quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Piedade e Humildade: o essencial

"1 Tendo Jesus entrado, num sábado, em casa de um dos chefes dos fariseus para comer pão, eles o estavam observando. 2 Achava-se ali diante dele certo homem hidrópico. 3 E Jesus, tomando a palavra, falou aos doutores da lei e aos fariseus, e perguntou: É lícito curar no sábado, ou não? 4 Eles, porém, ficaram calados. E Jesus, pegando no homem, o curou, e o despediu. 5 Então lhes perguntou: Qual de vós, se lhe cair num poço um filho, ou um boi, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado? 6 A isto nada puderam responder" (Lucas 14.1-6).

Este episódio demonstra o quando a piedade é mais importante que a religiosidade

Embora Jesus não demonstrasse ser adepto da doutrina do sábado (ele jamais poderia ser identificado como um daqueles "sabatistas" que normalmente fazem a defesa deste importante dia no calendário judeu), era muito comum sua presença em eventos que ocorriam por ocasião do sábado; nem tanto pela data em si mesma, mas sim pela oportunidade de ministrar a alguns que se reuniam para eventos sociais por ocasião deste feriado judeu. E, em linha com este raciocínio, lá estava Jesus em mais um almoço comunitário, para o qual fora convidado! E ele fora convidado para comer em casa de um dos principais fariseus. Este episódio revela três fatos interessantes:

1. O convite tivera um objetivo religioso, eivado de preconceito

Ao que tudo indica, o que seus anfitriões pretendiam, era surpreendê-lo em alguma falta naquela ocasião; para, então, apontar o seu "pecado". Já haviam tentado um montar "flagrante" em outras ocasiões, não logrando êxito. Na verdade, o Mestre conhecia suas verdadeiras intenções (eram muito habilidosos em preparar armadilhas). Segundo o texto, "eis que o estavam observando" (v. 1).

Geralmente, a presença de Jesus sempre atraia pessoas enfermas, desassistidas, infelizes, logo acercou-se dele um homem em péssimo estado. Jesus tomou a iniciativa de indagar deles se, a seu juízo, a observância do sábado era superior ao ato de socorrer um desvalido. Afinal de contas, "se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado?" (v. 5).

Graças a Deus, a frieza do preconceito religioso não impediu o agir de Deus naquele momento. O amor profundo e a unção sobrenatural, que inundavam a vida de Jesus, prevaleceram sobre a intolerância religiosa e silenciaram os seus críticos. Então, Jesus, virando-se para o enfermo e "tomando-o, o curou e o despediu" (v. 4)

2. Aquele evento provocou uma "correria" em busca dos melhores lugares

Era evidente que muitos daqueles convidados procuravam "aparecer"; cada um mais do que os outros. Eles disputavam entre si, pelos melhores lugares à mesa. E esta atitude soberba não passou despercebida aos olhos de Jesus, que "reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes uma parábola" (v. 7).

Naquela ocasião, Jesus procurou ensinar pelo menos duas lições aos que procuravam "aparecer":
A primeira, é que a verdadeira honra é a que vem de Deus. Ela é concedida de modo vertical - de cima para baixo. E neste quesito, não somos nós que determinamos o nível de honra a recebermos; é o próprio Deus que decide a quem honrar! Ele é quem chama aqueles que escolhe, para mais perto de si: "Amigo, senta-te mais para cima" (v. 10).
A segunda, é que a verdadeira honra e exaltação é precedida pela humildade, pois, "todo aquele que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado" (v. 11).

Concluindo

Realmente, as vezes me parece que algumas pessoas não conseguem entender o verdadeiro sentido do conceito de liderança. A Palavra de Deus está repleta de exemplos e de ensinamentos, todos eles apontando para o fato de que, no Reino de Deus, a humildade e o exemplo em servir estão entre os requisitos mais importantes para indicar aqueles que, verdadeiramente, servem a Deus. O próprio Jesus define este assunto, afirmando que "assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos" (Mateus 20.28).

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário