quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Relembrando antigos tempos

De quando em vez, na vida de todos nós, algo novo acontece. Geralmente, o novo sempre trás consigo a quebra da rotina. Isso aconteceu comigo! No domingo, tive a feliz oportunidade de visitar um velho amigo; alguém com quem raramente me encontro. Nossas múltiplas atividades - as dele e as minhas - nos colocam em pontos distantes. Pois é! Por ocasião da Posse dos Bispos: Elisiário e Amaral, lá estava, como ilustre convidado, o Pastor Antonio Faleiro, o amigo de longa data, a quem me refiro (ele foi um dos membros fundadores da Igreja Metodista Wesleyana). Ali mesmo, renovou um convite feito anteriormente, para que eu pregasse na Igreja Metodista de Botafogo, no Rio de Janeiro, da qual ele é fundador e Pastor. O convite foi atendido neste domingo, com pregação no culto da manhã, e também no culto da noite.

Maria Célia e eu, levantamos muito cedo, para viajar ao Rio de Janeiro. Nosso compromisso era chegar até nove e meia da manhã, para o culto matutino. Lamentavelmente, esquecemos que o horário havia mudado na noite anterior. Entretanto, como saímos bem cedo, ainda conseguimos chegar em boa hora, com cerca de vinte minutos de atraso. Fomos muito bem recebidos naquela igreja, que tem a "cara" do seu pastor - alegre e descontraída. Tanto a família pastoral, como os demais obreiros da Igreja Metodista de Botafogo, não pouparam esforços em nos atender. O culto foi marcado por muita emoção! O Pastor Faleiro, comovido, apresentou Maria Celia, que fora sua ovelha na década de sessenta; tendo sido por ele batizada, quando ainda era uma adolescente com cerca de 13 anos (ah, ele fez também o nosso casamento, no dia 11 de julho de 1970, juntamente com o saudoso Bispo Gessé). Preguei logo em seguida, ministrando sobre os tempos difíceis em que vivemos, com base em Mateus 24.

Após o culto, fomos conhecer as instalações da igreja (belíssima propriedade adquirida numa das artérias mais importantes do Botafogo - a Rua São Clemente). Em seguida, no gabinete pastoral, ouvimos um testemunho de fé e empreendedorismo. O Pastor Antonio Faleiro iniciou aquela igreja a cerca de nove anos, apenas com sua família. As primeiras reuniões foram em sua casa; depois passaram a reunir-se na capela do Bennett; dali, seguiram para um salão alugado. E em 2005, veio a grande conquista: a compra da propriedade na São Clemente - um projeto audacioso! Gerado no coração do Pastor Faleiro, tornou-se um marco de conquista. Muitas almas tem sido alcançadas para o Senhor Jesus. O amor e carinho que as ovelhas nutrem pelo seu pastor é visível. Ficamos também conhecendo melhor o Pastor Clovis - um homem preparado e companheiro dedicado, sempre ao lado do Pastor Faleiro.

Dali, seguimos para o almoço na residência pastoral. A irmã Alvanir e suas duas queridas filhas - Cláudia e Lilian, estavam a nossa espera com carne assada fatiada, salada, inhoque de alho poró, arroz e feijão e um delicioso pudim como sobremesa. Fiquei conhecendo também o futuro genro do Pastor Faleiro. Aproveitamos para conversar via internet com seu filho e sua nora, que são missionários na França. Foi muito agradável termos podido estar juntos. Lembrei-me do natal de 1069, quando estive por alguns dias hospedado em sua casa, em Nilópolis, pregando na Primeira Igreja Wesleyana de Nilópolis, onde ele fez um brilhante pastorado. Faleiro é uma pessoa simples, dedicada - um bom amigo.

Após um breve descanso, nos preparamos para ir ao culto vespertino. Foi um culto marcado por muita unção e alegria. O Ministério de Louvor deu conta da missão de conduzir-nos à presença do Senhor, em adoração. Em seguida, preguei mensagem sobre fundamentos (Mateus 7.24-25). Senti muita liberdade para ministrar e para convidar os presentes para oração com imposição de mãos pelos pastores Faleiro e Clovis. Saímos de Botafogo, gratos a Deus por nos ter concedido a oportunidade de rever amigos tão chegados, fortalecendo com eles os laços de amizade e comunhão.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário