sexta-feira, 14 de maio de 2010

Levando Jesus à nossa casa

"E eis que chegou um varão de nome Jairo, que era príncipe da Sinagoga; e, prostrando-se aos pés de Jesus, rogava-lhe que entrasse em sua casa; porque tinha uma filha única, quase de doze anos, que estava à morte. E, indo ele, apertava-o a multidão" (Lucas 8.41-42)



Percebemos neste texto, que Jairo chega desesperado à presença de Jesus (sua única filha estava à beira da morte). Poderia ser um outro problema, com ou sem a mesma dimensão. Todavia, o que se percebe é que Jairo sentia em seu íntimo, o irresistível desejo de levar Jesus para sua casa. Não foi um convite formal ou circunstancial; foi uma rogativa.


Tenho absoluta certeza que o nosso mundo seria um lugar bem melhor para se viver, se, em meio aos problemas que afligem a grande maioria das pessoas, Jesus fosse convidado a ir a sua casa. O mundo cristão está cheio de exemplos de histórias tristes, que acabaram por ter um final feliz, única e exclusivamente pelo fato de Jesus ter sido levado à família.


A história de Jairo registra um final maravilhoso, porque este foi o seu procedimento: rogou a Jesus que entrasse em sua casa. Um clamor desesperado, face as circunstâncias, que teve como resultado o milagre esperado; milagre este que somente Jesus seria capaz de fazer.


Podemos notar que, no trajeto de Jesus até o ponto exato da dor, surgiram pedras no caminho. Eram momentos de provação. E para cada um deles, a palavra do Mestre soava promovendo esperança em meio as incertezas. Destamos aqui três desses momentos:


1. Não temas


Foi um momento crucial, no coração e na mente de Jairo, quando a turma do "não tem mais jeito" entrou em ação. Eles pediam a Jairo: "não incomodes mais o Mestre". Jesus, sem tecer considerações sobre o que diziam, incentivou a Jairo, dizendo: "Não temas, crê somente, e será salva" (Lc. 8.50).

2. Não chores

Havia grande dor naquela casa, tanto por parte dos parentes como dos amigos. E em meio ao desespero generalizado e as lágrimas de sofrimento, tudo isso causado pela morte da menina, Jesus proclama: "Não choreis; não está morta, mas dorme" (Lc. 8.52).


3. Levanta-te


A incredulidade não admitia um final feliz naquela história; ela se fez ouvir, em alto e bom som: Intercalando lágrimas de dor com cruel zombaria, todos os presentes começaram a rir-se de Jesus, considerando loucura sua declaração. Mas Jesus, indiferente ao barulho da incredulidade, se dirigiu ao cadaver: "Levanta-te, menina" (Lc. 8.54). Enfim, Jairo recebeu sua bênção!


E na vida de qualquer um de nós não será diferente se, em meio a lutas e problemas que enfrentamos, num ato de profunda fé e confiança em Deus, convidarmos a Jesus a entrar em nossa casa. Muitos crentes declaram que Jesus já está em seu lar, pelo fato de serem membros de uma igreja evangélica. E até muitos pastores pensam do mesmo modo. Todavia, certos frutos de iniquidade e desobediencia a Deus, permitidos e produzidos dentro do lar, dizem justamente o contrário. Luz e trevas não podem ocupar um mesmo espaço!


No entanto, se nos curvarmos humildemente perante o Senhor, com sincera devoção e quebrantamento, e o convidarmos a entrar em nossa casa, aí sim: tudo vai mudar!


Cordialmente;


Bispo Calegari

2 comentários:

  1. Olá Senhor bispo, ficamos muito felizes pela sua presença e da irmã Maria Celia aqui em Pequeri no ano passado e esperamos esse ano ter a sua presença aqui conosco aqui novamente.
    A paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  2. Pr. Luiz Calos
    Bispo meu querido pastor, gostaria de parabeniza-lo pelo blog, louvo muito a Deus pelo seu ministério, o irmão tem sido uma grande benção de Deus para nós da 2ª Região, Agradeço muito ao meu bondoso Deus, por ter trago o irmão novamente para ser o nosso querido Bispo.
    Um grande abraço, estensivo também a toda a familia.

    ResponderExcluir