovia ver tanta dedicação, tanto da equipe da cozinha, como da equipe de hospedagem e apoio. Foi um serviço de atendimento aos "encontristas", que podemos classificar como de nota 10.

Outra coisa marcante, foi constatar a unidade dos obreiros, em torno do seu SD - o Pastor Edilton, que, com sua esposa Ingred e suas duas filhas, sempre atuantes, não mediram esforços durante todo o evento. Percebia-se claramente o clima de unidade dos obreiros, todos presentes ao evento. Os Pastores Antonio Carlos Campos, Carlos Roberto, Lusmar, e Edson Borges; bem como os Aspirantes Isaque e Izaquiel; todos acompanhados de suas respectivas esposas (exceto os Pastores Antonio Campos e Edson Borges).

Também me impressionou o poder de mobilização do Pastor Edilton, que trouxe para Santana do Deserto, a um evento de dois dias, importantes representações de todas as 7 igrejas do Distrito (Central de Juiz de Fora, II de Juiz de Fora, Barbacena, Conselheiro Lafaiete, S. João del Rey, Pequeri, e a igreja hospedeira - Santana do Deserto). Ao final do evento, todos os obreiros foram presenteados pela Coordenação do Evento; e a Diaconiza Mariangela (não sei se é a maneira certa de escrever seu nome) entregou-nos belas lembranças. Foi uma experiencia maravilhosa! Graças a Deus, que nos tem abençoado em Cristo, proporcionando tanta unção em ocasiões como esta!

Como não tenho tempo para prosseguir agora, narrando nossa ida à IMW de Bonsucesso, para a festa dos seus 28 anos (é que estarei viajando para BH dentro de alguns minutos), vou ficando por aqui.

Cordialmente;
Bispo Calegari