sexta-feira, 12 de março de 2010

Para se viver eternamente, morrer é preciso!

Nos últimos dias, a Igreja Metodista Wesleyana foi dolorosamente golpeada pela morte de dois dos seus mais nobres representantes - os Revmos Bispos Nilson de Paula Carneiro e Onaldo Rodrigues Pereira:



Bispo Nilson e sua amada esposa

1. Em 02/03/2010, faleceu o Bispo Nilson de Paula Carneiro [1], depois de sofrer e carregar em seu corpo as marcas de prolongada enfermidade. Deixa viúva a irmã Helina, sua esposa e companheira de todos os momentos; filhos, genros e netos; todos tendo que conviver com a dor da saudade que, geralmente, faz sofrer aqueles que por tanto tempo desfrutaram de sua tão agradável companhia.


Bispo Onaldo



2. Em 09/03/2010, faleceu o Bispo Onaldo Rodrigues Pereira [2], vitimado que foi por não menos cruel enfermidade, que se manifestou e ceifou sua inesquecivel vida em tão curto tempo, dando a todos nós a impressão de que sua perda foi apenas um sonho mau. Deixa viúva a irmã Elenir, esposa e companheira sempre presente, bem como suas filhas genros e netos; todos eles, certamente, feridos por tamanho infortúnio; privados da presença do esposo, pai, sogro e avo.



É fato reconhecidamente notório, que ambos deixam um legado da valor incalculável, tanto de fé como de testemunho cristão - a maior herança que um santo pode deixar. E este legado, marcado por "santidade como estilo de vida", tem servido de referência para todos os que pretendem seguir seus passos no Ministério da Palavra. Estou certo de que tamanho legado jamais será esquecido por aqueles que com eles trabalharam e conviveram.

Aproveito o ensejo, para dedicar a ambos o seguinte texto bíblico: "bem aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor, sim diz o Espírito; para que descansem dos seus trabalhos e suas obras os sigam" (Apoc. 14.13). E estou certo de que esta dedicatória contribui em muito para enaltecer a memória daqueles que a isso fizeram juz.

Sabemos que não é tarefa simples explicar, ou mesmo fazer entender, a relevância da morte aos que por ela são diretamente afetados. O drama provocado por morte na família, costuma lançar em uma espécie de limbo de sofrimento, solidão e angústia aqueles que por ela são vitimados, feridos, enlutados. Não resta a menor dúvida que se pudéssemos analisar o rastro da morte, haveríamos de vê-lo marcado pelas lágrimas dos que foram temporariamente separados, de maneira tão trágica, de seu ente querido. E se pudéssemos ver um pouco mais, poderíamos ter este sofrimento amenizado, ou mesmo anulado, mediante a contemplação da etapa final, até onde esse rastro leva. Todavia, esta visão do "começo" nos está temporáriamente vedada (que pena). É crer para ver!

Sabemos que a Palavra de Deus no afirma que "preciosa é à vista do Senhor a morte de Seus santos" (Salmo 116.15). Todavia, um texto como este, em toda a sua grandeza, só poderá ser perfeitamente compreendido por nós, quando pudermos constatar "in loco" a glória e beleza do Reino que nos está reservado por "Aquele que nos ama e pelo Seu sangue nos libertou dos nossos pecados" (Apoc. 1.5). E até que esse dia chegue, precisamos andar "por fé e não por vista". Precisamos ter a convicção de que, no mundos dos mortais: morrer é preciso; apesar de sempre parecer nunca termos vivido o suficiente.

Com votos de pesar, neste momento quero manifestar que compartilho da dor e do sofrimento das famílias e irmãos queridos, que, como eu, sempre os guardarão na memória.


Bispo Calegari


Fontes:

[1] "Falece em Belo Horizonte o Bispo Nilson de Paula Carneiro" (
http://www.imwvitoria.com.br/, 07/03/2010)

[2] "Aos 70 anos, morreu o Bispo Onaldo Rodrigues Pereira" (
http://www.imwvitoria.com.br/, 10/03/2010)

4 comentários:

  1. Como Wesleyano, sofro junto da família. Eu estava na África em Missão evangelística, mas meu coração voo ao Brasil naquele momento. Como eu disse em meu blog, querido Bispo Calegari, é um lamento por sermos uma familia e duas lágrimas por dois estimados filhos wesleyanos. Hoje perdemos na vida, mas ganhamos na eternidade, e se considerar perca como uma resposta de Deus, haveremos de levar o legado do Bispo Nilson e Onaldo para sempre nos corredores da graça wesleyana. amem! Elizeu Gomes

    ResponderExcluir
  2. Grandes homens sempre serão lembrados! Jamais esquecidos!
    Sempre afirmei me espelhar neste grande homem de Deus!
    "Um homem de administração eficientíssima e de comunicação exuberantemente
    polida".
    Bispo Onaldo não é um homem insubstituível, mas como seria bom tê-lo ainda por muitos anos! Ainda que falando pouco, como lhe era peculiar, porém inspirando sermos o que sempre fomos, wesleyanos apaixonados!
    Deuteronômio 34:8 Os filhos de Israel prantearam Moisés por trinta dias, nas campinas de Moabe; então, se cumpriram os dias do pranto no luto por Moisés.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei muito triste em saber do pasamento do Bispo Nilson, pois foi ele juntamente com o meu tio o Pastor Oriele soares do Nascimento que Celebrou o meu casamento em 11/01/1975 que perdura até hoje graça a DEUS
    A Cerimonia foi realizada no templo da igreja Metodista Wesleina a Rua Capitao Damaceno em Em Duque de Caxias Rj

    ResponderExcluir
  4. Cresci numa igreja batista ao lado da casa onde o então pastor Nilson Carneiro morava em Duque de Caxias RJ. A igreja batista cresceu e o templo não comportava mais seus membros. A igreja adquiriu outro terreno e levantou outro templo no início da década de 70. A igreja batista tinha laços com a igreja metodista do Brasil e outras denominações da região e aí eu aprendi a respeitar os irmãos de outras denominações. O pastor Nilson foi pastor da igreja metodista wesleyana de Doutor Laureano e eu tinha muitos amigos lá. Eu era adolescente e admirava o trabalho que ele desempenhava em sua igreja. Conheci sua esposa e filhos. Muitos jovens da igreja batista paravam na porta da igreja wesleyana para bater um papo com os jovens de lá e eu estava sempre no meio... era uma época muito bonita. O pastor Nilson era amoroso e sempre um cavalheiro. Lembro-me bem quando a laje da igreja wesleyana arriou e também lembro-me bem que o pastor de minha ex-igreja não hesitiu em levantar um oferta para ajudar os wesleyanos a baterem outra laje. Hoje eu sou Cristão Ortodoxo Grego mas as boas recordações do meu tempo de criança e adolescência marcaram a minha vida e tenho muito carinho por tudo que vivi, inclusive de ter conhecido o saudoso pastor;bispo Nilson Carneiro. Lembro-me dele ainda jovem. Passei muitos anos no exterior e só agora vejo que ele dormiu no Senhor. Quero, então, simplesmente prestar a minha homenagem e agradecer a Deus pela vida dele, de sua família e igreja. Que Deus abençoe a todos que também foram marcados pelo carinho pastoral desse grande homem.

    ResponderExcluir