terça-feira, 20 de julho de 2010

O homem de Deus e seu exemplo

"Aos anciãos, pois, que há entre vós, rogo eu, que sou ancião com eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando se manifestar o sumo Pastor, recebereis a imarcescível coroa da glória" (I Pedro 5.1-4).

Vivemos num mundo, em que a busca por referenciais determina as ações da grande maioria. E o pior em tudo isso, é que essa grande maioria segue obstinadamente os ícones do momento, acabando por se conduzida pelos mesmos, a um beco sem saida. É uma cena muitíssimo comum nos dias de hoje: multidões correndo em busca de seus ídolos, e pagando caro por isso (dependendo do valor do cachê). Analisando o comportamento humano, que é geralmente movido por carências, entendemos ser perfeitamente normal essa procura. É uma preocupação que pode ser notada já na infância (crianças, desde a mais tenra idade, procurando em seus pais um referencial para sua existência). Seu sentimento é de segurança e dependência, estando ao lado de seus pais. Mas é nos jovens que essa procura será mais intensa e determinante; pois, eles vivem sempre a procura de ícones que os guiem em direção a um futuro supostamente venturoso, de prazer ilimitado. E os próprios adultos acabam por se deixar influenciar por esta procura desenfreada (existem inúmeros casos de pais que procuram ombrear com seus filhos, mais por solidariedade do que por idealismo, nessa busca sem fim). E neste procedimento, comum a quase todos, apenas os idosos parecem estar mais distantes desta tendência natural dos homens. E isso não se deve ao fato de serem imunes; e sim, porque acabaram por deixar seus ícones em algum lugar do passado; onde seus sonhos ficaram soterrados, juntamente com seus ídolos, sob os entulhos produzidos pela loucura de ícones sem alma - mensageiros da morte. A ilusão em seus corações não resistiu a passagem do tempo, dando lugar à frustração e desalento em que passam a viver. Isso é coisa muito comum nas pessoas idosas, salvo poucas exceções. Este é o mundo dos homens, no qual nos encontramos temporariamente. Mundo a um passo da completa ruína, sem que os homens se apercebam disso.

Todavia, existe um mundo dentro deste mundo (e ao mesmo tempo fora dele), que clama por mudanças radicais - um mundo à parte. Desse mundo, fazem parte aqueles que procuram se inspirar em vidas vivendo um outro padrão de comportamento - o mundo regido pela Palavra de Deus, no qual vivem os homens e mulheres de Deus. É um mundo cujos referenciais diferem, em grau e modo, dos referenciais do mundo dos homens comuns. Nele, encontramos uma multidão disposta a seguir uma liderança com propósito; uma liderança que busca seus valores absolutos na presença do Deus eterno. O exemplo que exibem os homens de Deus que dessa liderança especial fazem parte, é o exemplo que brota de uma vida com Deus, plena de Jesus. Seu testemunho ilibado é forte o bastante para arrastar homens e mulheres em direção ao céu, mesmo sem terem nada a oferecer, a não ser sua própria vida (e não existe oferta maior!). Homens, cuja essencia é perfumada, pois exala o bom cheiro de Cristo. Eles são uma estirpe à parte de tudo aquilo que a mídia exibe (os fisiculturistas; os sarados; os "super-homens"). Sim, eles diferem em muito dos modelos produzidos pelo market. Os tais não necessitam de disfarce, não se travestem, pois não tem nada a esconder. Não necessitam de máscaras, pois não existem pontos sombrios em sua face iluminada pela presença de Deus em suas vidas.

E nesse contexto fora do comum, o lider que não traz as impressões desta gloriosa presença é um forte candidato a "sal sem sabor". É verdade! Aquele cujo testemunho deixa dúvida quanto aos valores que o motivam, acaba por deixar de ser referencial do bem e começa a perder discípulos, amigos e irmãos, ao longo da jornada ministerial; acabando por terminar seus dias em dolorosa solidão. Se suas reais intenções se revelam interesseiras, egoistas, gananciosas, tal lider acabará por ver seu ministério se reduzir, reduzir, reduzir... até implodir e se desfazer como a poeira que o vento dispersa.

Portanto, se tu és homem ou mulher de Deus, e demonstra isso por pensamentos, palavras e obras, "ninguém despreze a tua mocidade, mas sê um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" (I Timóteo 4.12).


Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário