sexta-feira, 30 de abril de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Uma das maiores alegrias que tenho tido, enquanto Bispo, é o trabalho de visitação a igrejas e pastores. É gratificante poder ministrar e incentivar por ocasião dessas visitas. E dois fatores tem contribuido para me trazer um conforto enorme nesta missão: Um deles, é o incentivo que tenho recebido, por parte de muitos pastores e membros das igrejas, motivando-me a prosseguir na tarefa de contribuir para a edificação do "Corpo de Cristo". O outro, tem sido a companhia inspiradora de Maria Célia, com sua presença sempre atuante, e que tem estado ao meu lado na grande maioria das visitas que tenho feito.

E no dia 25, retornando do encerramento do II ESPA, fomos em direção a cidade mineira de Conselheiro Lafaiete, para visitar a nossa igreja naquela cidade. Fomos recebidos pelo Asp. Isaque, que pastoreia aquela igreja, juntamente com sua esposa, a irmã Lucimar, tão dedicada à Causa do Senhor naquela cidade. Em meio a um saboroso lanche preparado por ela, passamos momentos de grande saisfação juntos. A experiência desta familia é fantástica! Eles residiam e trabalhavam em Astolfo Dutra; e dirigiam lá, uma congregação da IMW daquela cidade, sob o comando do Pastor Dantas. Em dezembro, por ocasião do mini-Concílio, se dispuseram a sair para a obra, por direção de Deus. Foram nomeados para um grande desafio: Reativar a IMW de Conselheiro Lafaiete, onde estão a cerca de quatro meses, já colhendo os seus primeiros frutos.

O trabalho estava fechado a vários meses. Todavia, eles não se intimidaram com as dificuldades encontradas. Procuraram antigos membros, poucos por sinal. Mesmo não vendo grandes possibilidades em te-los de volta, prosseguiram nesta tentativa. Depois de procurarem, conseguiram alugar um bom e amplo salão; inauguraram-no sem membros, por razões obvias; mas a situação está mudando rápidamente. E nós fomos conferir isso pessoalmente.

No culto a noite, foi emocionante ver o saláo repleto. Houve uma belíssima apresentação por um grande número de crianças. Foi também apresentada uma coreografia feita pelas irmãs Francilene e Graucilene. O ministério de louvor foi presidido pelo irmão Erlan, esposo de Francilene, marcado por grande unção. Esteve também presente no culto, o irmão Moisés, sogro do Erlan, que foi um wesleyano no Rio de Janeiro, por muito tempo. Fiquei muito feliz em rever o irmão Onício, membro dedicado daquela igreja; mesmo com o fechamento da mesma, continuou esperando por sua reabertura. Ele está trabalhando com afinco, ao lado do Pastor Isaque.

Fiquei conhecendo o Presbítero Antonio (conhecido como Toni), grande amigo do Pastor Isaque. Ele se converteu aos 16 anos na IMW de Barbacena; mas, por falta de opção, acabou indo para a Assembléia de Deus a alguns anos. Este amado irmão, na oportunidade que lhe foi dada, agradeceu-me pelo fato de a Administração Regional ter enviado para Conselheiro Lafaiete um obreiro do calibre do Isaque. Sob grande emoção, Maria Célia falou sobre o "Desperta Débora"; em seguida, ministrei a Palavra de Deus. Todos pudemos sentir o agir de Deus em nosso meio. Muitos vieram a frente. Foi maravilhoso!

Após o culto, viajamos imediatamente, lamentando não poder aceitar o convite do casal Isaque e Lucimar, para jantarmos juntos. Lucimar preparou-nos um abençoado lanche, para comermos no caminho, e seguimos viagem. Até a próxima!

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Não posso deixar de relatar aqui uma "fugidinha" das minhas atividades na II Região, para atender ao convite de um Pastor que foi minha ovelha na década de oitenta/noventa, quando pastoreei a IMW Central de Cabo Frio (tive o privilégio de encaminhá-lo ao ministério). O Pastor Josinei e sua esposa, irmã Geni, já haviam me convidado para almoçar em sua casa (residem em Guapimirim, a margem da BR 116 - entre Magé e Teresópolis). Isso aconteceu no final de março. Celia e eu estivemos lá; almoçamos e passamos bons momentos juntos, conversando sobre as coisas que os obreiros mais gostam de conversar: sobre a Obra de Deus. Na altura, combinamos que eu haveria de pregar em data próxima na IMW de Suruí.

E isto aconteceu na quarta-feira passada, por ocasião do aniversário da IMW de Suruí, sob seus cuidados pastorais. Chegamos um pouquinho antes do culto, e já encontramos o Pastor Josinei conversando, no pátio da entrada, com obreiros da igreja. Me aproximei e também entrei na conversa, que sempre nos edifica. Enquanto isso, Maria Célia foi em direção da irmã Geni. Mal o culto iniciou, fiquei impressionado com a alegria e participação do povo de Deus que ali se reune; templo lotado. O louvor foi muito inspirado; diversas participações abrilhantaram o culto, incluindo crianças, jovens e adultos.

Pouco antes do momento da pregação, o Pastor Josinei deu oportunidade a Maria Célia, que falou sobre seu ministério como "Débora"; sempre abençoada ao se dirigir ao povo de Deus. Em seguida, preguei sobre Mateus 24, com foco na profecia de Jesus sobre o período chamado na Bíblia de "Princípio de Dores". Deus nos falou por meio de Sua Palavra; houve quebrantamento e, ao final, pudemos orar por muitos que vieram à frente, para receberem a imposição de mãos pelos obreiros presentes. Verdadeiramente, Deus agiu em nosso meio.

Também tive o prazer de poder abraçar o Pastor Natanael, amigo de sempre. Louvo a Deus, pelo ministério do Pastor Josinei a frente daquela igreja. Outro detalhe que chamou a minha atenção, foi a reforma do templo, que o tornou em um belo monumento para a glória do nosso Deus. Aliás, foi assim que consegui achá-lo: indagando a dois homens sobre a IMW, fui informado que era "um bonito templo", a tres quadras de onde estávamos. Ao final do culto, lanchamos juntos, um delicioso lanche preparado com muito amor pela cantina daquela querida igreja. Obrigado Senhor, por ter nos permitido retornar a IMW de Surui.

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 27 de abril de 2010

Nota de Falecimento

Hoje, dia 27 de abril de 2010, fui dolorosamente surpreendido com a notícia do falecimento, ocorrido ontem, da nossa inesquecível irmã Maria José - esposa do Pastor Geraldo Carneiro Lisboa, pastor da Igreja Metodista Wesleyana de S. Antonio Descoberto, no entorno de Brasília.

Visto não ter podido fazer-me presente ao ofício fúnebre, por não ter tido tempo suficiente para locomover-me até Brasília (seu funeral ocorreu hoje pela manhã), transmito através deste blog as minhas sentidas condolências a todos aqueles que esta querida serva de Deus, de saudosa memória, deixa enlutados: seu esposo, filhas, genros e netos, além de familiares, irmãos e amigos por este Brasil afora.

Célia e eu jamais esqueceremos o carinho a nós demonstrado por ela, quando da nossa visita à sua casa. Minha oração a Deus, neste momento de pesar, é no sentido de que o Senhor conceda a graça e o conforto do Espírito Santo aos familiares e amigos, feridos que foram por esta irreparavel perda. Aproveito o ensejo, para deixar um apropriado texto bíblico para esta dolorosa ocasião:

"Então ouví uma voz do céu que dizia: escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanham" (Apocalipse 14.13)
Pela família wesleyana da II Região, sinceramente;
Bispo Calegari

II ESPA - ponto de encontro de Esposas de Pastores e Obreiros da II Região

Meus irmãos, foi fantastica a segunda edição do ESPA! Localizado em S. Sebastião das Águas Claras (imediações de BH), o Acampamento da MPC, sob a direção do nosso irmão e amigo Pastor Marcelo Gualberto, foi "invadido" por mulheres wesleyanas, em seu melhor estilo, para três dias de comunhão e unção. Realmente, a convocação da Mis. Maria Célia foi atendida por aquelas mulheres de obreiros que já entenderam a importância do ESPA na edficação e formação de esposas que primam por uma vida de qualidade ao lado de seus esposos obreiros.


Naquele lugar tão bonito, que oferece aos olhos uma belíssima paisagem ecológica, Deus derramou do Seu Espírito em nosso meio. E a presença de muitas esposas de pastores e obreiros, buscando enriquecer seu ministério ao lado de seu esposo, demonstraram que estamos no caminho certo. Foi iniciada na II Região, uma reforma na visão do ministério; e ela passa pelo crescimento espiritual das companheiras daqueles que foram chamados por Deus, para apascentar o rebanho do Senhor. E foram tres dias de edificação para as irmãs inscritas.



A coordenaçãO do ESPA escolheu mujito bem as preletoras - Mis. Marta, de Guarulhos-SP; Mis. Marleide, de Vitória-ES; Luz Aurora, de Muriaé-MG; Welingtan, de Teófilo Otoni-MG. A palavra foi concedida também a Mis. Aureliane, que falou sobre sua viagem a Moçambique; e a Mis. Vilza, que discorreu sobre seu trabalho missionário no Campo Missionário estrangeiro. Durante o evento, fomos abençoados pelos louvores dirigidos pela Ingred, esposa do Pastor Edilton, SD do Distrito de Juiz de Fora e Secretário de Ação Social da II Região.


O ESPA foi contemplado com a presença de alguns obreiros que visitaram o local do evento. Dentre eles, anotamos os seguintes pastores: José Damião - vice-Presidente do CMR; Gilberto Geraldo - da IMW de Palmeiras; Warley - da IMW de Fonte Grande; Nélio - da IMW do Glória; Murilo e Amisso - da IMW de Venda Nova; Fabiano - da IMW de Cataguases; Elcias - da IMW de Palmares; Eduardo = da IMW de Itabira; Marcelo - da IMW de Jaqueline). Louvo a Deus pela liderança ungida da Mis. Maria Célia; e pelo trabalho de base realizado pelo equipe de apoio, formada pelas seguintes irmãs: Mis. Sonia; Mis. Aureliane; Valeria; e Enilzete.


Quanto as esposas de obreiro que ainda não foram despertadas para este tão importante investimento, nossa sincera oração é que elas entendam pelo menos duas coisas: A primeira, é que suas vidas representam um fator decisivo para o sucesso ministerial de seus esposos; pois, na base do ministério bem sucedido de um pastor, geralmente, encontramos a participação essencial de uma esposa que completa seu ministério. A segunda, é que as esposas dos pastores podem e devem preparar-se para esta missão coadjuvante. E o ESPA é um excelente laboratório para gerar experiencias enriquecedoras ao ministério de uma mulher de Deus, casada com um homem de Deus.


Cordialmente;

Bispo Calegari

sábado, 24 de abril de 2010

Prenuncio do Fim (parte final)

Engano


"Respondeu-lhes Jesus: Acautelai-vos, que ninguém vos engane" (Mat. 24.4)


Ao examinarmos este texto, notamos que Jesus denuncia o engano como um dos maiores fatores de risco em nossa caminhada rumo à Pátria Celestial. E não é necessário sermos grandes conhecedores das Escrituras, ou mesmo alguém muito familiarizado com as coisas de Deus, para termos uma visão essencial e razoavel compreensão quanto a este tão importante assunto. Jesus é bem claro em suas advertências. O espírito de engano se move entre nós com desenvoltura. Suas múltiplas manifestações, ora sutís, ora ostensivas, ocorrem em todos os lugares e circustâncias, possíveis e imaginaveis.

Neste texto, de forte conteúdo escatológico, Jesus identifica a manifestação do engano nos seguintes termos:

"Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão" (v. 5).

Não é de hoje que se percebe a loucura de muitos aventureiros, em sua insana tentativa de assumir a identidade de Jesus. Esta atitude se manifesta, notadamente, em dois grupos:

1. O grupo daqueles que procuram ensombrear Jesus, demonstrando abertamente que desejam parte da glória que pertence ao Senhor. Procuram as luzes dos refletores, como se fossem os astros de um show business. E fazem tudo isso em nome de Deus!

Sou do tempo em que o trabalho de um pregador, ou de um pastor, era marcado por humildade e simplicidade (Isso não deve ser entendido como mediocridade, como alguns ousariam pensar). Isso mesmo: Homens de Deus a procura de virtudes essenciais ao cristianismo autêntico (mansidão, humildade, paciencia, longanimidade, etc. etc. etc.). Sim, afirmo com prazer: faço parte de uma escola de ministério à moda antiga.

Mas, infelizmente, não é o que se vê em nossos dias. Pelo contrário: Corro até o risco de ser "execrado", em nome de um "cristianismo" que julgam ser "politicamente correto" (a este tipo de cristianismo eu chamo de "cristianismo dos espertalhões", ou então: "cristianismo dos vendilhões do templo"). Até onde irá toda essa loucura!

Ao ouvir e contemplar o mundo gospel em nossos dias, fico com a impressão de que a maioria dos que "servem" a Deus, está mais preocupada em cuidar do seu próprio umbigo; disputando um lugar entre os "famosos". A idéia que fica é que, para alguns, as luzes dos refletores terrenos são mais deslumbrantes do que a luz da glória de Deus (ocorre que a luz da glória de Deus não pode ser compartilhada, subtraída, e isso acaba por desestimular os que buscam os seus "cinco minutinhos de fama").

Existem também os menos ambiciosos (aqueles que trabalham na Obra de Deus, pelo "prato de feijão"). São os que não estão nem aí para o rebanho confiado ao seus cuidados (os maus e negligentes servos, sobre os quais lamenta Jesus). São movidos "a salário"; incapazes de sentir o drama da humanidade; pois, em sua insensibilidade, estão desatentos até mesmo ao sofrimentos rotineiro de seu próprio rebanho. Quando choram e lamentam, não é por uma vida que se perde; e sim, porque seu salário não foi pago em dia. Ou porque não são regiamente recompensados pelo "serviço" que prestam (alguns falam até em processar a Igreja por não "cumprirem suas obrigações" com eles). Todavia, o fato de serem menos ambiciosos não os torna menos culpados por toda a dor do "Corpo de Cristo". Irão passar pelo mesmo crivo do juízo de Deus, tal e qual aqueles.

2. Ah, não podemos deixar de fora aquele grupo, dos que chegam a ultrapassar todos os limites do bom senso, com desmedida arrogancia, chegando a declarar abertamente serem o próprio Cristo. Temos inclusive, entre nós, um exemplo clássico de extremismo; que poderiamos rotular de cômico, se não fosse trágico: A "figurinha carimbada" e tão conhecida, que se autointitula "Inri Cristo", o qual usa e abusa da mídia para passar esta pretensão blasfema, afirmando ser o Cristo das Escrituras. Que Deus nos guarde!

O conhecido "Papa Moon", importante líder de famosa religião mundial, costuma utilizar parte de sua grande riqueza pessoal, para difundir a idéia de que ele é o "terceiro Cristo" (segundo seus ensinos, Adão foi o "primeiro Cristo", mas pecou e não pode cumprir a missão; Jesus foi o "segundo Cristo", mas foi morto pela multidão enfurecida e não pode cumprir a missão; ele é o "terceiro cristo" e está preparado para cumprir plenamente a missão que lhe foi confiada). É lamentavel! E quantos se perderão no rastro de tamanhas invencionices.

"Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo" (v.13)

Graças a Deus, somos exortados pelo Senhor Jesus a conservar nossa posição firmada em Sua Palavra; perseverantes em Sua santa doutrina. Sem nos deixarmos levar pelo espírito de engano que se manifesta com liberdade entre nós e, muitas vezes, até com a cumplicidade de muitos daqueles que experimentaram a obra de Deus em suas vidas; alguns até conhecidos nossos. A Palavra afirma que, em Jesus, "somos mais do que vencedores". Todavia, esta super vitória só se concretizará, se combatermos com firmeza o "bom combate da fé", vivendo cada dia em Jesus. Sem nos desviarmos, nem para a direita, nem para a esquerda; mas sempre "olhando para Jesus, autor e consumador da nossa fé; o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e está assentado à direita do trono de Deus" (Hebreus 12.2).

Cordialmente;

Bispo Calegari

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Prenúncio do Fim

Quando procuramos na Bíblia, textos que nos reportem à Escatologia, um dos roteiros aos quais seremos conduzidos pelos diversos indicadores deste tema será Mateus 24 e 25. O texto já começa aquecido pela visível emoção dos discípulos, diante da magnifica estrutura do templo. Mesmo a engenharia de nossos dias, com os recursos tecnológicos e materiais de que dispõe, se veria às voltas com um grande desafio, se chamada a produzir obra semelhante. Na verdade, a admiração daqueles discípulos refletia o sentimento de todos os que se detinham a examinar a grandeza do projeto executado pelo rei Salomão; e que, mesmo com todas as modificações que sofrera ao longo do tempo (reformas, dilapidações, depredações), continuava, como ainda continua, a provocar reações semelhantes em todos os que o contemplam.

Mas, se observarmos atentamente o texto, perceberemos claramente que Jesus mudou "o rumo da prosa". O Senhor parecia não demonstrar grande interesse na grandeza do monumento. O que parecia preocupá-lo, conforme o texto sugere, eram os futuros acontecimentos que iriam afetar o mundo em geral e a igreja em especial. E que, por extensão, jogaria por terra toda aquela ousada realização. O discurso que se segue manifesta com clareza o prévio conhecimento de Jesus acerca de tudo isso, chegando aos detalhes mais dolorosos; tais como: Guerras, pestes, desastres naturais, ódio, traição, escândalos.

Se tivéssemos que resumir os três primeiros versículos de Mateus 24, nos voltaríamos para os tres pontos fundamentais dos mesmos:

1. O visivel deslumbramento dos discípulos, com a estrutura do templo, a ponto de procurarem impressionar ao próprio Jesus com a magnitude da obra do templo. Eufóricos, chamaram sua atenção, "para lhe mostrarem os edifícios do templo". (v. 1).

2. A resposta de Jesus a toda aquela euforia, como que jogando um "balde de água fria" em sua tão forte emoção e admiração, conduz a curiosidade deles a um outro foco. Em uma pequena sentença, Jesus resumiu a extensão da tragédia que viria: "Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada". (v. 2).

3. O novo interesse dos discípulos, agora desejando conhecer o tempo profético da ocorrência de toda a tragédia, revelada tão sucintamente pelo Senhor. Resumida por eles em uma tão pequena sentença: "Declara-nos quando serão estas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?". (v .3).

Respondendo a esta assustada indagação dos seus discípulos, Jesus os adverte quanto ao risco representado por esta "palavrinha mágica": Engano! Mas sobre isso falaremos amanhã ou depois, na parte II desta reflexão.

Cordialmente;
Bispo Calegari






quinta-feira, 22 de abril de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Meus prezados irmãos, tenho tido algumas dificuldades em manter atualizado o "giro", devido ao excesso de viagens que tenho feito. Mas vou tentando me cumprir esta agradavel tarefa, relatando a todos os que passam pelo meu blog algo concernente as visitas que fizemos.

Já relatamos nossa visita à IMW de Tocantins de Minas. De lá, seguimos para Ubá, para estar com os wesleyanos daquela importante cidade da zona da mata. Foi maravilhoso estar na IMW de Ubá, na noite de sexta-feira (o templo estava repleto, inclusive com obreiros da área, que foram prestigiar nossa presença). Como os irmãos já sabem, Célia não pode fazer esta viagem comigo. No entanto, tive a companhia do SD Pastor Robson, na visita que fizemos a algumas igrejas do Distrito de Muriaé: Além da IMW de Tocantins, visitamos juntos as IMW de Ubá, Valão de Guiricema e Dornelas (esta última em um bairro de Muriaé).

Em Ubá, tivemos o prazer de nos hospedarmos em casa do Aspirante Antonio e sua esposa, a irmã Zilda. Fomos também muito abençoados por Deus, através do casal João e Vilma e o adolescente Thiago - filho do casal, membros da IMW de Tocantins, mas residentes em Ubá (esta cidade fica a poucos quilometros daquela). Esta família nos deu um trataento fantástico. Tivemos também o privilégio de visitar o lar do Aspirante Edmar, que dirige a IMW de Ubá, onde fomos muito bem recebidos por ele, sua esposa Andréia, sua sogra Marlene e seu filho Lucas. O culto a noite, no novo salão da igreja de Ubá, foi cheio da unção de Deus. Ficamos muito felizes em conhecer o Presbítero Cici, companheiro ombreado com o Aspirante Edmar, na direção daquela igreja.

No sábado pela manhã fomos para Guidoval, tomar café com o Aspirante João Marcos e sua esposa Fernanda e seus dois queridos filhos; ele é o dirigente da IMW de Guidoval, que visitaremos no mes de junho. Me acompanhou nessa visita o SD Pastor Robson e o Aspirante Antonio e esposa. O café foi tão agradavel e marcante, como os momentos que passamos juntos, conversando sobre as coisas do Senhor. Dali, seguimos para Visconde do Rio Branco; mas não para visitar a IMW de lá; e sim, para visitar e almoçar com o Presbítero Levi, pois de lá seguiríamos para a IMW de Valão do Guiricema. Este amado Presbítero nos recebeu em sua casa, juntamente com sua esposa, a irmã Áurea; e também pelo seu irmão, o Diácono Eli, casado com a irmã Alda, que fez o delicioso almoço, acompnhado de algumas sobremesas feitas por eles mesmos (doces de frutas da região). Achei interessante serem dois irmãos casados com duas irmãs - Alda e Áurea (meus dois filhos mais velhos também são casados com duas irmãs).

Chegamos a tardinha em Valão de Guiricema, zonal rural onde residem muitos sitiantes. Descansamos um pouco no sitio do Presbítero Levi, e ficamos ali, nos preparando para o culto que haveria em seguida, na IMW dali - uma igreja histórica, pois foi o primeiro templo wesleyano construído no Estado de Minas Gerais, tombado como monumento histórico da IMW na II Região pelo Concílio Regional de janeiro de 2009. Mas os cultos são em seu novo templo, amplo e confortavel (com todos os recursos de uma igreja da cidade, inclusive datashow, algo tão moderno que nem sei escrever direito). Um belo período de louvor foi diridido pela filha do casal Eli e Alda (que jovem consagrada; muito dedicada ao Senhor!). Deus nos deu uma palavra para a igreja, falando aos nossos corações. Admirei-me com a eficiencia do Eli, no cuidado dos equipamentos sonoros e na execução do teclado. Pude conhecer obreiros muito abençoados alí. Ah, e conheci também as outras duas irmãs da Áurea e da Alda - as irmãs Cida e Menininha, como é carinhosamente chamada esta amada irmã. Pude conhecer um pouco melhor o Aspirante Carlos, que dirige a IMW de Valão do Guiricema, e sua esposa irmã Cida.
Ao final do culto, foi servido a todos os presentes um canjicão prá ninguém botar defeito (a irmã Áurea ficou de enviar a receita para a irmã Maria Célia, pois foi quem fez o delicioso canjicão). Senti um grande prazer em poder abraçar um dos antigos batalhadores do trabalho wesleyano na zona da mata - o Pastor Sebastião Moreira, irmão do saudoso Pastor José Moreira. Foi um ambiente de confraternização maravilhoso: Jovens, adultos, idosos, crianças, uma alegria só.
Fomos dormir tarde, no sítio do Presbítero Levi, pois ficamos conversando com ele e sua esposa até altas horas. Pela manhã, após o farto café que nos foi servido por eles, fui surpreendido com um presente singular recebido do Levi: Um belo galo carijó dourado e quatro belos exemplares de galinhas poedeiras ainda novas. Eles já estão enriquecendo o meu galinheiro (mas, que galo cantador!! Para a alegria de uns vizinhos e tristeza de outros).

Saimos em seguida, apressados, para a IMW de Dornelas, que comemorou seu segundo aniversário. Chegamos atrasados para o culto da manhã. Mas foi um culto poderoso, grandemente abençoado pelo Senhor. Muitas vidas foram tocadas pela Palavra de Deus, que fluiu no Espírito. O Pastor João Carlos está colhendo frutos abundantes: Ele fechou o primeiro aniversário com pouco mais de 50 membros; e agora, fechou o segundo aniversário com mais de 120 membros, para a glória de Deus.
Após o culto matutino, fomos recebidos em casa do Pastor João Carlos; sua esposa Andréia preparou um abençoado almoço. tive que me policiar para não exagerar, pois teria que pregar a noite, no encerramento da festa de aniversário. Foi agradavel conviver um pouco com eles e seus filhos, Rafaela e Daniel. Me comoveu o meninozinho Daniel me dizer: "Bispo, este é o meu quarto, onde voce vai dormir hoje". A tardinha, recebemos a visita do querido Pastor Renato Jabor, pastor da IMW de Barra, em Muriaé; que me levou algumas fotos do belíssimo salão da igreja, com linda fachada, climatizado, amplo. Uma grande conquista!
Fomos em seguida, para o culto no salão da IMW de Dornelas, completamente lotado. O ambiente era de grande espiritualidade. O ministério de louvor, sob a direção do Abraão, foi dominado por grande unção. Deus nos deu uma Palavra compativel com o ambiente ungido, cheio de Deus. Houve grande quebrantamento. Fiquei muito feliz por conhecer o Evangelista Antonio, dirigente de uma das congregações, que foi prestigiar o evento; estava também presente o Pastor Adriano que, recentemente, assumiu o pastorado da IMW de Safira, em Muriaé. Tive a alegria de conhecer o Presbítero Pedro Paulo e sua esposa, e o Diácono Edmar, ambos grandes apoiadores do ministério do Pastor João Carlos à frente daquela abençoada igreja.
Após o culto, o Pastor João Carlos e sua família levaram-me para comer um delicioso peixe, em um dos lugares típicos do Bairro Dornelas. Terminando, fomos descansar. Pude dormir no quarto que me foi generosamente cedido pelo Daniel. E na manhã seguinte, após um delicioso café, fomos cuidar dois "passageiros" que me foram presenteados pelo Presbítero Levi. Foi muito engraçado alimentar os galináceos e acomodá-los para a viagem. Em tudo, posso dizer como Samuel: "Até aqui nos ajudou o Senhor"! E, também, como o salmista: "Grandes coisas fez o Senhor por nós; por isso estamos alegres".

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 20 de abril de 2010

Marta sempre Marta (final)

"Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque está morto a quase quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?" (João 11.39-40)

Ao finalizarmos a parte II de "Marta sempre Marta" antecipamos que havia uma coisa que ela não sabia: algo que fazia a diferença entre a mudança e a estagnação - entre a Morte e a Vida. Nós bem sabemos que o simples fato de desconhecermos algumas verdades, não significa que nosso futuro esteja comprometido. Especialmente, se as verdades que ignoramos não são verdades estruturais ou fundamentais.
Por exêmplo: Desconhecer a idade de Cristo ou o dia em que Ele nasceu ou morreu, e outros detalhes secundários da doutrina, não altera a gozo de uma vida eterna no céu, com Deus, se estamos firmados nas verdades fundamentais que sustentam esta promessa (novo nascimento em Cristo; remissão pelo Seu sangue; justificação pela fé; etc).

Uma Pedra no Caminho do Poder de Deus

Como vimos na palavra anterior, Marta conhecia quatro verdades sagradas que dão consistência a uma vida cristã segura e abençoada por Deus. Contudo, ela desconhecia uma verdade que poderia ter mudado o rumo da história, pelo menos em sua vida e na de sua irmã Maria: Ela não sabia que uma pedra no caminho do poder de Deus poderia ter deletado das Escrituras um dos mais importantes milagres da Bíblia! E, o mais importante: ela não imaginava que sua atitude negativa, caso impedisse a remoção daquela pedra, poderia privá-la do direito de ter seu irmão de volta, redivivo. E o mundo cristão seria menos rico, um pouco menos esperançoso, caso isso viesse a acontecer.

Jesus podia e desejava trazer Lázaro à vida naquele dia, mas havia uma pedra no caminho;
Um corpo apodrecido poderia se recompor naquele dia, mas havia uma pedra no caminho;
Jesus queria despojar o império da morte, mas havia uma pedra no caminho do poder de Deus!
E Jesus deixa bem claro que aquela pedra deveria ser removida!

Muitas vezes, mantemos selados em um tumulo imaginário, pecados ocultos, vícios secretos e outros cadáveres que nos contaminam e consomem. Na grande maioria das vezes, não nos sentimos motivados a remover a pedra que sela este terrivel túmulo, porque nos sentimos envergonhados e constrangidos. Todavia, a ordem de Jesus soa clara como um cristal: "Tirai a pedra!".

Geralmente, nossa incredulidade se constitui em um dos maiores obstáculos a que esta pedra seja removida. Achamos que não vale a pena; que não vai dar resultado; que o mau cheiro dos nossos valores que morreram deve ser mantido confinado naquele túmulo fétido e escuro. Todavia, a palavra de Jesus insiste: "Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?".

Graças a Deus, Marta despertou de sua letargia, de seu desânimo e incredulidade, e concordou com a ordem de Jesus. Logo em seguida, a pedra foi removida e o milagre aconteceu. E quanto a nós, quando iremos facilitar o acesso da Palavra de ordem de Jesus ao túmulo dos nossos segredos mais bem guardados? Daqueles segredos que nos mantém ligados a um estado de morte permanente? Pecados jamais confessados. Pecados que sustentam e controlam o lado negro de nossa vida.

Marta livrou-se do seu defunto. Estava livre do pesadelo! E que seu exemplo de submissão a Jesus possa contribuir para nossa completa vitória sobre a morte e seus derivados.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Célia e eu, estivemos visitando duas igrejas do Distrito de Cachoeiro no dia 11 deste. Pela manhã, estivemos na IMW de Jerônimo Monteiro; e a noite desse mesmo dia, visitamos a IMW de Guaçui. Foram visitas marcantes. Pude sentir o mover de Deus em ambas as igrejas. Foi muito edificante para mim conviver um pouco com seus pastores - o Pastor Gerson e o Pastor Gilberto Beloni, respectivamente. O SD do Distrito, Pastor Jorge Camargo, nos acompanhou em ambas as visitas, pois estávamos juntos desde S. José do Calçado.

Em Jerônimo Monteiro, pequena e aconchegante cidade capixaba, encontramos a igreja repleta, com seu culto matutino já iniciado e uma membresia bem atuante e animada. Ministramos uma palavra da parte do Senhor, a qual produziu efeitos abençoadores em todos os presentes, segundo o que ouvimos de muitos irmãos. Após o abençoado culto, participamos de um almoço comunitário com toda a igreja. A irmã Teca (conhecida como Teca do Hospital), que é a Diretora da Cozinha, no brindou com suculento e delicioso almoço. A Cristina, Superintendente da EBD, fez uma farofa de dar água na boca; e a Rute nos ofereceu um macarrão tão saboroso, que deixaria os italianos constrangidos.
Ficamos muito felizes por ter estado com o Pastor Gerson e sua esposa, a irmã Cleuza, e também sua filha Priscila. Tivemos a oportunidade de conhecer o Presbítero Pedro Davi; e também o casal Gerson e Lanir, com sua filha Fernanda. Ficamos admirados com a disposição de dois irmãos bem idosos: O Nilton Souza, com seus 75 anos; e a Geralda, uma das fundadoras da igreja, com 85 anos. E sou grato a Deus por me ter dado a oportunidade de orar pelas irmãs Maria Tereza e Lúcia. Após o almoço, rumamos para Guaçuí, onde éramos aguardados.

Em Guaçuí, fomos diretamente para a casa do Pastor Gilberto Beloni e sua esoposa, a diaconisa Gilvânia, com seus queridos filhos Junior, jovem abençoado, e a pequenina Graziele, um amor de criança. A igreja ali vive também um grande momento. A unção de Deus era quase que palpavel. Um belo e amplo templo, repleto, onde podiamos sentir o mover do Espírito, em marvilhoso momento de louvor dirigido pela Gilvania.
Encontramos ali o casal André Beloni e Ester, ambos da IMW Central de Vitória. Deus nos deu o privilégio de conhecer irmãos maravilhosos daquela igreja: Os presbíteros Gilberto e Renato; Os Diáconos Miguel e Eliel (tesoureiro); as irmãs Núcia (secretária da igreja) e Rita (coordenadora do Desperta Débora). Me emocionou muito poder abraçar o Pastor Sebastião Valentim, que veio a anos para a IMW por nosso intermédio.
Ah, após o culto, a irmã Gilvânia nos serviu um jantar tão especial, preparado pela Elizangela, que até exageramos (com direito a algumas sobremesas). Não podemos deixar de destacar a presença e participaçãqo do SD Pastor Jorge Camargo, entoando belos cânticos de sua autoria, muito bem interpretados por ele.


Na quinta-feira, dia 15, estive em visita a IMW da cidade de Tocantins, na zona da mata mineira. Que bênção! Célia não pode me acompanhar nesta visita, pois teria que se preparar para o II ESPA. Viajei até Muriaé, onde o SD Pastor Robson me esperava, já pronto. Dalí, seguimos juntos para a zona da mata, direto para a IMW Tocantins, sob os cuidados pastorais do Asp. Antonio e sua esposa irmã Zilda. Esta igreja é fruto do esforço missionário do Pastor Geraldo de Oliveira, dedicado obreiro do Senhor, da cidade de Volta Redonda, já jubilado. Ele não media distância, pois viajava frequentemente de Volta Redonda para esta nobre missão, que resultou em mais esta IMW.
Chegamos atrasados ao culto, em razão de distância e de alguns contratempos. Apesar da preocupação dos irmãos conosco, encontramos a igreja sob unção do Espírito. Alguns obreiros estavam lá, prestigiando nossa visita; dentre eles, o Pastor Dantas e os Aspirantes João Marcos e sua esposa Fernanda (de Guidoval), Ernane e sua esposa Martineli (de Astolfo Dutra), Edmar (de Ubá), e Carlos (de Valão de Guiricema).
Foi muito bom também ter conhecido dois obreiros de valor da IMW de Tocantins: O Presbítero Teófilo e o Diácono Oldavi (é assim mesmo que se escreve). O Oldavi foi instrumento de Deus para manter a porta desta igreja aberta durante alguns anos. Pelo menos duas vezes na semana, ia para o templo sozinho, abria e fechava o salão. Pagava mensalmente a conta de energia, para não cortarem a luz da igreja. Foi um servo perseverante. Ah, e não podemos deixar de mencionar os queridos irmãos João Batista e Vilma, com seu filho Tiago (eta, baterista bom!); eles nos brindaram com um delicioso almoço no dia seguinte (com lasanha, carne assada com recheio e "otras cositas más"! A irmã Vilma é um talento, tanto na cozinha, como cantando acompanhada do irmão João no violão e do Tiago na bateria).

Após o culto, fomos dormir em casa do Aspirante Antonio e sua esposa, a irmã Zilda, que nos acolheram com muito carinho em sua casa. Tivemos ali o prazer de conhecer seus filhos - Cássio e Rener. Mas isso foi depois de termos passado em uma importante pizzaria de Ubá, próxima da casa deles, onde fomos servidos com saborosas pizzas. As outras visitas que fizemos, falaremos sobre elas amanhã ou depois.

Cordialmente;

Bispo Calegari

terça-feira, 13 de abril de 2010

Marta, sempre Marta (parte II)

"Marta, pois, ao saber que Jesus chegava, saiu-lhe ao encontro; Maria, porem, ficou sentada em casa" (João 11.20)

À primeira vista, pelo que podemos concluir dessa leitura, parece nos depararmos com uma situação inversa à que ocorrera em Betânia, naquele momento sagrado de paz e alegria, provocado pelo ilustre visitante: Marta à beira do fogão, agitada; Maria aos pés de Jesus, confortada. Mas, a situação mudara: Paz e alegria não eram mais sentimentos predominantes. É que Lázaro morrera. E, muitas vezes, no rastro de uma tragédia, as pessoas sofrem mudanças bruscas. Olhando as pessoas à nossa volta, veremos que parece haver pessoas que se sentem muito mais motivadas a estar aos pés do Senhor, quando tudo vai bem.

Não quero correr o risco de ser injusto com Maria, pois, não tenho a menor condição de interpretar sua dor, ou de discernir seus pensamentos. Todavia, Marta que, naquele outro episódio, se voltara para ocupações triviais; deixando Jesus falando sozinho, caso Maria lá não estivesse; agora, marcada pela dor, conseguira encontrar dentro de si as forças necessárias para ir receber o Mestre, trazendo-o para um ambiente de dor incontida. É inegável que sentia-se motivada o bastante para ir a seu Seu encontro, mesmo angustiada e confusa. A situação parece ter mudado. O prato da balança da espiritualidade inerente, pendia agora a favor de Marta.

Todavia, longe de tentar marcar as diferenças entre ambas - Marta e Maria - mulheres de dedicação consciente à Causa do Messias (uma família que servia a Deus); o que pretendo mesmo é demonstrar que Marta, em sua compreensão da doutrina cristã, sabia de, pelo menos, quatro coisas fundamentais na vida de quem segue a Jesus (conhecimento que parece faltar em muitos crentes nos dias de hoje):
1. Ela sabia que a presença de Jesus é suficiente para evitar o pior; o mal maior: "Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido" (João 11.21);
2. Ela sabia também que, mesmo que o mal chegasse, Deus poderia revertê-lo; e que isso só seria possivel através de Jesus: "E mesmo agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá" (João 11.22);
3. Ela sabia que Lázaro, seu irmão, cria em Jesus, e que mediante sua fé, haveria de ressuscitar: "Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia" (João 11.24);
4. Ela saia que Jesus era o Filho de Deus, que viera ao mundo para salvar a humanidade: "Sim, Senhor; eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo" (João 11.27).

Realmente, estas são verdades fundamentais que todo o crente precisa saber, para que sua vida cristã não fique à mercê dos falsos mestres; dos lobos vestidos de ovelhas. Sabemos que estes vilões do cristianismo costumam se introduzir no meio do rebanho do Senhor, com falsas doutrinas, para desviar do rumo dois tipos comuns de crentes: os descuidados e os despreparados. Mas aquele crente que se cuida e que se mantém informado quanto às verdades sagradas do cristianismo, sempre escapa a estes predadores da fé.

Marta conhecia estas verdades, conforme declara no texto; e Jesus não a contesta. E nós também precisamos conhecê-las, se quisermos ter segurança em meio as lutas da vida. Todavia, Marta demonstrou haver algo importantíssimo não sabia. Algo que poderia fazer toda a diferença naquele momento. Mas sobre isso falaremos amanhã, ou depois... se Deus permitir.

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Pois é, meus irmãos; aqui estamos novamente, trazendo algumas informações sobre as visitas semanais que fazemos às igrejas da II Região. São momentos de grande edificação espiritual, sem os quais, tanto Célia como eu nos sentiríamos privados de riquezas de incalculável valor para as nossas vidas e ministério. Cada visita feita é uma nova oportunidade de conhecer melhor os obreiros e igrejas sob nossa supervisão. E hoje falaremos um pouco de nossa visita à IMW de S. José do Calçado, cidade ao sul do Espírito Santo, a cerca de 20 km de Bom Jesus do Norte - cidade fronteiriça ao Estado do Rio de Janeiro, onde a IMW tem uma próspera congregação, separada pelo rio Itabapoana, que divide as duas cidades limítrofes (do lado do Rio de Janeiro, fica a cidade de Bom Jesus do Itabapoana; onde a I Região tem uma abençoada igreja; do lado do Espírito Santo fica Bom Jesus do Norte, onde a IMW de S José do Calçado tem uma próspera congregação, que está inclusive construindo um grande templo).

Célia e eu, chegamos a B. Jesus do Norte por volta das 16 horas deste sábado. Não foi dificil encontrar o querido Pastor Julio Cesar - obreiro dedicado e muito estimado na cidade. Após um breve descanso em sua casa, fomos nos preparar para o culto. Antes do banho, a irmã Marinete, esposa do Pastor Júlio, nos serviu delicioso lanche. Com a agradavel promessa de que teríamos um jantar especial, após o culto, com uma "muqueca de robalo" como prato principal (maravilha!). Os dois filhos do casal - Renan e Junior, são uma simpatia só; sua dedicação aos hospedes é fantástica. Lá também estavam: o irmão mais novo do Pastor, acompanhado da esposa e da simpática filhinha do casal, que vieram de Cachoeiro para estar com eles.

Fomos então para o culto; o templo estava lotado, como dá última vez em que estivemos ali. Fica em rua principal, muito bem localizado. O ambiente era de fervente adoração, marcado por muita alegria e quebrantamento. Gostamos muito do dueto "Oldair e Jesiel", que entoaram belos e inspirados hinos; muito bem afinados por sinal. Ah, não podemos deixar de fazer referência ao grupo de "prá God" (achei melhor tratá-los assim, por razões óbvias), de nome "Exalta a Deus"; todos eles membros de uma das congregações da IMW Central de Cachoeiro do Itapemirim (veio um grupo daquela congregação, em uma van, liderado elo seu presbítero dirigente). Percebi grande espiritualidade no grupo, mesmo com sua maneira diferente de louvar a Deus. O Pastor Jorge Camargo, nosso SD no Distrito de Cachoeiro do Itapemirim, chegou com algum atraso, mas em boa hora, à tempo de cantar uma de suas belas composições, de título "correndo na frente" (como o Senhor o tem usado em composições de grande beleza e valor!). Célia, como não podia deixar de ser, falou sobre o "Desperta Débora"e, em seguida, preguei a Palavra de Deus. A Unção de Deus veio sobre todo o povo ali reunido. Ao final da reunião, participamos, com muita emoção e quebrantamento, da "Mesa do Senhor" - uma santa ceia ungida por nosso Deus. Tivemos o prazer de abraçar vários irmãos. Conversamos um pouco com o Presbítero Eli, que ali estava com sua esposa Lurdes e sua filha caçula, de nome Késia; nos comprometemos em orar por sua filha mais velha - Dalsaiane - que está precisando voltar aos braços do "Pai".

Ao final da reunião, fomos direto para a terraço da casa pastoral; um delicioso jantar estava a nossa espera. O grupo do "Exalta a Deus" já estava lá, com outros irmãos de Cachoeiro. Jantamos todos juntos, num clima de grande comunhão e confraternização. Ah, acompanhava a tão esperada "muqueca de robalo", um especial pirão, que todos repetiram. Hávia também um guizado de carne com batata, que todos acabaram comendo também. O interessante é que a opção não era "peixe ou carne"; mas sim "peixe e carne". Todos comeram muito bem. Alguns de nós dormimos na casa do Pastor Júlio (tinha gente dormindo até no corredor). Oramos juntos! Nos alegramos juntos! Comemos juntos! Uma verdadeira família em Cristo! Ontem pela manhã bem cedo, tomamos um farto cafe da manhã (parecia café de hotel 5 *). Depois saímos em viagem para Jerônimo Monteiro, cidade a cerca de 130 km, onde iríamos ministrar na Escola Dominical. E falaremos também sobre nossa visita à IMW de Guaçui, pastoreada pelo querido Pastor Gilberto Beloni. Mas esta parte do "Giro" fica para amanhã ou quarta-feira, pois chegamos à pouco; muito cansados desta inesquecivel viagem.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 10 de abril de 2010

Pastor Wesleyano é nomeado para o Executivo do Estado de Rondonia

O Pastor Calegari Filho foi nomeado, em 8 deste, para o cargo de Secretário de Estado de Ação Social do Estado de Rondonia. O Ato solene de posse se deu no auditório do Tribunal de Contas do Estado, com a presença de diversas autoridades políticas e eclesiásticas.



O que considero destaque nesta notícia, não é simplesmente a nomeação do Pastor Calegari Filho para o Executivo de Rondonia; e sim, o fato de um evangélico, identificado com a comunidade rondoniense, ter sido guindado a este posto - um cargo da mais alta confiança no Estado. E traz para nós uma alegria especial, pelo fato de ser um pastor wesleyano, comprometido com a bandeira da nossa Igreja.



O Pastor Calegari Filho tem reunido em torno de sí as mais diversas forças representativas da Igreja Evangélica rondoniense. Isso fez com que o mesmo fosse eleito, por unânimidade, Presidente do Conselho Estadual de Pastores, em uma assembléia composta por quase 300 delegados (pastores), das diversas denominações do Estado de Rondônia - desde tradicionais, conservadores, pentecostais e neopentecostais. Sua influencia espíritual é sentida em todos os segmentos representativos do poder público no Estado, desfrutando de amizade e respeito das grandes lideranças seculares e religiosas de Rondônia.



Este obreiro wesleyano traz em seu currículo os seguintes cargos: Foi eleito no último Concílio Geral da IMW, Secretário Geral de Ação Social, tornando-se o membro mais novo do Conselho Geral da IMW; é membro da Direção Nacional do FENASP, sendo tesoureiro do órgão. O FENASP é a mais importante entidade representativa dos evangélicos, na discussão dos temas parlamentares do interesse dos evangélicos, debatendo com os congressistas sobre leis em tramitação no Congresso Nacional, que afetam direta ou indiretamente a Igreja Evangélica.



Como um daqueles que oram pelo sucesso ministerial da liderança jovem que vem despontando em nossa Denominação, venho pedir orações incessantes em seu favor, pois bem sabemos dos efeitos colaterais que sofrem os que são investidos de unção especial da parte de Deus; daqueles que são reconhecidos na comunidade, pelos serviços prestados à mesma.

A Palavra de Deus nos ensina que o nosso inimigo, costuma utilizar instrumentos de ataque contra aqueles são chamados pelo Senhor, semeando invejas e porfias, no intuito de impedí-los de cumprir integralmente sua missão em prol das vidas.


Fontes:

Igreja avança - Cahulla empossa Secretário de Assistência Social - http://www.rondoniagora.com/noticias/cahulla-empossa-secretario-de-assistencia-social-2010-04-08.htm

Pastor Wesleyano é Secretário Estadual de Ação Social - http://guilhermecostaimw.blogspot.com/2010/04/pastor-wesleyano-e-secretario-estadual.html

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Marta, sempre Marta

"Ora, estava enfermo um homem chamado Lázaro, de Betânia, aldeira de Maria e de sua irmã Marta" (João 11.1)


Escrever sobre Marta - a Marta da Bíblia, a Marta de Betânia, a Marta irmã de Maria e Lázaro - é relativamente fácil, certo? Talvez, nem tanto como poderíamos pensar.

Não resta a menor dúvida que a humilde "família de Betânia", com suas características, pode gerar pelo menos três pressupostos interessantes: 1. O contexto passa a impressão que Maria era mais importante do que Marta (talvez por motivo de visível espiritualidade); 2. Também indica que Lázaro tornou-se o homem mais famoso do lugar; um dos mais famosos do seu tempo (provavelmente um dos mais famosos de todos os tempos). A razão era, digamos, sobrenatural: ressuscitara após quatro dias morto - um feito único na modalidade; 3. E acaba por penalizar a nossa Marta, que ficou estigmatizada devido ao episódio na sua cozinha em Betânia, quando preferiu cuidar da "comida material" do que priorizar a "comida espiritual".

No entanto, após cuidadosa observação, haveremos de ver que a coisa podia não ser bem assim: Marta não era o que parecia ser (aliás, as coisas e pessoas nem sempre são o que aparentam ser). E neste caso em especial, um exame mais atento irá revelar uma Marta firmada sobre valores fundamentais na vida cristã. Sua percepção das coisas espirituais estava bem acima da média, conforme haveremos de ver mais à frente. Ela carregava consigo convicções importantíssimas; as quais nem sempre percebemos, mesmo na vida de alguns cristãos acima de qualquer suspeita.

Na verdade, Marta sabia de coisas que muitos crentes não sabem. Ela demonstra isso, como veremos em nossa próxima palavra, de modo a não deixar dúvida em quem a ouvisse. Mesmo que não aparentasse interesse maior nas palavras do Mestre (Maria estava aos pés de Jesus e ela à beira do fogão), suas palavras em João 11 indicam que havia aprendido bem o "dever de casa". Algumas verdades que ela demonstra conhecer, são hoje uma raridade nas tribunas de algumas boas igrejas. Verdades que, por ignorância ou por omissão de alguns pregadores, deixam de enriquecer ouvintes ávidos pela revelação da Palavra de Deus.

Mas, se por um lado, ela revela conhecimento revelado; por outro lado, como geralmente acontece com todos nós, Marta também desconhecia verdades determinantes para uma mudança de vida; para uma vida com propósito, de nivel ainda mais elevado. E o fato é que o desconhecimento de pelo menos uma dessas verdades, quase serviu de impedimento a que o poder de Deus se manifestasse e algo grandioso acontecesse.

Mas sobre isso escreveremos amanhã.

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Giro Episcopal pela II Região

Pois é, Célia e eu saimos em mais um giro pela II Região. Nosso itinerário nos levaria a três cidades do Distrito de Caxambú: Luminárias, Lavras e Bonsucesso. São três cidades proximas umas das outras. Depois de uma viagem de mais de seis horas, chegamos a Luminárias. Mediante informação de uma senhora que encontramos, chegamos até o templo da IMW, que fica bem no centro da cidade. E a uma quadra do templo, encontramos casualmente a residencia do Pastor Domingos e de sua esposa - a irmã Conceição. Fomos muito bem recebidos pelo casal, e ficamos hospedados em sua casa. A noite, após delicioso lanche preparado pela irmã Conceição, fomos para o culto. O templo estava lotado de irmãos, todos cheios de alegria. Após um louvor muito abençoado, pregamos e sentimos o mover de Deus em nosso meio. Antes do término da reunião, recebemos um belo e sugestivo presente - um objeto decorativo em forma de uma casa elevada, com degraus estilizados, tudo feito em pedra da região.

Ao final do culto, retornamos à casa do Pastor, onde dormiríamos em quarto carinhosamente preparado pela irmã Conceição, que também nos preparou um lanche enriquecido com delicioso arroz doce. Fomos surpreendidos com a chegada do Presbítero José ângelo, que veio nos trazer alguns tipos de doce, muito especiais, preparados por sua esposa - a irmã Cássia. Causou-me também profunda impressão conhecer o Presbítero Joaquim, homem simples e muito dedicado - um dos pioneiros da obra wesleyana; uma verdadeira coluna naquela igreja.

No dia seguinte, após abençoado almoço, nos despedimos do Pastor Domingos e da irmã Conceição, lamentando não podermos ficar no final de semana, pois tinhamos compromissos em Lavras, na noite deste sábado.





Após uma viagem de pouco menos de uma hora, serpenteando a serra que separa as duas cidades, chegamos a Lavras. Lavras é uma cidade próspera, com um excelente parque industrial, que deve ser uma das razões de sua privilegiada situação econômica. Achamos facilmente a igreja, em local de fácil acesso, um belo templo, muito bem construido. Bem próximo a ele, encontramos o prédio onde reside nosso casal de obreiros: O Pastor Maurício e a Missionária Débora, sua esposa. Conversamos um pouco, tanto com eles como com os pais da Débora (Presbítero João e irmã Aparecida), que são membros da IMW I do Industrial.

A noite participamos de um culto marcado pelo poder de Deus. Constatamos que muitas vidas novas que estão ingressando na igreja wesleyana; a grande maioria por batismo e profissão de fé. Após o abençoado louvor dirigido pelo jovem Davi, Célia deu uma saudação à igreja. Preguei em seguida, e todos fomos abençoados pela gloriosa presença de Deus. No culto, ficamos conhecendo o Presbitero Laércio, casado com a irmã Maria Inês, exímia pintora de belos quadros, uma das filhas do Pastor Domingos e irmão Conceição.

Logo após o culto, fomos visitar a casa do irmão Ferreira, cuja esposa é diaconisa da igreja. É uma família muito dedicada à preservação do meio ambiente. Conversamos muito sobre o tema. Em seguida, o irmão Ferreira levou-nos a conhecer o jardim da casa, inteiramente projetado por ele - um dos mais belos jardins que já conheci. Dali, fomos para a casa pastoral, onde a irmã Aparecida havia preparado um jantar inesquecivel, com filés de dourado tão crocantes, acompanhados de arroz, feijão e salada. Tudo tão delicioso, que não dava para comer apenas uma porção. Após uma noite bem dormida na casa destes queridos obreiros, que nos cederam tão bondosamente sua suite, nos preparamos cedo, para partir rumo a Bonsucesso, onde éramos aguardados pela manhã, conforme a agenda predeterminada.





Após uma viagem de cerca de uma hora, chegamos a Bonsucesso. Não foi difícil encontrar o belo templo, bem no centro da cidade. Uma construção arrojada e de muito bom gosto. Fomos recebidos à porta, pela irmã Divina, responsavel pela Diplomacia da igreja. Ela nos conduziu ao Pastor Ramon Marcos; e este nos conduziu às classes bíblicas reunidas na diversas instalações do templo. Cumprimentamos aos professores e suas classes. Na cozinha, um grupo de irmãs se esmerava em preparar o almoço para todos os membros, do qual também faríamos parte, para nossa alegria.

Enquanto o almoço era finalizado, fomos conhecer o local em que a IMW havia iniciado suas atividades em Bonsucesso. Constatamos a importancia do trabalho do Pastor Domingos - homem que teve a coragem de remover dali a igreja, para o local em que ela se encontra hoje; em templo próprio, bem no centro, ao lado da Câmara de Vereadores. Voltamos e participamos de um almoço inesquecivel, daqueles em que a cozinha mineira se revela imbativel. Uma deliciosa carne de porco, feita com requinte, com diversos acompanhamentos. Em seguida foi servida a sobremesa, que provocou suspiros audíveis em todos os presentes, tanto pela variedade de doces (pudins, gelatinas, rocamboles, etc), como pelo sabor que comprovava a habilidade das irmãs que prepararam tudo aquilo, para nosso deleite.

A tarde, descansamos um pouco. Depois retornamos ao templo, para um culto maravilhoso. O ministério de louvor entoou hinos com perfeita afinação; um inspirado casal de jovens - a Sofia e o Mateus (filho caçula do Pastor Ramon Marcos e da irmã Regina), interpretou por coreografia a paixão de Cristo, que a todos emocionou. Célia trouxe aos irmãos uma palavra sobre o ministério "Desperta Débora", e sentimos que a igreja foi impactada pelo testemunho. Após ministrarmos a mensagem, muitos vieram à frente, onde pudemos sentir uma unção muito especial do Senhor sobre nós. Antes do encerramento, a irmã Divina nos chamou e nos presenteou com dois belos presentes, em nome da igreja.

Após o culto, o Pastor chamou Célia, para que desse instruções à irmã Marina, que será a coordenadora do ministério "Desperta Débora" na igreja. Tivemos o prazer de conhecer o corpo presbiterial da igreja, homens dedicados e atuantes. Pudemos conhecer também a irmã Silésia, outra das tres filhas do Pastor Domingos, e seu marido - o Diácono José Roberto, que se desdobram entre o trabalho em sua tão bem conceituada padaria e o trabalho da igreja. Ah, e não podemos deixar de fazer menção do Presbítero Sebastião, o mais antigo da igreja; e também a querida irmã Leninha, pioneira daquela obra em Bonsucesso.

Finalmente, fomos para a casa do Pastor Ramon Marcos, onde a irmã Regina nos recebeu com uma deliciosa lasanha; tão gostosa que até exageramos na dose. Ficamos conversando um bom tempo em volta da mesa; Célia, eu, o Pastor Ramon Marcos, Regina e Mateus. Só não estava o Felipe, seu filho mais velho, que faz medicina em Juiz de Fora e já havia viajado para estar hoje pela manha em sala de aula. Seus dias úteis são passados em Juiz de Fora, na companhia da querida irmã Olga - sua avó materna.

E por hoje é só!





Cordialmente;

Bispo Calegari