quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Jesus em nossa casa

"Ora, tendo Jesus entrado na casa de Pedro, viu a sogra deste de cama; e com febre. E tocou-lhe a mão, e a febre a deixou; então ela se levantou, e o servia" (Mateus 8.14-15).

Não será exagero afirmar que aquele foi um momento de rara felicidade. Pedro levou Jesus à sua casa - uma casa certamente modesta, como as casas da grande maioria dos que dependem da pesca para sobreviver; e naqueles dias esta atividade devia ser ainda mais dificil e menos compensadora. Mas Pedro levou Jesus a sua casa!

É algo comum, que uma casa tenha os seus problemas. Na intimidade entre suas quatro paredes, ela não acolhe apenas os seus moradores; acolhe também os problemas que fazem parte de suas vidas. E alguns desses problemas, com o tempo, deixam de ser problemas de um ou outro de seus moradores tão somente; passando a ser problemas da própria casa. Mas Pedro levou Jesus a sua casa!

Uma casa costuma assistir, silenciosa, alguns momentos turbulentos; conflitos entre aqueles que nela convivem. E algumas vezes acaba por ser testemunha dos desfechos trágicos, de problemas que evoluiram e fugiram do controle de seus protagonistas, até ao ponto de culminar em tragédia e sofrimento. Mas Pedro levou Jesus a sua casa!

Uma casa, as vezes, se torna definitivamente ligada a lembranças tristes. E nessa condição, começa a ser vista como um marco negativo. Chega ao ponto de ser descartada da história de vida de uma família que, devido aos problemas ocorridos em seu interior, passa a relacionar os traumas deles decorrentes à própria casa, como se ela fosse o pivô do seu sofrimento. Mas Pedro levou Jesus a sua casa!

E quando Pedro teve a felicidade de levar Jesus a sua casa, devia esperar em seu íntimo que algumas coisas mudassem por lá. Algumas dificuldades nela existentes; temores e maus pressentimentos quanto ao futuro; perturbações frequentes atormentando a vida dos que nela viviam. Enfim... Ao levar Jesus até sua casa, Pedro tomou a melhor das atitutes. E a presença de Jesus em sua casa, provocou dois efeitos imediatos:

Sua sogra foi curada

A cura está sempre presente por onde Jesus passa. Haja visto, os inúmeros enfermos que eram curados à sua passagem pelos lugares por onde andava. E ainda hoje, quando cantamos: "Jesus está passando por aqui... Quando ele passa, tudo se transforma; a tristeza vai; a alegria vem...", estamos perpetuando o conceito verdadeiro, de que a passagem de Jesus pode mudar tudo para melhor.

A cura e libertação estão sempre presentes na casa em que Jesus entra. A sogra de Pedro foi curada. Mas houve também cura e em inúmeras casas onde Jesus entrava. A casa de Jairo foi um desses casos (Cheguei a postar uma Palavra Pastoral, intitulada "Levando Jesus à nossa casa", baseada nesta experiência). Quando cantamos: "Entra na minha casa... Entra na minha vida...", não estamos apenas formulando um simples convite a Jesus; pois esta pode ser a maior contribuição para mudar a sorte daqueles que serão abençoados pela presença do Senhor. Mas existe o segundo efeito:

Sua sogra passou a servir

O ingresso de Jesus em uma casa, pode fazer com que seus moradores passem a ter serventia. A presença de Jesus em uma casa pode dar propósito a vidas que, em outra circunstância, viveriam sem rumo; sem objetivo. Na verdade, o que dá sentido a vida e o mover de Deus em seu interior.

A grande máxima do evangelho, é que não conseguimos servir perfeitamente a Deus, se não servirmos ao nosso próximo. Aqueles que afirmam servir a Deus, sem que se veja em seu proceder uma vida dedicada a servir ao seu próximo, estão completamente equivocados. Eles desconhecem que a mão que serve a Deus, é a mão que serve ao próximo. Uma grande verdade que precisamos encarar, é que, servir a Deus sem servir ao próximo, é apenas um modo enviesado de nos servirmos a nós mesmos. A Palavra de Deus adverte que "Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu. E dele temos este mandamento, que quem ama a Deus ame também a seu irmão" (I João 4.20-21).

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Revmo Bp Calegari
    Graciosa é esta mensagem; indispensavel sua reflexão e observação.
    Manifestamos nossa alegria pela honra de tê-los recebido em nosso humilde lar(que também é vosso sempre que o desejar). Estamos orando por vosso ministério e, no momento, em especial pelo pronto e completo restabelecimento da Miss Maria Célia.
    Graça e Paz vos sejam abundantes por Jesus Cristo.
    Vosso conservo nEle,
    Pr. Eviziomar Leonel e Família

    ResponderExcluir