segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A história dentro da história - parte II

Nesta "postagem", estamos dando um desfecho a mensagem que postamos no dia 27 deste, intitulada: "A história dentro da História". Naquela palavra pastoral, discorri sobre as implicações do contexto profético, concernentes a promessas feitas a Abraão. Nesta segunda parte, pretendo chegar a história dentro desta história. Enfim, o que se passava nos bastidores de uma vida infeliz, carente do amor de Deus, em busca de uma chance na vida.

A mulher siro-fenícia e seus problemas

Seu lar transformara-se em uma sucursal do inferno. Sua filha, miseravelmente endemoninhanda, era portadora do caos! Um instrumento de Satanás - uma espécie de "agente infiltrado"; usado para desestabilizar toda aquela família. Não havia sossego - nem para os que viviam naquela casa, nem para os que residiam nas imediações. Para agravar o drama daquela pobre mulher, nenhum daqueles que ela conhecia estava apto para auxiliá-la em sua luta (se estivessem, já o teriam feito).

Sua filha - objeto de sua dor

A jovem não tem seu perfil conhecido. De boa ou de má aparência? Saudável ou enferma, sob o ponto de vista físico? Mesmo que seu perfil fosse claramente definido; qualquer traço de beleza ou de saúde que nela tivesse havido, seu estado de possessão permanente já havia destroçado seus dotes. Talvez, sua mãe fosse ainda a única pessoa neste mundo a se importar com ela; a lhe dar as atenções de que necessitava, mesmo sem receber nada em troca; ou melhor: recebendo o tratamento violento e imprevisível que uma pessoa endemoninhada sempre aplica aos que a amam.

Enfim, uma oportunidade imperdível

Jesus passava por ali! E quando Jesus passa, tudo pode mudar para melhor. No dizer de um corinho antigo: "Quando Ele passa, tudo se transforma: a tristeza vai; a alegria vem". Aquela mulher podia não conhecer este corinho; mas, certamente que sabia da importância daquele momento em sua vida. Não havia tempo a perder! "Então ele lhe disse: Por essa palavra, vai; o demônio já saiu de tua filha" (Marcos 7.29). A palavra da mulher foi decisiva para a libertação de sua filha! É triste saber que as palavras de alguns pais acabam por aprofundar ainda mais o agir de Satanás na vida de seus filhos. Graças a Deus, aquela mulher soube proferir as palavras certas.

E a moça, como ficou?

Certamente, a mulher retornou para sua casa cheia de confiança. Seu coração, impactado pela presença de Jesus, palpitava de emoção. Ela sabia do que Jesus era capaz! Se pretendêssemos escrever um livro, contando a história desta família e da obra de Deus realizada naquela casa; o relato seria assim:

A mulher chega em casa e percebe mudanças na entrada. No quintal, repara no varal de roupas. O olhar da mãe esperançosa percebe roupas de sua filha - calcinhas, blusas, etc. Sim, a filha que, antes, vivia suja e maltrapilha. Tudo devidamente limpo; pendurado sob o calor do sol. A casa, enfim, com janelas abertas! arejada, perfumada; cada coisa em seu devido lugar - tudo devidamente organizado. De repente, os ouvidos atentos da mãe extasiada ouvem uma doce voz: "Mãezinha, você já chegou? Notei a casa muito suja e desarrumada; fiz uma faxina. Aproveitei para lavar roupas sujas. Espero estar do teu agrado. Ah, preparei também a refeição - você vai gostar". A mãe, transbordante de alegria e gratidão, exalta a Deus pelo milagre operado.

E a historia que transpira desta história, está apenas começando. Quando Jesus liberta alguém, esta liberdade é verdadeira e transformadora. Aconteceu com a filha daquela mulher suplicante; pode acontecer com você também. Pois, "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (João 8.36).

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário